Low Carb aumenta as chances de gravidez em cinco vezes, dizem os especialistas


Por Laura Donnelly

As mulheres deveriam seguir a "Low Carb" se quiserem engravidar - porque isso poderia aumentar as chances de sucesso em cinco vezes, dizem os especialistas em fertilidade.

Eles dizem que uma porção por dia é o limite para aquelas que tentam conceber, e aconselhou cortar todos os pães brancos, macarrão e cereais de café da manhã.

Médicos líderes disseram que estão aconselhando os pacientes com problemas de fertilidade a mudarem radicalmente sua dieta, depois que as evidências mostraram que grandes quantidades de carboidratos refinados podem prejudicar seriamente as chances de concepção.

As clínicas britânicas revelaram que começaram a matricular pacientes em cursos de nutrição e até mesmo aulas de culinária, em meio à preocupação de que dietas cada vez mais pesadas estejam alimentando problemas de fertilidade.

Quer aprender mais sobre a Low Carb, clique aqui.

O Dr. Gillian Lockwood, diretor executivo do grupo de fertilidade IVI (fertilização in vitro), disse que aconselha todos as pacientes a reduzirem a ingestão de carboidratos, em meio a um crescente número de evidências que ligam esses alimentos ao comprometimento da fertilidade.

Níveis elevados de carboidratos - especialmente os refinados - já são conhecidos por afetar as funções metabólicas do organismo e podem alimentar a obesidade, o que, por si só, reduz a fertilidade.

Mas os especialistas disseram que há evidências crescentes de que uma dieta típica ocidental, com grande variedade de alimentos convenientes, alta em carboidratos, afeta gravemente o sistema reprodutivo de uma mulher, reduzindo a qualidade de seus óvulos.

Os especialistas em fertilidade recomendaram que todos os casais que estejam tentando conceber que observem de perto suas dietas - e disseram que ha fortes evidências de que as mulheres, em particular, deveriam reduzir os carboidratos.

O Dr. Lockwood destacou pesquisas que descobriram que as mulheres com menor consumo de carboidratos tinham quatro vezes as taxas de sucesso em relação as dietas padrão.

O teste dos EUA em 120 mulheres submetidas à FIV (fertilização in vitro) foram divididas em dois grupos, dependendo do equilíbrio de proteínas e carboidratos na sua dieta. No total, 58 por cento das pessoas do grupo com "low carb" (significando que pelo menos um quarto da dieta era proteína) conseguiram ter um bebê.

No grupo "high carb", onde menos de um quarto da energia diária veio de proteínas, apenas 11% alcançaram sucesso, segundo o estudo do Instituto Delaware para Medicina Reprodutiva (DIRM) em Newark.

Os pesquisadores concluíram que aquelas que tentam ter uma família devem consumir até 35 por cento de proteínas e menos de 40 por cento de carboidratos.

A Dra. Lockwood, da IVI Midland, em Tamworth, disse que está aconselhando todas as pacientes a "baixarem os carboidratos".

"Elas devem comer muitos vegetais frescos e proteínas e limitar a ingestão de carboidratos para apenas um grupo e uma porção diária.

"Eu digo às minhas pacientes que se elas comerem torradas no café da manhã, então esses são os carboidratos para o dia. Elas não podem comer um sanduíche no almoço e macarrão no jantar.

"Se elas quiserem comer macarrão à noite, este tem que ser o seu carboidrato, ou se elas quiserem uma batata para o almoço, então é só isso".

As mulheres também foram aconselhadas a consumir derivados lácteos, pois o colesterol é o "bloco de construção" de todos os hormônios reprodutivos, disse ela.

A dieta típica de hoje foi a base dos problemas de fertilidade, disse ela.

"A comida moderna é muito rica em carboidratos, saborosa e barata, por isso é fácil ver por que as pessoas costumam comer muito. Mas também é muito pobre em nutrientes", acrescentou.

"Os parceiros das mulheres também precisam fazer sua parte e acabar com sua pizza de massa crocante e petiscar uma salada de frango também", disse ela.

Falando na conferência da Sociedade Européia de Reprodução Humana e Embriologia em Genebra, os especialistas ingleses em fertilidade disseram que estão começando a indicar uma dieta para casais inférteis, com o objetivo de melhorar suas chances.

Leeds Fertility no mês passado começou a dar aos quatro casais inférteis quatro aulas de nutrição - incluindo aulas de culinária, para incentivá-los a cortar os carboidratos e a introduzir uma dieta mais variada.

Grace Dugdale, a Bióloga de Reprodução que lidera o esquema, disse que os casais que tentam um bebê devem cortar todo o pão branco e macarrão, e mudar para versões integrais.

Ela sugeriu a substituição de cereais processados do café da manhã por ovos, iogurte natural e frutas, e aconselha a troca dos sanduíches da hora do almoço por saladas sem carboidratos. Quando os carboidratos foram consumidos, não processados são os melhores, disse ela, recomendando granola e mingau em vez de cereais açucarados.

Os casais devem tentar ficar com apenas uma porção de carboidratos por dia - e de preferência os complexos, como arroz integral ou massa de trigo integral.

Miss Dugdale disse: "As pessoas devem ser cautelosas com os carboidratos refinados do pão branco, macarrão, cereais, biscoitos e bolos porque suas moléculas mais simples se quebram mais rapidamente no corpo, causando picos de açúcar no sangue.

"Com o tempo, o corpo torna-se menos capaz de processar o açúcar, prejudicando a saúde metabólica, o que pode causar inflamação no corpo e danificar as mitocôndrias, as fontes de energia das células.

"Os óvulos de uma mulher são células muito grandes com um grande número de mitocôndrias, e sua qualidade pode ser afetada. Uma má alimentação que inclui carboidratos refinados, também pode afetar a fertilidade masculina ao danificar o DNA no esperma. Isso afeta a motilidade do esperma, a capacidade de nadar, sua morfologia ou a forma que os torna bons nadadores, a contagem de espermatozoides ou a quantidade de esperma produzida.

"Uma dieta baixa em carboidratos refinados é, portanto, importante para o homem e para a mulher".

O esquema liderado pela Balance Fertility, uma empresa de pesquisa que analisa o estilo de vida e os fatores subjacentes à infertilidade, será expandida em setembro, com os pacientes recebendo consultas individuais para analisar sua dieta e estilo de vida em detalhes.

O professor Adam Balen, presidente da British Fertility Society, disse que todos os casais poderiam dar a sua fertilidade uma melhor chance ao ter uma dieta saudável e, em particular, reduzindo os níveis de carboidratos.

Ele disse: "Sabemos que a dieta tem um grande impacto nas chances de concepção e na qualidade do óvulo e, cada vez mais, parece que os carboidratos desempenham um papel particular".

E ele disse que aqueles que estão lutando com problemas de fertilidade devem ser submetidos a consultas individuais para verificar os níveis de nutrientes, vitaminas e minerais essenciais.

A British Dietetic Association afirmou que será necessária uma pesquisa adicional sobre a área. Um porta-voz disse: "Como nutricionistas, não criamos nutrientes vilões, mas prestar atenção à dieta, encorajar a moderação e o controle de porções tanto antes como durante a gravidez, são extremamente importantes para a mãe, o pai e o bebê".



Fonte: The Telegraph, tradução: Regiany Floriano.



Leia também:

Como reverter a Síndrome dos Ovários Policísticos com a Low Carb





Sugestões de livros sobre a Dieta Paleo - Low Carb? Veja aqui
 Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram
 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.