O que os Vitorianos tem a nos ensinar sobre alimentação saudável

O que os Vitorianos podem nos ensinar sobre nutrição e saúde

A evidência antropológica e histórica fornece pistas inestimáveis sobre a obtenção de uma boa saúde através de mudanças na dieta e no estilo de vida. Embora eu aprecie a ciência moderna e tudo o que aprendemos com isso, o uso estrito da ciência às vezes pode levar a perder a imagem. Ver a nutrição e a saúde geral através de uma lente evolutiva pode nos ajudar a manter as descobertas modernas em perspectiva e a compreender melhor suas implicações práticas.

No entanto, o paradigma Paleo com o qual estamos tão familiarizados tem suas próprias falhas. Por exemplo, não sabemos exatamente o que nossos ancestrais paleolíticos comiam e, francamente, muitas pessoas acham difícil se relacionar com "homens das cavernas" que viveram antes que as civilizações modernas existissem. A boa notícia é que existem muitas sociedades que alcançaram e mantiveram uma excelente saúde mesmo após a revolução agrícola, e os "homens das cavernas" não são as únicas pessoas que podem nos ensinar uma coisa ou outra sobre o que comer e como viver. Um artigo que eu encontrei recentemente, intitulado “Como os Vitorianos trabalhavam, comiam, e morriam”, discute a saúde notável de classe operária da Grã-Bretanha de 1850-1880, bem como os fatores de estilo de vida que os ajudaram a alcançá-lo.

Texto original escrito por Chriss Kresser, tradução: Regiany Floriano
Durante meados dos anos 1800, uma série de forças econômicas e políticas convergiram para criar um padrão mais alto de saúde pública para a classe trabalhadora britânica do que em qualquer momento antes ou depois. A sua expectativa de vida (a partir dos 5 anos, para compensar maiores taxas de mortalidade infantil) era tão boa quanto a do Reino Unido moderno, a obesidade era quase inexistente e a incidência de doenças crônicas (incluindo câncer, doenças cardíacas e diabetes) era apenas 10% do que é hoje. Esses números são ainda mais surpreendentes, se considerarmos que eles não tinham as vantagens dos cuidados de saúde modernos, incluindo antibióticos e cuidados traumáticos.

Ao contrário da história das sociedades pré-agrícolas, a história Vitoriana está bem documentada, então podemos presumir quais componentes de seu estilo de vida lhes permitiram ser muito mais saudáveis do que hoje. Aqui estão o que considero ser as 6 melhores estratégias para ter saúde com base no estilo de vida do período Vitoriano.

1. Movimente-se o máximo possível

As pessoas da classe trabalhadora durante esse período gastavam muita energia para realizar suas tarefas do dia-a-dia. Isso não era "exercício", era simplesmente movimento. Os homens muitas vezes tinham que caminhar até 10 quilômetros por dia para chegar ao trabalho, onde normalmente faziam mais esforço físico. As mulheres também ficavam de pé o tempo todo, com tarefas domésticas ou empregos em oficinas e fábricas. Em vez de fazer ginástica funcional, esfregavam pisos e, em vez de praticar balanços com kettlebell, elas construíram ferrovias.

Infelizmente, as ocupações modernas exigem mais tempo sentado do que se movimentando, e o simples movimento foi substituído por "exercícios", realizado durante um tempo específico e muitas vezes numa academia. Mas, como mostram os Vitorianos, existe um imenso valor num estilo de vida onde o movimento esteja incorporado ao longo do dia. Existem várias maneiras fáceis de inserir mais movimento no seu dia, mesmo que você trabalhe em uma mesa ao invés de um pátio ferroviário.

2. A densidade de nutrientes é extremamente importante

Na comunidade Paleo, há muita ênfase em evitar toxinas alimentares, como o xarope de milho rico em frutose, glúten e os óleos vegetais refinados. No entanto, também precisamos enfatizar a importância de buscar alimentos particularmente nutritivos. As pessoas durante o período vitoriano tinham dietas excepcionalmente ricas em nutrientes e densas que incluíam muitas frutas e vegetais frescos, carnes e produtos lácteos, peixes, nozes, sementes e leguminosas. Eles também costumavam comer carnes de órgãos, incluindo cérebros, coração, pâncreas, fígado, rins e os pulmões e os intestinos de ovelhas.

Outra vantagem que eles tinham é que, devido ao seu estilo de vida fisicamente exigente, homens e mulheres durante esse período comiam duas vezes mais calorias que hoje. Os homens podiam consumir mais de 5.000 calorias em um dia de trabalho e mulheres mais de 3.000. A grande quantidade de alimentos que comiam, combinada com sua qualidade superior, resultava em níveis médios de micronutrientes 10 vezes superiores aos das dietas modernas.

Devido à nossa ingestão calórica drasticamente mais baixa, é ainda mais vital que procuremos ativamente alimentos com densidade nutritiva para absorver tantos micronutrientes quanto possível em uma carga calórica relativamente pequena. Alguns dos alimentos mais densos em nutrientes incluem carnes de órgãos, gemas de ovos, verduras, peixes gordurosos e bagas.

3. Comer sazonalmente e localmente

Parte da razão pela qual os vitorianos conseguiam consumir tantos micronutrientes, era porque seus produtos amadureciam naturalmente antes de serem colhidos, e não viajavam pelo continente para chegar até eles. Grande parte do que comiam, existia na região, e eles comiam os alimentos na temporada porque eram mais baratos. Por exemplo, normalmente eles comiam maçãs de agosto a maio, mas quando a temporada terminava, eles comiam cerejas ou groselhas. Eles importavam muito poucos alimentos.

Comer na estação, assegurava que seus alimentos tivessem tantos fitonutrientes, vitaminas e minerais quanto possível, e também permitiam uma maior variedade de nutrientes de diferentes plantas ao longo do ano. Para seguir o exemplo deles, eu recomendo fazer compras nos mercados dos agricultores ou cultivar alguns dos seus próprios produtos. Comer de forma selvagem pode ser ainda melhor. Quanto mais fresco for um alimento, mais nutrientes conterão!

4. Alimente suas bactérias intestinais

Para um grupo de pessoas que nem sequer tinham consciência de que tinham uma flora intestinal, os vitorianos da metade do século certamente tratavam bem seus bichinhos. Uma das melhores coisas que você pode fazer para manter a saúde digestiva é comer uma grande variedade de alimentos prebióticos, incluindo cebolas, alho, alcachofra, folhas de dente de leão e alho-poró. Na verdade, esses alimentos eram alguns dos vegetais mais consumidos durante o período médio da era vitoriana.

As cebolas eram os vegetais mais baratos disponíveis e podiam ser obtidas durante todo o ano, de modo que elas eram um alimento básico para os vitorianos. Outros vegetais geralmente consumidos incluíram agrião, alcachofra, cenouras, nabos, brócolis e repolho. Manter a flora intestinal saudável através do consumo de prebióticos foi provavelmente um grande fator na proteção dos vitorianos contra doenças crônicas.

5. Coma peixe gordo

Outra circunstância que provavelmente contribuiu para a boa saúde dos vitorianos foi o preço e disponibilidade de peixes gordurosos. O arenque fresco era um alimento básico na sua dieta pelo simples fato de ser facilmente obtido, e quando eles não conseguiam achá-lo fresco, podiam encontrá-lo salgado, ou seco, ou enlatado. Sprats (um tipo de sardinha), enguias e mariscos também foram amplamente consumidos.

É muito importante obter DHA pré-formado na dieta (ômega-3), e o arenque, juntamente com outros peixes gordurosos de água fria, são uma das melhores fontes deste ácido graxo ômega-3. Comer mais sardinha, cavala e outros peixes ricos em DHA provavelmente seja uma das melhores coisas que você pode fazer para sua saúde. Certamente, funcionou para os vitorianos.

6. Moderar o consumo de álcool

Durante o período Vitoriano, a cerveja era popular e amplamente consumida, mas era significativamente mais fraca do que é hoje. O teor de álcool da cerveja consumida em casa era geralmente entre 1% e 2%, enquanto a cerveja consumida em pubs tinha cerca de 2-3%. Ambos os valores são muito inferiores ao teor de álcool da cerveja moderna, que é perto de 5%. Embora o álcool com moderação possa ser benéfico, os níveis que muitas pessoas consomem hoje são manifestamente contrários à boa saúde, e a tradição da era vitoriana de diluir a cerveja, provavelmente ajudou a mitigar os efeitos do maior volume que bebiam.

O fim da saúde da Era Vitoriana

Infelizmente, o aumento das importações de farinha branca, açúcar e outros alimentos processados durante a última parte do século XIX, causou um rápido declínio na saúde pública britânica. Curiosamente, quando o governo britânico decidiu resolver este desastre de saúde pública, cometeu o erro de considerar que a saúde das pessoas estivesse deficiente desde o início do século XIX. Como você pode ver a partir da discussão acima (ou da leitura deste estudo), isso não era verdade, e os autores insistem que essa falsa suposição prejudicou gravemente a política de saúde. Talvez, se não fosse por esse erro, o governo britânico recomendasse uma dieta inspirada na era vitoriana até hoje!




Sugestões de livros sobre a Dieta Paleo - Low Carb? Veja aqui
 Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram
 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.