Menos tempo comendo pode ajudar a emagrecer


Estudo de alimentação em tempo restrito parece ajudar as pessoas a perder gordura corporal

Data: 6 de janeiro de 2017
Fonte: Universidade do Alabama em Birmingham
Resumo:
Pela primeira vez em seres humanos, foi relatado que comer no início do dia diminui diariamente as oscilações de fome e muda o padrão de 24 horas de oxidação de gordura e metabolismo energético, o que pode ajudar na perda de peso.

Pesquisadores da Universidade de Alabama em Birmingham estão tentando descobrir se mudar o horário de alimentação de uma pessoa pode ajudá-la a perder peso e queimar gordura.


O primeiro teste com seres humanos de alimentação mais cedo com restrição de tempo (early time-restricted feeding), ou eTRF, descobriu que esta estratégia de tempo de refeições reduziu as oscilações na fome e alterou os padrões de queima de gordura e carboidratos, o que pode ajudar na perda de peso. Com eTRF, as pessoas comem sua última refeição no meio da tarde e não comem novamente até o café da manhã na manhã seguinte. Os resultados foram apresentados durante uma apresentação na reunião na Semana da Obesidade na Obesity Society Annual 2016 em Nova Orleans, Louisiana.


"Se alimentar durante uma janela de tempo muito menor do que as pessoas costumam fazer para ajudar na perda de peso", disse Courtney Peterson, Ph.D., professor associado do Departamento de Ciências da Nutrição da UAB. "Descobrimos que comer entre as 8h e as 14h, seguido de um jejum diário de 18 horas, manteve os níveis de apetite mais altos durante o dia, em comparação com as refeições entre as 8h e as 8h, que o americano costuma fazer".


Esta nova pesquisa, financiada pela The Obesity Society (TOS) Early Career Research Grant (para promover e estimular novas idéias de pesquisa em qualquer área de investigação relacionada à obesidade) concedido em 2014, sugere que jantar bem cedo, ou mesmo deixar de jantar, pode ter alguns benefícios para a perda de peso, embora estudos adicionais precisem confirmar essa teoria. Estudos anteriores com animais mostraram que o eTRF ajudou os roedores a queimar mais gordura.


O corpo humano tem um relógio interno, e muitos aspectos do metabolismo estão em seu funcionamento ótimo na parte da manhã. Portanto, se alimentar de acordo com o relógio circadiano do corpo, comendo mais cedo no dia pode influenciar positivamente a saúde. Este primeiro teste de eTRF em seres humanos segue estudos feitos em roedores nesta abordagem para a perda de peso, que anteriormente descobriu que eTRF reduziu a gordura corporal e diminuiu o risco de doenças crônicas em roedores.


Durante o estudo em humanos, Peterson e seus colegas acompanharam 11 homens e mulheres com excesso de peso ao longo de quatro dias de refeições entre as 8 e 14 horas e quatro dias de refeições entre 8 e 20 horas. Os pesquisadores testaram o impacto do eTRF sobre as calorias queimadas, a gordura queimada e o apetite. Os participantes tentaram comer em ambos horários, comeram o mesmo número de calorias em ambas as vezes e completaram todos os testes sob supervisão.


Os pesquisadores descobriram que, embora o eTRF não tenha afetado o número total de calorias que os participantes queimaram, reduziu a fome diária e aumentou a queima de gordura durante várias horas à noite. Ele também melhorou a flexibilidade metabólica, que é a capacidade do corpo para alternar entre a queima de carboidratos e queima de gorduras.


Se o eTRF ajuda com a perda de peso a longo prazo ou melhora outros aspectos da saúde, ainda é desconhecido. Peterson diz que, como o estudo humano envolveu apenas um pequeno número de participantes, um estudo maior e mais abrangente precisará ser realizado.



Fonte: Sciency Daily, tradução: Regiany Floriano


Outros artigos relacionados: Insulina engorda, Jejum emagrece


Sugestões de livros sobre a Dieta Paleo - Low Carb? Veja aqui
Saiba das novidades do Menos Rótulos por e-mail:
 Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram
 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.