Exercícios previnem o envelhecimento celular ao estimular as mitocôndrias

Sabe-se que a atividade física promove uma série de benefícios à saúde. O que ainda não é compreendido é como os exercícios conseguem reduzir o envelhecimento em um nível celular. Uma nova pesquisa sobre as mitocôndrias esclarece os processos envolvidos.


A atividade física regular tem demonstrado impulsionar o sistema imunológico, aumentar as habilidades cognitivas, melhorar o sono, aumentar a vida útil e manter o tônus muscular. Seus benefícios são comprovados, a pesquisa é conclusiva.


Entretanto, os mecanismos que se encontram sob os efeitos positivos do exercício permanecem nas sombras. Como as atividades físicas se traduzem em reconstituir organelas que se degradam à medida que envelhecemos? Que atividades são melhores?

Texto original aqui. Tradução: Regiany Floriano


Um novo estudo, publicado nesta semana na Cell Metabolism, dá uma olhada profunda e fornece pistas sobre como esses benefícios podem ser produzidos.


O autor sênior do estudo atual é Dr. Sreekumaran Nair, um pesquisador de diabetes na Mayo Clinic em Rochester, manganês, e a equipe de pesquisa foi conduzida por Matthew Robinson, que trabalha agora na universidade de Oregon em Eugene.


No total, 36 homens e 36 mulheres foram divididos em duas faixas etárias: "jovens" (entre 18 e 30 anos) e "idosos" (entre 65 e 80 anos). Estes participantes foram divididos em três programas de exercícios:


- ciclismo de alta intensidade intervalado
- treino de força com pesos
- uma combinação de treinamento de intervalo e força


Tomando uma biópsia dos músculos da coxa de um voluntário, eles compararam a composição molecular com um grupo controle de voluntários sedentários. A massa muscular magra e a sensibilidade à insulina também foram avaliadas.


A equipe descobriu que, embora o treinamento de força fosse eficaz na construção de massa muscular, o treinamento de intervalo de alta intensidade teve o maior efeito a nível celular, especificamente nas mitocôndrias.


Exercícios, Mitocôndrias e Envelhecimento


As mitocôndrias são comumente referidas como as potências da célula. Sua principal função é produzir adenosina trifosfato - a molécula que transporta energia química dentro das células. À medida que envelhecemos, a capacidade das mitocôndrias para gerar energia diminui lentamente.


Comparando os dados proteômicos e de sequenciação de RNA entre os grupos de exercícios, a equipe descobriu que o exercício estimula as células a fazer mais cópias de RNA dos genes que codificam as mitocôndrias das proteínas e as proteínas responsáveis pelo crescimento muscular.


Os voluntários mais jovens que realizaram treinamento intervalado mostraram um aumento de 49 por cento na capacidade mitocondrial e, ainda mais impressionante, o grupo mais velho viu um aumento de 69 por cento.


O ciclismo de alta intensidade efetivamente reverteu o declínio relacionado à idade na função mitocondrial.


Ribossomas, peças vitais na síntese de proteínas, também sofreram um impulso do exercício - que aumentou a sua capacidade de construir proteínas mitocondriais, o que explica o aumento da função mitocondrial e hipertrofia muscular.



Retardando o envelhecimento através do aumento de proteína


A capacidade de atividade física para reforçar a produção de proteína é importante. As células musculares, como o cérebro e as células cardíacas, não se dividem com freqüência. Isso significa que, à medida que envelhecemos, a função declina. Como explica o Dr. Nair: "Ao contrário do fígado, o músculo não é facilmente regenerado, as células podem acumular muitos danos". Se o exercício pode restaurar ou minimizar a deterioração dos ribossomos e mitocôndrias em células musculares, há uma boa chance de que ele faça o mesmo em outros tecidos.


Além do aumento da capacidade mitocondrial, o treinamento intervalado também melhorou a sensibilidade à insulina do participante, diminuindo o risco de desenvolver diabetes. No entanto, este tipo de exercício foi menos eficaz para melhorar a força muscular.


"Com base em tudo o que sabemos, não há substituto para esses programas de exercícios quando se trata de atrasar o processo de envelhecimento. Essas coisas que estamos vendo não podem ser feitaas por qualquer medicamento."
Dr. Sreekumaran Nair


Embora este estudo não tenha sido focado em fazer recomendações sobre duração ou tipo de exercício, Dr. Nair diz: "Se as pessoas tiverem que escolher um exercício, eu recomendaria os de intervalo de alta intensidade, mas acho que seria mais benéfico se eles pudessem fazer 3-4 dias de treinamento de intervalo e, em seguida, uns 2 dias de treinamento de força."


O estudo demonstra claramente como o exercício pode aumentar a produção de organelas específicas. Esta relação parece desempenhar um papel fundamental na desaceleração do envelhecimento celular.


Dr. Nair e sua equipe planejam estender seu mergulho profundo nos benefícios celulares do exercício em outros tipos de tecidos. No futuro, esses achados poderiam potencialmente ser usados para direcionar caminhos específicos e reduzir o impacto do envelhecimento. Com o tempo, talvez essas mudanças positivas pudessem ser desencadeadas artificialmente, mas como diz Dr. Nair: "Há dados substanciais de ciência básica para apoiar a ideia de que o exercício é muito importante para prevenir ou retardar o envelhecimento.









Sugestões de livros sobre a Dieta Paleo - Low Carb? Veja aqui

Saiba das novidades do Menos Rótulos por e-mail:]
 
 Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram
 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.