A Ligação entre o Açúcar e o Câncer


"Se a nossa dieta é constantemente carregada de açúcar e carboidratos processados, isto vai exigir que o pâncreas trabalhe horas extras, o que significa que todos os dias ele tem que produzir níveis elevados de insulina constantemente, dependendo do quê e quantas vezes você come.
"Novos estudos revelam que altos níveis de insulina aumentam o risco de câncer e o crescimento de células cancerígenas." "Tudo isso foi predito pelo médico e químico alemão Otto Warburg, cuja pesquisa sobre respiração celular (oxigenação) lhe valeu o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina em 1931.
Eu não estou sugerindo que as pessoas acreditem que "cortar o açúcar" possa ser a solução para prevenir ou curar o câncer. Eu queria que fosse assim tão simples para todos.
Mas, com as informações que temos agora, talvez seja hora de dar uma olhada nas nossas dietas e como alimentamos nossos filhos.
Reduzir o açúcar e os alimentos processados, evitando óleos poliinsaturados processados, gorduras trans e reintroduzindo as gorduras saudáveis ​​é mais fácil do que você pode pensar.
Não é uma recomendação igual para todos e não significa que um pedaço de bolo de aniversário vai te causar câncer ... mas você será mais suscetível a altos níveis de insulina e o risco de câncer (e uma série de outras doenças crônicas ) se você comer bolo de aniversário e comida de festa todos os dias!
Belinda Fettke


A RELAÇÃO ENTRE O AÇÚCAR E O CÂNCER

Texto original aqui. Tradução: Regiany Floriano
Por Kathryn Borg

Recentemente vimos e ouvimos a mídia falando muito sobre o açúcar. É interessante que o foco sobre as gorduras tenha mudado. Eu não pretendo seguir o rebanho e discutir da mesma maneira sobre o açúcar . No entanto, vou fazer uma avaliação do açúcar em relação ao câncer.


Vários novos estudos de referência sobre as causas e progressão do câncer sugerem que o  fator contribuinte seja uma ocorrência diária. Isso descarta a sugestão da "má sorte", como comentado por uma pessoa da área médica no ano passado. Precisamos olhar para o nosso estilo de vida. Em vez disso, veja o fato de que 70 a 90 por cento dos cânceres são o resultado direto das ações que escolhemos fazer. Por exemplo, a comida que comemos, o que fumamos, ou quanto álcool bebemos.


Os pesquisadores do Stony Brook University Cancer Center, em Nova York, apresentaram quatro modelos de computador, que incluíam perfis de saúde e dados populacionais. Em cada caso, os dados apontaram para um resultado semelhante: o câncer tem muito pouco a ver com genes ruins (Nature, 2015).


Dois outros estudos importantes revelaram que o açúcar é um grande gatilho do câncer. A ingestão de alimentos processados, bolos e refrigerantes açucarados acrescenta ainda mais balas no tambor da roleta russa que jogamos com nossas vidas. Curiosamente, o cientista vencedor do Prêmio Nobel, Otto Warburg, observou há mais de 80 anos que o açúcar pode disparar o início do câncer, em então alimentar as células cancerígenas e ajudá-las a crescer e se espalharem.


Em outro estudo, foi observado por pesquisadores que as mulheres com câncer de mama tinham maiores chances de morrer da doença se elas também tivessem níveis elevados de insulina. A razão era que a insulina ajudou o câncer a crescer e se espalhar. De forma preocupante, nenhuma das 125 mulheres no estudo tinha diabetes do tipo 2, que é resultado típico da resistência à insulina e o ponto final de uma dieta fast food.


Em outro estudo, o processo tornou-se mais claro. Os pesquisadores observaram que a glicose (a forma do açúcar em nosso sangue) fornece os caminhos biológicos que ajudam as células cancerosas a crescerem e se espalharem (Cancer Cell, 2015).


“A chave é garantir que se vamos ter "açúcares ruins", certifique-se de que eles são poucos e distantes entre si para que possam ser processados pelo pâncreas.”


Como sabemos, a insulina é produzida pelo pâncreas para quebrar os açúcares dos carboidratos. Nosso corpo precisa de açúcar para sobreviver, no entanto, existem carboidratos bons e ruins, assim como há gorduras boas e ruins. Os carboidratos ruins têm altos níveis de açúcar e são encontrados em alimentos refinados e processados. Os bons carboidratos, como grãos, legumes, frutas e feijão, nos fornecem açúcares de "queima lenta". Estes não causam um pico repentino nos níveis de insulina. Isso é o que causa problemas com o pâncreas a longo prazo, embora o pâncreas seja capaz de lidar com esses picos repentinos dos carboidratos refinados (também conhecido como carboidratos simples), de vez em quando.

Se a dieta é constantemente cheia de alimentos processados, vai exigir que o pâncreas trabalhe horas extras. Isso significa que diariamente ele tem que produzir níveis elevados de insulina constantemente, dependendo do que e quantas vezes a pessoa come.

Consequentemente, alguém em uma dieta regular como esta, se torna hiperglicêmico (isso significa que a pessoa tem excesso de glicose em seu sangue), ao ponto que geralmente é diagnosticada com diabetes tipo 2. Conforme novos estudos revelam, estas pessoas também aumentam o risco de câncer, e um câncer que pode crescer e se espalhar rapidamente, o que será fatal.

Tudo isso foi predito pelo médico e químico alemão Otto Warburg, cuja pesquisa sobre respiração celular (oxigenação) lhe rendeu o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina em 1931. Como parte da pesquisa realizada durante todos os anos anteriores, ele também descobriu que as células do câncer são anaeróbias (não necessitam de oxigênio), em vez disso, utilizam a fermentação do açúcar como fonte de energia.

No entanto, apesar do reconhecimento de seu trabalho, ninguém realmente acreditou que as células cancerígenas desenvolvem-se com o açúcar. Warburg passou os próximos 40 anos, até sua morte em 1970, tentando convencer a indústria médica (e a indústria do câncer em particular) que ele estava certo. Lamentável.

Apesar da evidência convincente, os céticos permanecem tão arraigados como sempre, alegando que tal conversa é alarmista e excessivamente simplista. Este pensamento é o que provavelmente esteja por trás da política de um hospital do câncer do Reino Unido, onde, após a quimioterapia, eles oferecem bolo para os pacientes.

Há muitas lições a serem aprendidas com esta nova pesquisa. Mais uma vez, precisamos olhar as nossas dietas com mais atenção. A chave é garantir que se vamos ter "açúcares ruins", certifique-se de que eles são poucos e distantes entre si para que possam ser processados pelo pâncreas. Idealmente, evite-os completamente. Além disso, se alguém está sofrendo de câncer, parece claro que deve evitar quaisquer alimentos processados e carboidratos ruins pelas razões já explicadas.



_____________________






Sugestões de livros sobre a Dieta Paleo - Low Carb? Veja aqui

Saiba das novidades do Menos Rótulos por e-mail:
 Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram
 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.