Os Médicos a as recomendações nutricionais

"Certamente é preferível ter um médico dando conselhos sobre nutrição ao invés de indivíduos não qualificados, muitos dos quais têm um produto ou programa para vender."


"Que seu remédio seja o seu alimento, e que o seu alimento seja o seu remédio"

Esta é a célebre frase de Hipócrates, um médico grego que viveu no período de 460 a.C. - 377 a.C., considerado o pai da medicina ocidental. Isto quer dizer que a saúde começa pela boca, então faz parte das orientações médicas, as recomendações sobre o que devemos e não devemos comer.


Um exemplo disto são os conselhos que o Dr Aseem Malhotra, um cardiologista britânico, dá aos seus pacientes em seu consultório: "Coma gordura para emagrecer. Não tenha medo da gordura, a gordura é sua amiga". Ele considera as orientações dietéticas que promovem os alimentos com baixo teor de gordura como "o maior erro na história da medicina moderna, resultando em consequências devastadoras para a saúde pública".

"Infelizmente este conselho inútil continua a ser perpetuado", disse ele. "Temos que mudar urgentemente a mensagem ao público para reverter a obesidade e diabetes tipo 2".

Assim como o Dr Malhotra, vários médicos sabem da importância das corretas orientações nutricionais principalmente na prevenção de doenças. O problema é que isto não é visto com bons olhos por todos da área médica...


Devemos encorajar os médicos a darem orientações nutricionais

Artigo traduzido por Regiany Floriano. O original está aqui.

Por Dr Peter Brukner, 

Mais de 1 milhão de australianos foram diagnosticados com diabetes tipo 2.

As últimas semanas têm sido interessantes para a medicina na Austrália.

Segunda-feira 14 de novembro foi o Dia Mundial do Diabetes, que foi marcado pela liberação de um relatório do Diabetes Austrália. O relatório afirmou que atualmente há mais de um milhão de australianos diagnosticados com diabetes tipo 2. O número total de australianos com diabetes pode ser de até 1,7 milhões de pessoas, pois o número de australianos atualmente com diabetes do tipo 2 não diagnosticada, a "silenciosa", é desconhecido.

Além disso, o número de pessoas com pré-diabetes e com alto risco de desenvolver diabetes tipo 2 é também desconhecido, mas estimado em cerca de 2 milhões. Complicações de diabetes são um importante problema de saúde com 4.400 amputações de dedos dos pés, pés ou membros e 3.500 pessoas com diabetes que necessitam de diálise renal somente nos últimos 12 meses.

Vimos a liberação de um relatório encomendado pela Medical Board, que mostrou que os médicos, juntamente com enfermeiros e farmacêuticos, são as profissões mais confiáveis na Austrália. O relatório afirma que 90% da comunidade confia em médicos e enfermeiras e 85% confiam em farmacêuticos (e 7% confiam em políticos!).

O terceiro item médico de interesse relacionado, foi a revelação de que um cirurgião ortopedista da Tasmânia foi proibido pela Autoridade Australiana de Regulamentação de Saúde (AHPRA) de dar orientações nutricionais a seus pacientes. A preocupação do Dr. Gary Fettke sobre o número crescente de amputações que ele era obrigado a realizar, como resultado de complicações de diabetes, o fez perceber que o momento em que esses pacientes o procuravam, era tarde demais.

Os espectadores do programa de domingo à noite no canal sete já devem ter visto uma série recente onde o Dr. Fettke e o chef Pete Evans orientam um ex-jogador de críquete da Tasmânia, Tony Benneworth, que tinha desenvolvido diabetes tipo 2, com uma dieta pobre em açúcar e carboidratos processados. Os resultados foram muito impressionantes, com uma dramática perda de peso (15 kg) e a reversão total da diabetes tipo 2 de Tony, que inclusive deixou de tomar todos os medicamentos para diabetes, sob a supervisão de seu médico de família, e com apoio nutricional individualizado da equipe Nutrição para a Vida incluindo Nutricionistas credenciados e um professor de diabetes.

De acordo com o Dr. Fettke, seu caso com a AHPRA começou em 2014 com uma notificação anônima feita por um nutricionista do hospital por encorajar as pessoas a reduzirem sua ingestão de açúcar. Uma outra notificação de 2016, novamente feita por um nutricionista anônimo, incluía uma queixa de "inverter inadequadamente o diabetes tipo 2 de um paciente".

De acordo com a esposa do Dr. Fettke, a nutrição foi considerada pela AHPRA como "prática fora da área de atuação" de um cirurgião ortopédico, mesmo que a maioria dos pacientes do Dr. Fettke tenha questões relacionadas ao peso e / ou diabetes.

Dr Fettke aconselha os seus pacientes a limitarem a sua ingestão de açúcar adicionado para os níveis recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e as nossas próprias diretrizes (CSIRO). A OMS recomenda não mais de 10 por cento e, idealmente, não mais de 5 por cento da ingestão energética diária deve vir de açúcares livres. Isto é o equivalente a 12 e, idealmente, seriam seis colheres de chá de açúcar adicionado por dia. A ingestão média pelos australianos é de aproximadamente 14 colheres de chá por dia, com os adolescentes consumindo consideravelmente mais. Pesquisas demonstram uma associação entre a ingestão de açúcar e as epidemias de saúde moderna como a obesidade, diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares.

Após uma investigação de dois anos, a AHPRA informou Dr Fettke recentemente que ele foi "não devidamente treinado ou educado como médico para prestar aconselhamento ou recomendações sobre este assunto como médico". Esta "cautela" que a AHPRA emitiu sugere que ele também está restrito de participar de qualquer projeto de pesquisa em "nutrição" para melhorar os resultados de saúde de seus pacientes. O Dr. Fettke foi informado de que não existe direito de recurso contra a decisão, embora um comunicado posterior da imprensa da AHPRA sugira que um recurso ao Supremo Tribunal seja possível (embora proibitivamente caro).

Também não está claro na decisão do AHPRA quais médicos estão autorizados a dar conselhos nutricionais e quais não estão. Todos os médicos recebem a mesma formação sobre nutrição (reconhecidamente muito pouca) durante os seus cursos médicos. Um número de profissionais como o Dr. Fettke, então continuam a explorar a ciência por trás nutrição mais plenamente.

O campo da nutrição está passando por um momento muito interessante com algumas crenças antigas sendo amplamente contestadas. Além disso, existem inúmeros "gurus" não qualificados que dão conselhos sobre o que devemos e não devemos comer. Certamente é preferível ter um médico dando conselhos de nutrição ao invés de indivíduos não qualificados, muitos dos quais têm um produto ou programa para vender.

Eu na verdade ouvi o Dr. Fettke falar em conferências sobre o tema nutrição e fiquei extremamente impressionado com a profundidade de seu conhecimento científico e sua paixão em fazer a diferença para seus pacientes.

Certamente devemos encorajar e não desestimular os médicos a fazerem recomendações sobre estilo de vida, numa tentativa de reduzir o rápido aumento do número de australianos que sofrem de obesidade e diabetes tipo 2. A decisão da AHPRA precisa ser revisada com urgência.

Dr Peter Brukner é professor de Medicina do Esporte em La Trobe University e organizador da campanha SugarByHalf.


___________________




Sugestões de livros sobre a Dieta Paleo - Low Carb? Veja aqui

Saiba das novidades do Menos Rótulos por e-mail:

 
 Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram

 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.