Chuck Norris: Diga adeus à dieta rica em carboidratos, com pouca gordura

foto de vivelasloth 
Nas palavras do Dr Souto:

Quando é que podemos declarar a vitória DEFINITIVA da low carb? Quando sai no New York Times? Quando sai no Medscape? Não, nada disso.
É quando CHUCK NORRIS adota a low carb, e é fã do David Ludwig!
É sério! 

 Artigo escrito por Chuck Norris e traduzido por Regiany Floriano

Certamente nós gostamos. Nós buscamos. Nos reconfortamos com isto. Isto nos ajuda a entender claramente o que está diante de nós em nossa busca constante e primitiva por segurança. A incerteza, por outro lado, é desconfortável. Ela cria tensão. Leva à confusão. Pode ser debilitante. Então, quando recebemos conselhos baseados em "descobertas de especialistas" sobre o alimento que devemos comer e os exercícios que devemos seguir para manter e promover a boa saúde, se a fonte é confiável, queremos acreditar com certeza. O problema é que, embora não faltem teorias sobre este assunto, não existe nenhum padrão-ouro para medir a dieta ou o exercício com os quais os profissionais de saúde concordam.

E quando especialistas em saúde nos dizem, como têm feito nos últimos 40 anos, que se você não comer gordura, você (basicamente) não vai engordar, estamos inclinados a acreditar. Mas como o especialista em nutrição da Escola de Saúde Pública de Harvard T.H. Chan, David Ludwig recentemente apontou, as recomendações de longa data do governo e todas as principais associações de nutrição profissionais que nos orientaram a ficar longe da gordura, foram baseadas em limitadas evidências científicas. Está na hora da comunidade da saúde confessar de fato que este investimento de 40 anos na prática e na política da saúde foi uma "experiência fracassada," diz Ludwig.

Especialistas agora admitem que nem todas as gorduras são ruins. Eles mesmos vão mais longe admitindo que algumas são saudáveis e importantes em uma dieta equilibrada. Há também vários estudos recentes que descobriram que as dietas ricas em gordura realmente produzem maior perda de peso do que as dietas tradicionais de baixo teor de gordura.

Para aqueles de vocês que se lembram, há 50 anos os hábitos alimentares giravam em torno de leite integral, molhos e cremes encorpados e molhos para salada cheios de gordura. PB & J ditou as regras como fez com as carnes gordurosas. Então este padrão alimentar foi alvo de ataques. Algumas pesquisas preliminares sugeriram que a gordura da nossa alimentação estava nos fazendo ganhar peso e entupindo nossas artérias. Como delineado em um recente parecer feito por Dr. Ludwig publicado pela CNN, ensaios clínicos surgiram fornecendo apoio para esta linha de pensamento. Os voluntários que adotam uma dieta rica em carboidratos / com pouca gordura demonstraram perder uma pequena quantidade de peso e a mantiveram por um curto período de tempo. Muitos desses estudos careciam de controle adequado, mas levantaram poucas objeções. Especialistas em saúde proclamaram que a substituição de gordura por carboidratos - qualquer carboidrato - nos ajudaria a comer menos e controlar o peso sem ter que tentar reduzir as calorias conscientemente. Nós compramos a ideia.

E isso incluía o açúcar, um ingrediente que merece destaque. Ele imediatamente se tornou o carboidrato chave. Como a gordura, o açúcar é saboroso, mas como todos os carboidratos, tem uma densidade energética muito menor do que a gordura. De uma perspectiva de equilíbrio de energia, o açúcar passou a ser visto como uma boa maneira de deslocar a gordura e calorias da dieta.

Na década de 1990 - apesar dos protestos de alguns sobre a falta de evidências científicas de alta qualidade - o governo e todas as principais associações de nutrição profissionais recomendaram que todos, depois da infância, comessem uma dieta rica em carboidratos / baixa em gordura, observa Ludwig. A indústria de alimentos aderiu rapidamente e logo estava trabalhando horas extras para substituir a gordura dos alimentos pelo amido e açúcar. Afinal, isto imediatamente ajudou a aumentar a vida útil dos seus produtos. Em breve, todas as formas de produtos açucarados foram promovidos como "baixo teor de gordura" ou "livre de gordura". Leite integral, manteiga de amendoim e molhos para saladas logo foram sendo empurrados para fora e substituídos por versões reduzidas em gordura e açucaradas. E enquanto estávamos carregando produtos doces, com baixo teor de gordura, altamente processados, fomos informados de que coisas como nozes, abacate e chocolate escuro deveriam ser evitados a todo custo.

Qual foi o resultado de tudo isso? Dentro de uma geração, a proporção de gordura em nossa dieta diminuiu. Ao mesmo tempo, as taxas de obesidade e diabetes aumentaram até onde estamos hoje, e continuamos a ver o rápido aumento nas taxas de problemas de peso e obesidade globalmente. Se as tendências atuais continuarem, podemos ter até 3,28 bilhões de pessoas com sobrepeso e obesas neste planeta em 2030. Acompanhando o aumento da obesidade, tem ocorrido uma perda anual estimada de 10% do Produto Interno Bruto global por doenças relacionadas à alimentação.

Em 2015, as diretrizes dietéticas da USDA finalmente aumentaram o limite de gordura na dieta. Isto de uma forma "não oficial" colocou um fim na era na dieta de baixo teor de gordura imposta pelo governo e associações de nutrição profissionais. O problema é - você nunca saberia. "Calado" parece ser a palavra do governo e dos profissionais de saúde quando se trata dessa falha monumental em proteger e promover a boa saúde.

As únicas certezas que podemos tirar de tudo é que, se todas as outras coisas continuam sendo iguais, se você comer mais calorias, você vai ganhar peso. E todas as outras coisas continuam sendo iguais, se você se exercitar bastante, você perderá algum peso. Sabemos que devemos andar mais, mas quanto? E correr? Se estamos falando em correr, aparentemente agora devemos saltar. O Conselho Americano do Exercício acaba de lançar um estudo que diz que saltar em um mini trampolim por menos de 20 minutos é tão bom para você quanto correr.

No passado, foram feitos estudos rigorosos avaliando o estilo de vida, necessários para chegar a algum ponto de certeza, mas de acordo com o Dr. Ludwig eles são poucos e distantes entre si. Um, por exemplo, descobriu que uma dieta mediterrânica, com frutas, legumes, peixe e azeite ou nozes, diminuiu o risco de ataques cardíacos e derrames.

Dado o número de mortes humanas e custos econômicos das doenças relacionadas à dieta atualmente, a dieta de alto teor de carboidratos / baixo teor de gordura e seus defensores, o Dr. Ludwig acredita que as ações do passado recente merecem um exame rigoroso. Até agora, parece que poucos se juntaram a ele nesta chamada.


_________________
Outros artigos interessantes:

O Fracasso Calórico - por Jason Fung


Sugestões de livros sobre a Dieta Paleo - Low Carb? Veja aqui

Saiba das novidades do Menos Rótulos por e-mail:
   
 Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram
 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.