Porque a Coca-Cola Adora o Modelo Calórico



É triste ver como somos manipulados pela industria alimentícia e farmacêutica.
De vez em quando algumas 'sujeiras' aparecem.
Neste artigo Dr Jason Fung expõe a verdade nua e crua sobre a participação da Coca Cola em numerosos estudos patrocinados para associar a obesidade com as calorias totais e a falta de exercícios, não com o consumo de refrigerantes...


Artigo publicado por Jason Fung e traduzido por Regiany Floriano

A Coca-Cola adora promover o modelo 'calorias que entram / calorias que saem' [Calories In / Calories Out (CICO)]. Como um dos principais fornecedores de bebidas açucaradas, constitui uma parcela significativa dos açúcares adicionados na dieta americana.

coke1
Cúmplice pago pela Coca Cola
Você se lembra da história da dieta Twinkie? Em 2010, Mark Haub, um pesquisador da Universidade Estadual de Kansas alcançou notoriedade como um seguidor da dieta Twinkie. Durante 10 semanas, Haub comeu um Twinkie a cada três horas em vez de uma refeição normal. Ele também comeu Doritos, biscoitos Oreo e cereais açucarados. A pegada era que ele iria comer só 1800 calorias por dia de alguns dos alimentos que mais engordam no planeta.

Nesses dois meses, ele perdeu 27 quilos, seu colesterol LDL ficou melhor assim como seus triglicerídeos. Isso ganhou a atenção de todos os meios de comunicação tradicionais, incluindo a CNN. Isto apoiou a opinião que tudo dependia das calorias. Você poderia comer o que você quisesse, contanto que você reduzisse as calorias, você ainda poderia perder peso.

Só faltava uma coisa nesta história. Uma omissão evidente. Ele foi pago pela Coca Cola. Em 2016, em resposta às críticas crescentes sobre a transparência, a Coca-Cola publicou uma lista de pesquisadores que receberam dinheiro. Mark Haub era um daqueles pesquisadores que confiavam nos bolsos profundos da Coca para financiá-lo e aos fundos dos colégios de seus filhos. Uma mudança estúpida? Dificilmente. A Coca-Cola gastou um total de US$ 2,3 milhões com esses "profissionais de saúde e especialistas científicos". No comunicado à imprensa, a Coca-Cola afirmou que esses especialistas "afirmam seus próprios pontos de vista e revelam sua relação com a The Coca-Cola Company".

Só que não. Eu ainda não vi nenhum tipo de publicação onde o covarde Mark Haub admitiu aceitar dinheiro da Coca-Cola. Ele está disposto a sacrificar sua saúde por causa de alguns dólares. Mas ele não se orgulha disso. Então, ele nunca fala sobre isso nas centenas de entrevistas e artigos na mídia sobre sua dieta Twinkie. Nos círculos acadêmicos, deturpar sua fonte de financiamento, que tem graves implicações nos resultados, equivale a mentir sob juramento. A história original soou muito melhor do que "Coca Cola paga um cara para fazer um estudo sem supervisão, não comprovado e afirma perder peso comendo Twinkies".

Isto só foi divulgado por causa do mau comportamento por parte do Balanço Energético Global da Universidade do Colorado. O que aconteceu lá? Bem, a Coca Cola deu milhões de dólares para a Universidade e os médicos para criar uma organização falsa chamada Global Energy Balance Network. Com bênçãos universitárias e "dirigidas" por médicos, seria levado mais a sério do que, digamos, uma rede chamada "O Consórcio da Coca-Cola - Por que os refrigerantes não te fazem Engordar" com o igualmente descortês acrônimo WSDMYF (Why Soda Doesn’t Make you Fat).

O que a Coca-Cola estava tentando fazer era criar uma organização de marionetes onde pudessem conduzir a "pesquisa" que "provasse" que o açúcar e os refrigerantes não te fazem engordar. Eles cuidadosamente esconderam seu nome por trás da universidade e os médicos, que foram bem pagos por sua parte.

A influência da Coca Cola é ilimitada. Eles ainda têm o poder de influenciar Hilary Clinton, e assim chegar às estratosferas do poder que são inacessíveis por meros mortais. Pena que eles só usam essa influência para ganhar mais dinheiro e vender mais água com açúcar. Saúde da nação? Quem se importa? Impostos sobre os refrigerante estão na moda agora. Em abril de 2016 Hilary Clinton estava apoiando até que num dia misterioso, ela fica em silêncio. Nenhuma retórica a respeito do apoio ao imposto sobre os refrigerantes. E-mails vazados mostram que em 20 de abril, um executivo de Coca Cola escreveu para Capricia Marshall (assistente especial de Clinton, enquanto primeira-dama) "Sério??? Depois de tudo o que fizemos?". Sim, a Coca-Cola esperava que a campanha de Clinton voltasse como um cão escorraçado. Que foi exatamente o que eles fizeram. Eles foram comprados e pagos, e eles sabiam disso.

A primeira parte para desviar uma culpa é encontrar o bode expiatório certo. Então, se a obesidade não é devida ao açúcar e refrigerantes, então o que poderia levar a culpa em vez deles? Bem, o alvo mais fácil seria as calorias. Se você simplesmente culpar as calorias totais, então, comer salada e beber Coca-Cola engorda do mesmo jeito, desde que sejam o mesmo número de calorias.

Então, logicamente, você poderia comer um prato de biscoitos no jantar, ou um número igual de calorias de salada com azeite e salmão, e ambos seriam iguais em termos de causar obesidade. Exceto o que senso comum diz que comer biscoitos no jantar todas as noites vai fazer você engordar, e comer salada todas as noites vai fazer você emagrecer.

Mas as calorias fazem o papel de bode expiatório perfeito. Não há nenhuma marca chamada "calorias". Ninguém possui a marca "calorias". Ninguém faz comida chamada "calorias". Elas estão totalmente indefesas.

A segunda coisa é promover o exercício como uma boa maneira de queimar calorias. Esta é uma boa maneira de transferir a culpa para as vítimas. Se você está com sobrepeso, agora a culpa é SUA, não da Coca-Cola. O problema não é todo o açúcar que você está bebendo, o problema é que você não está exercitando o suficiente. Naturalmente, nos anos 1950 as pessoas nunca se exercitavam por divertimento, e também não havia obesidade. E as pessoas também passavam o dia sentadas em frente à mesa trabalhando também.

Uma vez que os truques do balanço global da energia foram revelados, a Coca entrou no modo de controle dos danos. O Dr. Hill, que tinha aceitado com avidez o dinheiro, insistiu que a Coca não tinha nenhuma influência sobre suas opiniões como pesquisador. Obviamente isto foi um absurdo e foi apresentado por seus colegas numa carta escrita pelo Dr. Willett, da Universidade de Harvard, que o acusou de espalhar "um absurdo científico". Claro que era um absurdo. Mas era um absurdo lucrativo.


coke3
Uma série de e-mails obtidos pela Associated Press também confirmou que, em vez de manter em condições normais, a Coca-Cola envolveu-se ativamente no grupo, incluindo a escolha dos líderes dos grupos, elaborando a declaração de missão e logotipo. Dr. Hill, de acordo com o New York Times também propôs um estudo para "ajudar a Coca Cola a culpar a obesidade pela falta de exercícios e persuadiu a empresa a pagar por ele". Bem, Dr. Hill. Você já conhecia os resultados do seu estudo antes mesmo de o fazer?

Como parte das consequências, a Coca Cola aumentou a transparência do seu financiamento e publicou uma grande lista de lugares onde eles estavam distribuindo dinheiro. Não é altruísmo. É patrocínio. Claro e simples. A Academia de Nutrição e Dietética, representando os nutricionistas da América estava na tomada de milhões de dólares. E assim foi com Mark Haub, finalmente exposto como uma fraude depois de todos esses anos.

Há apenas alguns dias, no New York Times, Anahad O'Connor escreveu um artigo esclareceu os estudos conflitantes sobre a ligação entre as bebidas açucaradas (SSB) e obesidade e diabetes tipo 2. Ao longo dos anos, muitos estudos foram apresentados - alguns ligando SSB e alguns refutando esse link. Qual foi a diferença? Cada único estudo refutando a ligação foi financiado por uma indústria de refrigerantes como a Coca-Cola. Chocante…

Não cometa erros. Uma grande parte do esquema das indústrias de bebidas açucaradas é enganar o público, nos fazendo acreditar que todas as calorias engordam da mesma forma. Eles gastaram milhões de dólares e décadas fazendo exatamente isso. Uma caloria é uma caloria. Certo. Mas esse não é o meu ponto. Todas as calorias engordam da mesma forma? Comer biscoitos todos os dias levará ao mesmo ganho de peso do que comer salada? Só um tolo acredita nisso. Não seja tão tolo.

___________________





Sugestões de livros sobre a Dieta Paleo - Low Carb? Veja aqui


Receba as novidades do Menos Rótulos por e-mail:
 
 Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram
 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.