Jejum e o Hormônio do Crescimento


Por Jason Fung


O jejum pode ajudar na construção dos músculos e ainda ter propriedades anti-envelhecimento, através da liberação de hormônio do crescimento humano?


A fisiologia do jejum é fascinante. O poder do jejum reside não apenas na mera redução de calorias, mas nas alterações hormonais benéficas. Um dos principais benefícios vem da redução da insulina, mas também no aumento de noradrenalina, cortisol e do hormônio do crescimento.


Coletivamente, estes são conhecidos como os hormônios contra-reguladores, já que todos eles servem para aumentar a glicose no sangue no momento em que o corpo não está recebendo glicose dos alimentos. Aqui vamos nos concentrar no hormônio do crescimento humano (GH).

Texto publicado no site Diet Doctor e traduzido por Regiany Floriano.



O Hormônio do crescimento humano HGH


O HGH (ou GH) é um hormônio produzido pela glândula pituitária (glândula master), que desempenha um importante papel no desenvolvimento normal de crianças e adolescentes como o nome indica. No entanto, também tem função nos adultos. A deficiência do GH nos adultos determina acúmulo de gordura corporal, diminuição da massa magra corporal (sarcopenia) e diminuição da massa óssea (osteopenia).

Uma vez liberado pela glândula pituitária, o GH dura apenas alguns minutos na corrente sanguínea. Ele vai do fígado para o metabolismo, onde é convertido em vários outros fatores de crescimento, o mais importante deles é o Insulin-like growth factor 1 (IGF1) (fator de crescimento semelhante à Insulina 1).


Este é o mesmo IGF1 que está ligado aos altos níveis de insulina e muitos resultados de saúde deficientes, mas lembre-se, que este é um breve pulso de IGF1 do GH que dura alguns minutos, no máximo. Todos os hormônios são segregadas naturalmente em explosões muito curtas para prevenir o desenvolvimento de resistência, que requer tanto níveis elevados e a persistência dos níveis (isto de fato é como se desenvolve a resistência à insulina).


Os cientistas colheram as primeiras amostras de GH de cadáveres na década de 1950 (eeewww), mas só sintetizaram em laboratório no início de 1980. Logo depois, tornou-se uma das drogas populares para o aumento do desempenho. Os níveis normais de GH tem seu pico na puberdade (como você pode esperar) e gradualmente diminuem depois disso.


O hormônio do crescimento é tipicamente secretado durante o sono e é um dos chamados hormônios contra-reguladores. O GH juntamente com cortisol e adrenalina aumentam a glicose no sangue ao quebrar o glicogênio - por isso contrabalançam o efeito da insulina, daí o seu nome. Esses hormônios são normalmente secretados em um pulso pouco antes de acordar (04:00 ou mais) durante o "pico contra-regulador”. Isso é normal e destina-se a deixar o corpo pronto para o próximo dia, fornecendo um pouco de glicose armazenada para o sangue, onde fica disponível como energia.


Quando as pessoas dizem que você "deve" tomar café da manhã para ter energia para o dia, elas estão completamente erradas. Seu corpo já lhe deu uma boa dose de coisas boas e te abasteceu para o dia seguinte. Você não precisa encher sua cara de cereais açucarados e torradas com geleia para ter energia. Esta é também a razão pela qual a fome é menor na parte da manhã (08:00), mesmo que você não tenha comido por 12 horas ou mais.



O GH como anti-idade e construção muscular


O GH normalmente diminui com a idade e níveis anormalmente baixos podem conduzir à uma redução da massa muscular e óssea. Então, quais são os efeitos da administração de GH em pessoas idosas com níveis muito baixos? Isto foi estudado em 1990 em um artigo de New England Journal of Medicine.


Grupo 1 é o grupo do GH e o Grupo 2 é o grupo de controle (sem GH). Após mais de 6 meses, o peso total não se alterou entre os dois grupos. Mas olhe para a massa corporal magra!


O grupo do GH teve um acréscimo de 3,7 kg (8,8%) na massa magra. Isso corresponde a 8 libras de massa magra! A massa gorda diminuiu um extra de 2,4 kg (5,3 libras)! Isso é uma diminuição de 14,2%. Até mesmo a espessura da pele melhorou. Uau. Perda de gordura e ganho de massa magra (músculo, osso e pele). Isso é anti-idade, baby!


Num artigo do JAMA em 2002, resultados semelhantes foram obtidos em mulheres desta forma. Isto parece ótimo. Então, por que não usamos isto para todo mundo? Bem, há uma coisa chamada efeitos colaterais. Lembre-se que este estudo foi feito apenas com pessoas que tem níveis de GH muito baixos, não em pessoas com níveis normais.


Houve um aumento do açúcar no sangue. Isso faz sentido, uma vez que o GH é um hormônio contra-regulador. Pré-diabetes também aumentou significativamente. Houve um aumento da retenção de fluidos, bem como a pressão sanguínea. A longo prazo, há também um risco teórico de aumento do câncer de próstata e problemas cardíacos (aumento do coração). Então, isso não é uma notícia muito boa.


Injeções artificiais de GH estão fora de questão. Então será que se existe um método bem natural para aumentar o hormônio do crescimento? Que tal o jejum?



O Jejum para aumentar o Hormônio do Crescimento


Em 1982, Kerndt et al publicou um estudo de um único paciente que decidiu se submeter a um jejum de 40 dias para fins religiosos. A glicose dele despencou. Foi de 96 inicialmente, e caiu para 56. A insulina caiu muito, muito baixo. A partir de 13,5, caiu rapidamente para 2,91 e permaneceu baixa. O que é uma queda de quase 80%! Se você está preocupado com uma doença como a diabetes tipo 2, com hiperinsulinemia, nada bate o jejum para derrubar os níveis elevadíssimos de insulina.

Mas a nossa preocupação aqui é o GH. Ele começa no 0,73 e chega a picos de 9,86. Isto é um aumento de 1250% no hormônio do crescimento. Um jejum mais curto, de 5 dias, dá um aumento de 300%. Tudo isso aumenta o GH sem drogas.


E sobre os possíveis efeitos colaterais? Aumento da glicose? Não. Aumento da pressão arterial? Não. Maior risco de câncer? Dificilmente.


Outros estudos têm mostrado o mesmo aumento no hormônio do crescimento. Em 1988, Ho KY et al estudaram jejum e GH. No dia controle, você pode ver que as refeições (marcadas com M) de forma muito eficaz suprimiram a secreção de GH. Isto é esperado. Como o cortisol, o GH aumenta a glicose e, então é suprimido durante a alimentação.


O jejum é um grande estímulo para a secreção de GH. Durante o jejum, há o pico no início durante a manhã, mas há secreção regulares ao longo do dia também. Hartman et al, também mostrou um aumento de 5 vezes na GH em resposta a um jejum dois dias.


Este GH é crucial para a manutenção da massa magra - tanto músculos como ossos. Uma das principais preocupações com o jejum é a perda de massa magra. Algumas pessoas afirmam que o jejum um único dia provoque a perda de ¼ libra (pouco mais de 100g) de músculo. Estudos comprovam que isso não acontece. Na verdade, o oposto pode acontecer. Ao comparar as dietas de redução calórica com o jejum, o jejum foi 4 vezes melhor em preservar a massa magra! Pense nisso.


Vamos imaginar que nós estamos vivendo na era do Paleolítico. Durante o verão da abundância, comemos muita comida e armazenamos um pouco disto como gordura em nosso corpo. Agora chegou o inverno, e não há nada para comer. O que você acha que o nosso corpo faz? Devemos começar a queimar o nosso músculo precioso, preservando a nossa comida armazenada (gordura)? Isso não parece muito idiota?


É como se você armazenasse lenha para um forno a lenha. Você arruma um monte de lenha lá na sua unidade de armazenamento. Na verdade, você tem tanta que tem até fora da sua casa e você nem sequer têm espaço suficiente para toda a madeira que você armazenou. Mas quando chega a hora de iniciar o forno, você imediatamente corta o seu sofá e joga no forno. Muito estúpido, certo? Por que nós pensamos que nosso corpo também seria tão estúpido?


A única coisa lógica a fazer é começar a queimar a madeira armazenada. No caso do corpo, começamos a queimar os alimentos armazenados (os depósitos de gordura) em vez de queimar o músculo precioso. Algumas proteínas são catabolizadas para a gliconeogênese, mas o aumento do GH mantém a massa magra durante o jejum.




Implicações para atletas


Isso tem enormes implicações para os atletas. Isso é chamado de ‘treinamento em jejum'. O aumento da noradrenalina do jejum vai te impulsionar a treinar mais pesado. Ao mesmo tempo, o GH elevado, estimulado pelo jejum, deve aumentar a massa muscular e tornar a recuperação de um treino mais fácil e mais rápida. Isso seria uma vantagem importante para os atletas de elite, e estamos vendo cada vez maior interesse em seguir exatamente esse protocolo.


Não é por acaso que muitos dos primeiros defensores do treinamento em jejum são os fisiculturistas. Este é um esporte que exige, em particular, treinamento de alta intensidade e gordura corporal extremamente baixa para a definição.


Por exemplo, Brad Pilon, que escreveu o livro "Comer, Parar, Comer" (Eat Stop Eat) é um fisiculturista, assim como Martin Berkhan, que popularizou o método de 'jejum dos ganhos e massa magra'. De alguma forma, eu não acho que o jejum 'comeu' os músculos destes dois caras.


Então, para todos aqueles que pensavam que o jejum te deixaria cansado, ou que você não pode se exercitar durante o jejum, bem, simplesmente você está errado. O jejum não 'queima' o músculo. Não há modo 'fome' de jejum que te encolhe na posição fetal no sofá.


Em vez disso, o jejum tem o potencial para desencadear as propriedades anti-envelhecimento do GH sem nenhum dos problemas do excesso de GH (câncer de próstata, aumento do açúcar no sangue, aumento da pressão arterial). Para os interessados no desempenho atlético, os benefícios são ainda maiores.


Então, vamos ver: Treinar mais pesado. Perder peso. Recuperação mais rápida. Diminuir a insulina e a resistência à insulina. Diminuir o açúcar no sangue. Todos estes benefícios são alcançados sem drogas, suplementos ou custo. Sim, como todas as melhores coisas na vida, é grátis. Então, Por que todos estão contra isto?


Jason Fung

___________________



Se tiver interesse em adquirir um ótimo material de apoio para obter os melhores resultados no crescimento e definição dos músculos, leia o Fique Sarado! O guia definitivo para jejum intermitente



Um corpo sarado é feito principalmente na cozinha, e não na academia. A ciência da nutrição tem avançado a passos largos nesse sentido, e já reconhece que o jejum intermitente é a técnica MAIS EFICIENTE que existe para queimar gordura. Esse conhecimento foi testado e comprovado várias vezes no mundo real, com atletas profissionais e recreacionais, e não resta mais dúvida: é impossível compensar uma dieta ruim com malhação.

As coisas precisam andar juntas, e há maneiras certas de se estruturar uma dieta para ganho de definição muscular. Nesse contexto, Andy Morgan destaca-se como um dos coaches de fitness mais respeitados do mundo virtual, e é responsável pelo site RippedBody.jp. Os livros escritos por ele destrincham a aplicação de jejum intermitente para ganho de definição muscular e perda de gordura, de maneira simples e direta: neles você não vai encontrar nenhuma baboseira da indústria do fitness - só experiência prática e ciência forte, para te dar um corpo SARADO! Clique aqui.


Leia também:




Sugestões de livros sobre a Dieta Paleo - Low Carb? Veja aqui

Receba as novidades do Menos Rótulos por e-mail:
   
 Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram

 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.