O trigo moderno está deixando você gordo e doente?

Nossos ancestrais caçadores e coletores recolhiam tudo o que podiam do solo como alimento, incluindo insetos, frutos, nozes, etc. Nesta coleta, eles perceberam que os animais estavam comendo grama, e ficaram curiosos. Eles a fragmentaram e de alguma forma incorporaram este trigo selvagem em sua dieta. Esta grama foi chamada de Einkorn e tinha apenas 14 cromossomos.

As plantas podem cruzar umas com as outras e combinarem seus cromossomos. Em algum ponto no tempo, a grama selvagem Einkorn foi cruzada com outro tipo de grama selvagem e os descendentes, Emmer, acabaram com 28 cromossomos - este é o trigo que é mencionado na Bíblia. No entanto, este não é o trigo de hoje, com certeza.

Na Idade Média o pão era o principal alimento e era muito comum. A variedade Emmer foi cruzada com outra espécie de grama que contribuiu com mais cromossomos para resultar no Espelta, Triticum landraces com 42 cromossomos.

Em 1960, quando a ameaça de uma explosão da população mundial era iminente, houve um investimento em pesquisa agrícola onde muito dinheiro e tempo foram dedicados para descobrir novas maneiras de aumentar a produtividade do trigo. Neste momento, diferentes variedades de trigo foram cruzadas repetidas vezes para selecionar determinadas características e introduzir genes únicos.

O trigo resultante produziu até 10 vezes mais por acre. Quando este trigo foi introduzido em muitos países do terceiro mundo, a fome foi muito reduzida no prazo de um ano. Dr. Norman Borlaug recebeu o Prêmio Nobel da Paz pelo seu trabalho criando essa linhagem de trigo com alto rendimento.

Este trigo tão produtivo assumiu quase toda a oferta de trigo no mundo. Há também cerca de um milhão de acres do que é conhecido como trigo Clearfield sendo cultivados no Noroeste do Pacífico. É uma variedade semi anã de trigo, que teve suas sementes e embriões expostos a um produto químico, a azida de sódio, que é uma toxina industrial.

Realmente, nos poucos casos de ingestão humana, o Centro de Controle de Intoxicações alertou as pessoas para não efetuarem o procedimento de respiração boca-a-boca porque a pessoa que fizer poderá acabando ingerir o produto químico e morrer. Além disso, se a vítima vomitar, as pessoas foram alertadas para não vomitarem na pia porque pode explodir. Isto é para mostrar o quanto é realmente perigoso este produto químico.

Os fabricantes do trigo Clearfield alegam que o trigo é resultado de "melhoramento das técnicas de produção vegetal tradicionais", fazendo uma distinção com o trigo geneticamente modificado. No entanto, embora não tenham sido usadas técnicas de manipulação genética, foram muitos outros métodos, tais como a indução de mutações intencionais que utilizam produtos químicos, técnicas de raios-x e por radiação, altas doses para induzir mutações acopladas com cruzamento. Estes métodos são muito piores do que a modificação genética, segundo o Dr. William Davis, autor do livro Barriga de Trigo.

O governo diz para comer mais trigo - o que dizer sobre isso?

O governo nos diz que precisamos comer mais grãos, o que significa mais trigo. Mais de 90% de todos os grãos consumidos correspondem ao trigo. A pirâmide alimentar aconselha a comer 60% das calorias provenientes do trigo. O novo design do prato alimentar também nos diz para obtermos pelo menos 1/4 das nossas calorias a partir do trigo. Veja por que precisamos parar de ouvir o que nosso governo está nos dizendo sobre a pirâmide alimentar:

O Trigo moderno é um estimulante do apetite

Estima-se que até 10% da população tenha uma sensibilidade à proteína do trigo conhecida como glúten (algumas estimativas podem ser mais elevadas, perto de 30%). No entanto, os outros 90% das pessoas que consomem trigo realmente não deveriam estar comendo-o também. Aqui estão algumas razões:

- O glúten é uma proteína que é composta por duas partes: a gliadina e a glutenina (gluteína). A glutenina tem uma elasticidade única que confere a capacidade de esticar a nossa pizza ou a massa de pão ou mesmo girá-la sobre nossas cabeças se quisermos. A gliadina, a outra parte da proteína do glúten, foi amplamente estudada na década de 1970 por psiquiatras que descobriram que se eles tirassem todo o trigo da dieta de seus pacientes com esquizofrenia, estes melhoravam significativamente. Quando eles colocaram o trigo novamente na alimentação, eles observaram que o estado de saúde dos pacientes piorou. Assim, a pergunta era o que estava no pão que levou os esquizofrênicos a terem alucinações? Rastrearam até descobrirem que a proteína gliadina que, quando ingerida, entra no cérebro e se liga a receptores opiáceos, onde estimula o apetite.

Além disso, a gliadina, agindo como um opiáceo no cérebro, tem outros efeitos desastrosos. Por exemplo, as pessoas com TDAH tornam-se hipersensíveis e têm explosões de comportamento, as pessoas com esquizofrenia têm grandes alucinações, pessoas que são bipolares tornam-se cada vez mais maníacas e aqueles com transtornos alimentares, como a compulsão alimentar, desenvolverão obsessões alimentares.

Por volta de 1985, tudo no supermercado era feito com trigo que veio da linhagem produtiva semi-anã ou um derivado. Curiosamente, se você comparar o que aconteceu com o peso da América, antes e depois de 1985, é evidente que houve uma explosão da obesidade que ainda está acontecendo até hoje, logo após que o "novo" trigo foi introduzido.

Um grande aumento no número de diabéticos também surgiu. Apesar de causa e efeito não poder ser provada cientificamente - parece evidente que todos nós temos sido alimentados com um estimulante do apetite.



O trigo moderno aumenta o açúcar no sangue

Duas fatias de pão de trigo integral elevam o açúcar no sangue mais alto do que 6 colheres de chá de açúcar de mesa. Como isso pode acontecer quando trigo integral é considerado um carboidrato complexo que somos incentivados a comer? O carboidrato complexo do trigo é chamado de amilopectina A, que é altamente sensível à amilase, uma enzima que temos na boca e no estômago. Isto facilita muito a digestão e rapidamente aumenta o açúcar no sangue. Trigo no café da manhã, trigo no almoço e trigo nos lanches resulta na gordura visceral que circunda o intestinos, coração, fígado e rins. Repetitivos resultados elevados de açúcar no sangue é o que o Dr. Davis chama de "barriga de trigo".

O trigo moderno provoca inflamação

Quando as bactérias ou vírus penetram no sistema imune, nosso corpo responde de muitas maneiras. As plantas não têm o mesmo tipo de sistema imunológico, mas elas têm as lectinas que são proteínas tóxicas aos bolores, insetos e fungos. Algumas lectinas são benignas para os seres humanos, como a lectina presente no espinafre, enquanto algumas são muito tóxicas. A lectina presente no trigo (germe de trigo Agglutinin) é uma molécula complexa de quatro partes.

Quando esta lectina é isolada e administrada a ratos em quantidades muito pequenas, ela destrói o intestino delgado. Em média os americanos consomem cerca de 10-20 mg desta lectina do trigo em um dia, isso é suficiente para causar danos significativos.
Quando consumimos trigo, a proteína gliadina destrói a barreira intestinal normal e permite a entrada de substâncias estranhas na corrente sanguínea - substâncias como a lectina do trigo. É por isso que as pessoas que comem trigo têm dificuldades autoimunes e inflamatórias, tais como a inflamação das articulações, inflamação intestinal, refluxo ácido, inflamação do cérebro, inflamação das vias aéreas, etc. Na verdade, não há um sistema que escape do ataque inflamatório do trigo.

O que acontece quando removemos o trigo da nossa dieta?

Primeiro de tudo, tirar o trigo da dieta não é tão fácil como se poderia pensar - ele está em uma grande quantidade de alimentos - mesmo aqueles que não associamos que contenham trigo. Por exemplo, o trigo está em balas de gomas, sopas, temperos, refeições congeladas, cereais, molhos para saladas, barras de granola e muito mais. Por que há trigo em tantos produtos?

Em 1960, nós poderíamos encontrar trigo somente onde se esperaria encontrar trigo - pães, massas, mistura para panquecas, etc. Hoje é uma história completamente diferente - o trigo está em todos os tipos de alimentos, mesmo nos que não seria esperado encontrá-lo.

É possível que os fabricantes de alimentos saibam pouco sobre o efeito estimulante do apetite pelo trigo (além do fato de que ele é amplamente subsidiado pelo governo e, portanto, artificialmente barato)?

O Impacto de uma dieta Livre de Trigo

Dr. Davis relaciona alguns resultados da remoção do trigo da dieta:


Dramática perda de peso
Redução do apetite
Redução do açúcar no sangue
Diminuição das dores nas articulações
Redução da inflamação
Melhoria da função cognitiva
Redução da ansiedade
Redução das obsessões alimentares
Redução da pressão sanguínea
Redução dos triglicerídeos
Aumento da energia
Melhora no sono

E quanto a uma alimentação livre de glúten?

Embora ingerir alimentos sem glúten seja uma coisa boa porque evita problemas com o glúten e a gliadina, germe de trigo, aglutinina e a amilopectina A, os alimentos sem glúten contém outras coisas, principalmente o amido de batata, o amido de arroz, o amido da tapioca e o amido de milho. Estes são os únicos alimentos que elevam mais o açúcar no sangue do que a  amilopectina A encontrada no trigo.
Aviso: Se você optar por alimentos sem glúten, evite os produtos sem glúten industrializados, pelo menos até você aprender sobre as diferenças entre os vários produtos sem glúten disponíveis no mercado.


O que posso eu comer?

Coma alimentos como o ingrediente único, real, tanto quanto possível. Você pode comer nozes, gorduras saudáveis, frutas orgânicas / legumes, carne de animais criados a pasto, frango e peru orgânico, salmão selvagem, queijo, ovos orgânicos, coco, abacate, sementes de linhaça, óleos de oliva e de cânhamo, bem como uma variedade de outros alimentos que estão em seu estado natural. Quanto mais refinada for a comida, maior a probabilidade de conter trigo e outros subprodutos do processo de refinamento que são muito perigosos para a sua saúde.


Artigo publicado aqui e traduzido por Regiany Floriano.


___________________


Leia também

Os efeitos do trigo mesmo em quem não tem Doença Celíaca

A Sensibilidade ao Trigo é Subjetiva?

O trigo e a FOME

Você tem medo da Síndrome da Deficiência de Grãos?




Sugestões de livros e programas sobre a Dieta Paleo - Low Carb? Veja aqui


 Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram

 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.