Atleta ganhou seu terceiro título depois de aderir à Low Carb

Chris Froome ganhou seu terceiro título do Tour de France em quatro anos, seguindo uma dieta Low carb, rica em proteínas

Artigo publicado aqui e traduzido por Regiany Floriano

"Seu sucesso pode ser atribuído a uma perda maciça de peso, ajudando a explicar a sua melhora observada como vencedor na Tour de France", William Fotheringham pelo The Guardian observou.

"O motor estava lá o tempo todo", Jeroen Swart, um médico do esporte e fisiologista do exercício na Universidade de Cape Town, disse Richard Moore para a revista Esquire. "Ele só perdeu a gordura".

Antes de sua série de vitórias, Chris era relativamente desconhecido até que ele ficou em segundo lugar na Vuelta a España 2011 (Volta da Espanha).

Nos anos antes da Volta da Espanha, ele pesava cerca de 76kgs e dizia "[Eu] sempre soube do problema de peso", mas aceitava. "Passar fome o fez diminuir o peso e chegar em segundo lugar na Espanha. "Basicamente, eu acho que eu perdi o peso para a Vuelta de 2011 de uma forma doentia. Eu estava morrendo de fome para tentar chegar no peso e eu não acho que isso seja saudável ou sustentável".

Michelle Cound, atual esposa de Chris, disse na época: "Ele passou fome antes da Vuelta, depois que ele voltou para a África do Sul foi quando começamos a namorar. Eu sempre tive um pouco de interesse em nutrição esportiva e minha visão era de que ele ainda poderia treinar com mais proteína e cortando os carboidratos em determinados momentos".

Antes de sua primeira vitória em 2013, ele já havia perdido 10kgs, e ele conseguiu mantê-lo desde então cortando os carboidratos e aumentando a proteína.

Michelle também disse: "Ele tem uma queda por doces. Mas agora ele descobriu que se ele cortar os carboidratos perde peso muito mais facilmente do que no passado. Cortar os alimentos como cereais matinais e muitos dos produtos com trigo e pães, mas mesmo assim comer o suficiente - os alimentos certos - para que ele não sinta fome durante o dia. Se você olhar para ele na Vuelta de 2011 em comparação com agora, ele ainda está magro, mas seus músculos parecem muito mais definidos. Então agora ele descobriu o jeito certo".

Chris acrescentou: "Na Vuelta daquele ano (2011), eu acho que meus músculos estavam provavelmente mais leves. Eu estava bastante desengonçado. Você não iria olhar para mim e dizer: "Essa é uma pessoa forte". Considerando agora, minha dieta é muito mais baseada em proteína. Eu cortei os carboidratos completamente, mas eu não estou perdendo músculos".

Perguntamos para Chris se foi fácil perder peso:

"Não, eu avalio bastante a qualidade da comida que estou comendo - frutas orgânicas, vegetais e carne, sempre que possível. É um erro comum pensar que porque estamos treinando cinco ou seis horas por dia, que podemos comer o que quisermos e queimar tudo. É realmente um caso de observar cada pequena coisa que você coloca na boca e como isso vai beneficiar você. Então seu corpo realmente responde aos ajustes".

"A perda de 20 libras de peso (quase 10 kg) lhe permitiu melhorar sua performance na bicicleta, especialmente nas montanhas. Em termos científicos, a sua relação potência-peso - uma medida chave utilizada para expressar o desempenho de um atleta - é cerca de 6,25 W / kg, o que causa inveja em quase todos os ciclistas. Após o corte, estima-se que Froome tenha aumentado esta sua proporção potencia-peso em 10%".

Perdendo peso, Chris tornou-se uma máquina de corrida média e magra!

Chris postou sua refeição de um dia de descanso no Twitter, o que nos parece 100% Banting, mas tire suas próprias conclusões:

Parabéns Chris, muitas vitórias futuras!

Para ler o resto do artigo original, clique aqui.

_________________

Leia também

Corredores em LOW-CARB queimam 50% mais gordura do que aqueles que consomem muitos Carboidratos



Sugestões de livros sobre a Dieta Paleo - Low Carb? Veja aqui 


 Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram

 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.