Você pode comer para vencer o Diabetes (tipo 2) - Por Michael Mosley

Você pode comer para vencer o diabetes - então por que os médicos não dizem como? 

O homem por trás da revolucionária Dieta 5: 2 revela exatamente o que deve estar no seu prato.

Artigo publicado no Daily Mail em 18/06/16 e traduzido por Regiany Floriano

Por Dr. Michael Mosley

Quando fui para a faculdade de medicina, aprendi muito sobre anatomia, bioquímica e fisiologia, mas quase nada sobre nutrição ou atividades físicas.

Como o guru americano de saúde holística, Dr. Andrew Weil apontou em uma recente reunião da Royal Society of Medicine: "Os profissionais de saúde devem ser capazes de informar aos pacientes sobre os benefícios dos alimentos, mas eles não podem porque eles não aprenderam os princípios básicos".

E isso está acontecendo em um cenário de uma das maiores crises de saúde da nossa era: os sempre crescentes níveis de açúcar no sangue. 

Pelo menos o dobro de muitos, inconscientemente, têm pré-diabetes, uma condição na qual os níveis de açúcar no sangue estão elevados, mas ainda não na faixa diabética. A maioria destes vai acabar desenvolvendo diabetes.

Muitos médicos ainda acreditam que uma vez que você tenha diabetes tipo 2, é uma doença progressiva, irreversível e o melhor é iniciar a medicação o mais cedo possível. Mas eu não.
No Reino Unido, mais de quatro milhões de pessoas agora têm diabetes tipo 2, o tipo que geralmente está associado ao excesso de peso.
Quatro anos atrás eu perdi 22 libras (10kg), reverti o meu próprio diabetes e, com base nas pesquisas feitas por um dos especialistas em diabetes mais importantes do mundo, agora escrevi um livro mostrando como os outras  pessoas podem fazer o mesmo. A chave para a resolução deste problema é a perda de peso rápida, mas também é sobre comer os alimentos certos. No entanto, há uma grande confusão até mesmo na comunidade médica sobre quais são esses alimentos.

Então, se você estiver com sobrepeso, diabetes tipo 2, pre-diabético, ou simplesmente curioso, aqui estão as coisas que você deve saber ... mas é pouco provável que o seu médico conte a você:

Eu inventei meu próprio prato 'Coma Melhor', que mostra mais ou menos o que você deve comer e em que proporções, enquanto em uma dieta low-carb Mediterrânea.

PRATO 'COMA MELHOR' do Dr Mosley -  a Dieta Low Carb Mediterrânea

A Dieta Low Carb Mediterrânea: Metade do prato, são frutas e vegetais, com atenção às frutas que são ricas em açúcar. A outra metade é composta pelas proteínas, gorduras e carboidratos - com maior ênfase nos primeiros 2 grupos.

VEGETAIS: baixos em calorias, mas ricos em fibras vitaminas e outros nutrientes. Coma uma variedade de vegetais de cores diferentes, para ter uma oferta de diferentes fitonutrientes, substâncias que protegem a planta do ataque de germes e fungos e nos protege contra várias doenças.
Batatas não são classificadas como vegetais (apesar de serem nos EUA), então não fazem parte dos seus 5 por dia.

PROTEÍNA E GORDURA: essenciais para o desenvolvimento muscular e um saudável sistema imune. Coma ovos, laticínios integrais (principalmente iogurte) e frango. Na Dieta Mediterrânea, peixe e outros frutos do mar ocupam o lugar de destaque como fonte de proteína animal. Castanhas, nozes e sementes são recomendadas. Coma carne vermelha ocasionalmente e processados como bacon, hambúrgueres e salsichas não mais que duas vezes por semana.

FRUTAS NÃO TROPICAIS: Há o equivalente a 9 colheres de chá e açúcar e 150 cals em um modesto copo de suco de laranja. Comer a fruta inteira é melhor porque muito da fibra e nutrientes estão na casca e as fibras ajudam a retardar a absorção de açúcar. Frutas tropicais como uvas e melão tem menos fibras e mais açúcar do que peras e maçãs.

CARBOIDRATOS LENTOS: carboidratos deveriam ser uma parte importante da dieta de qualquer pessoa. Tradicionalmente nós fomos incentivados a encher nossos pratos com pães, massas, batatas e arroz, mas  estes são rapidamente convertidos em glicose (açúcar) no sangue - especialmente problemático para diabéticos. Escolha alimentos ricos em carboidratos que sejam liberados lentamente  como lentilhas, quinoa, trigo bulgur.

AZEITE DE OLIVA, VINHO TINTO E CHOCOLATE ESCURO: Azeite de oliva deve ser a fonte de gordura favorita. Use livremente. Beber um copo de vinho tinto por dia pode reduzir o risco de pré-diabetes, pressão alta e colesterol alto. Bolos, pasteis e outros pudins devem ser vistos como sobremesas ocasionais e não como parte do seu cardápio diário. Um consumo modesto de chocolate de boa qualidade com mais de 50% de cacau, tem mostrado bons efeitos e não influencia na perda de peso.

ÁGUA FRESCA E GELADA - Escolha bebidas refrescantes não alcoólicas no lugar de bebidas carregadas com açúcar. Eu recomendo água gelada com fatias de limão, lima ou pepino. Eu não sou fã dos adoçantes artificiais pois há evidencias de que podem causar inflamação no intestino.


1. Dietas com pouca gordura não funcionam

Pesquisadores de Nutrição da Escola de Saúde Pública de Harvard , recentemente escreveram: "Enquanto o baixo teor de gordura foi a dieta do dia, pesquisas posteriores mostraram que as dietas de baixa gordura são ineficazes e ingerir gorduras saudáveis faz bem".

Eles apontam que uma grande redução no consumo de gordura nos EUA, ao longo das últimas décadas (de 45 por cento de uma dieta típica para 33 por cento), foi seguido não por uma queda, mas por um aumento dramático nas taxas de obesidade e diabetes.

Um dos maiores e mais caros estudos alimentares já realizados, o da Iniciativa da Saúde da Mulher - Teste de Modificação da Dieta, também não mostrou qualquer benefício em seguir uma dieta de baixa gordura.

Neste estudo, 49.000 mulheres foram aleatoriamente distribuídas em uma dieta com baixo teor de gordura ou continuaram comendo a de costume.
As mulheres alocadas para a dieta de baixa gordura receberam muito apoio alimentar e conseguiram reduzir drasticamente o seu consumo de gordura.

Mas depois de oito anos de acompanhamento, elas não estavam melhores do que o grupo controle, tanto em termos de peso ou em relação às taxas de doenças cardíacas, câncer ou derrame.

Uma das melhores dietas para a saúde em geral, é uma dieta do estilo mediterrânico, que é relativamente rica em gordura e pobre em carboidratos. Ela inclui não apenas grande quantidade de óleos de peixe, azeite de oliva e nozes, mas também vinho e chocolate escuro

2. Dietas Saudáveis podem ser ricas em Gordura

Foto: Michael Mosley diz que devemos adotar
uma dieta de estilo mediterrânico,
para melhorar a nossa saúde e bem-estar
Evidências para os benefícios desta dieta vêm de vários estudos, um mais impressionantes é o intitulado Prevenção Primária da Doença Cardiovascular com uma Dieta Mediterrânea - ou Predimed.

Iniciado em 2003, este foi um enorme e muito caro estudo controlado randomizado envolvendo mais de 7.400 espanhóis, muitos deles diabéticos tipo 2. Os voluntários foram atribuídos ou a uma dieta padrão com baixo de teor de gordura, com lotes de alimentos ricos em amido, como batatas e massas, ou a uma dieta mediterrânea.  Não muita pizza ou massas.

Ambos os grupos foram incentivados a comer mais frutas e vegetais e minimizar os alimentos processados, incluindo bolo, biscoitos, salame e bacon.

Apenas o grupo de dieta Mediterrânea foi incentivado a consumir azeite de oliva, nozes, ovos e peixes gordurosos. No seu cardápio também tinha iogurte integral (com gordura), vinho com as refeições e chocolate escuro.

Ao final do experimento, em comparação com aqueles na dieta de baixa gordura, as mortes por doença cardíaca e derrame caíram em 30 por cento e as chances de se tornar um diabético também ficaram 50 por cento mais baixas.

Nas informações do NHS (o órgão de saúde publica da Inglaterra), que fornece informações ao público, eles aprovam a dieta mediterrânea. No entanto, curiosamente, prosseguem afirmando: "Você pode fazer a sua dieta mais de estilo mediterrânico comendo vários alimentos ricos em amido, como pães e massas".
E acrescentam: "A dieta é semelhante às recomendações para uma alimentação saudável do Governo estabelecido no 'Guia Eatwell'.
Só que claramente não é.

O prato do Guia Eatwell recomenda uma dieta padrão com baixo teor de gordura, com alta quantidade de carboidratos e inclui apenas alguns dos elementos que compõem a dieta mediterrânea particularmente saudável.

Não é de se admirar que o público - e os médicos - estejam confusos.
O chocolate escuro fizer parte de uma dieta mediterrânea, bem como o vinho e proteína
das carnes, ovos, nozes, peixe e produtos lácteos.


3. Os clínicos gerais estão sob pressão para prescrever medicamentos em vez de ajudar os pacientes a emagrecer

Dr David Unwin, um Clínico Geral (CG) em Stockport que é apaixonado por espalhar a palavra sobre nutrição e diabetes, vem recomendando uma dieta rica em gordura com relativamente baixo teor de carboidratos, para seus pacientes há algum tempo.

Ele publicou estudos mostrando que os pacientes que seguiram seus conselhos não só perderam peso e o mantiveram, como foram capazes de reduzir a sua medicação, poupando dezenas  de milhares de libras ao NHS. No entanto, esta abordagem ainda é vista como um modismo. "Outros médicos dizem que o que eu faço é perigoso", diz ele.

Em algumas regiões, os clínicos gerais são penalizados financeiramente se não prescreverem medicamentos aos pacientes imediatamente. Uma CG me contou que tinha perdido recentemente o financiamento, porque, como ela mesma disse: "Estamos ajudando os pacientes a controlarem seu elevado açúcar no sangue através da dieta e, como resultado, não estamos prescrevendo medicamentos suficientes para atingir nossas metas".

Certamente não seria melhor dar aos pacientes a oportunidade de assumirem o controle de sua própria saúde, antes de iniciar uma vida sob medicação?


4. A perda de peso rápida pode ser mais eficaz do que a 'lenta e constante'

O conselho convencional é para perder peso gradualmente, cerca de uma libra (450g) ou menos em uma semana. No entanto, como alguns dos especialistas líderes em obesidade da América publicaram recentemente no New England Journal of Medicine, a evidência é que " a maior e mais rápida perda de peso inicial está associada com menor peso corporal em [a] longo prazo".

Estudos realizados pelo Professor Roy Taylor, da Universidade de Newcastle, cujas pesquisas constituem a base do meu novo livro, A Dieta 8 Semanas do Açúcar no Sangue, têm demonstrado que seguir uma dieta de 800 calorias por oito semanas leva à uma perda de peso média de 13kg e pode reverter o diabetes tipo 2 na maioria dos casos. Mesmo uma modesta perda de peso, principalmente se for na região da cintura, pode ajudar.

Se você é um pré-diabético e perder, digamos, sete por cento do seu peso corporal, isso vai cortar o risco de se tornar diabético em  60 por cento. Se tiver mais de 65 anos, será mais de 70 por cento. Na verdade, estudos têm mostrado que, para cada quilo que você perca, você corta o risco em cerca de 16 por cento.
Frutas devem ser uma parte importante de uma dieta, mas deve-se dar prioridade
aos vegetais que têm menor teor de açúcar.

5. Atividades físicas não vão ajudar a perder peso

Praticar atividades físicas queima calorias, então certamente isto vai ajudar você a perder peso?
Infelizmente, não é o que geralmente acontece.

O problema é que as pessoas subestimam o quanto de exercício que elas precisam fazer. Para queimar um muffin (bolinho), você teria que correr pelo menos quatro milhas (6km) em um ritmo moderado.
Para queimar 1 kg de gordura, você teria que correr pelo menos duas maratonas.

Nós tendemos a nos recompensar a prática de exercícios comendo mais, enquanto inconscientemente compensamos as calorias queimadas nos movendo menos.

Exercícios são ótimos para o coração e para o cérebro, e é uma forma importante de controlar os níveis de açúcar no sangue. Mas o corte de calorias e a mudança do que você está comendo é uma maneira mais eficaz de conseguir a perda de peso.


6. É bom passar fome

As orientações convencionais dizem que você deve evitar ficar com fome, porque senão vai acabar devorando alimentos não saudáveis.

Isso é o que eu costumava acreditar até que eu comecei a pesquisar algo chamado "jejum intermitente" para um documentário científico chamado 'Comer, Jejuar, Viver mais'.

Isto levou à invenção do que eu chamei a Dieta 5: 2, onde você corta cerca de um quarto das suas calorias por dois dias na semana (600 cals para homens, 500 para as mulheres). Nesta dieta, eu perdi 10 kg e reverti o diabetes. Muitos outros têm feito isso com sucesso semelhante.


7. Beber álcool pode ser bom para você

Beber grandes quantidades de álcool é ruim para você e ajuda a aumentar o peso. Um pequeno copo de vinho ou um copo de cerveja pode chegar a cerca de 200 calorias.
O álcool também reduz suas inibições, de modo que te deixa mais propenso a petiscar e provavelmente a tomar mais um copo.

Por outro lado, é pouco provável que fará muito mal beber um copo de vinho durante a sua refeição da noite, e as provas a partir de uma série de estudos é que isto pode fazer bem.

Michael Mosley é o autor de A Dieta das 8 Semanas de açúcar no sangue. Para mais informações, vá para www.thebloodsugardiet.com.


___________________
Leia também:






Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram

 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.