Anos de Conselhos Nutricionais Desastrosos para a Saúde


"Coma gordura para emagrecer": Conselhos Nutricionais Oficiais são"desastrosos" para combater a obesidade, adverte um novo relatório.

Artigo publicado no The Telegraph em 23/05/2016, traduzido por Regiany Floriano.

Por  Henry Bodkin 

Trinta anos de conselhos de saúde emitidos pelas autoridades pedindo que as pessoas adotassem dietas de baixa gordura e diminuíssem o seu colesterol está tendo "consequências desastrosas para a saúde", levando a obesidade, alertou ontem uma instituição de caridade.

"Comer gordura não te faz engordar", afirma um novo relatório do Fórum Nacional de Obesidade (NOF) e com a Colaboração em Saúde Pública, eles exigiram uma grande revisão de diretrizes autoridade alimentares.

O relatório diz que a mensagem de reduzir o teor de gordura e a redução do colesterol, que tem sido a política oficial no Reino Unido desde 1983, foi baseada na "ciência imperfeita" e resultou em um aumento do consumo de comida lixo (junk food) e carboidratos.

O documento também acusa os principais órgãos de saúde pública de conspirarem com a indústria de alimentos, e disse que o foco extraviado mostrou que a Grã-Bretanha estava falhando em resolver uma crise de obesidade que está custando ao Sistema Nacional de Saúde £6 bilhões por ano.

Os autores apelam para um retorno aos "alimentos integrais", tais como carne, peixe e produtos lácteos, bem como aos alimentos saudáveis com alto teor de gordura como os abacates.

O relatório, que provocou uma ampla reação entre a comunidade científica, também argumenta que a gordura saturada não causa doença cardíaca, enquanto que os produtos lácteos com gordura (integrais), como leite, iogurte e queijo, podem realmente proteger o coração.

Professor David Haslam, presidente do NOF, disse: "Como clínico trato pacientes durante o dia todo todos os dias, logo percebi que as diretrizes do alto sugerindo dietas com alto teor de carboidratos, com baixa gordura foram a panaceia universal, falharam profundamente.

"Os esforços atuais falharam, os níveis de obesidade maiores do que nunca são a prova, e não mostram nenhuma chance de redução, apesar dos melhores esforços do governo e cientistas."

Os alimentos processados rotulados como "baixo teor de gordura", "light", "baixo colesterol" devem ser evitados a todo o custo e as pessoas com diabetes tipo 2 devem comer uma dieta rica em gordura ao invés de uma baseada em carboidratos, o relatório insiste.

Dr Aseem Malhotra, cardiologista consultor e membro da Colaboração em Saúde Pública, um grupo de médicos, disse que as orientações dietéticas que promovem os alimentos com baixo teor de gordura "talvez tenham sido o maior erro na história da medicina moderna, resultando em consequências devastadoras para a saúde pública".

"Infelizmente este conselho inútil continua a ser perpetuado", disse ele.

"O guia atual Eatwell de Saúde Pública da Inglaterra é, na minha opinião mais como uma bomba relógio metabólica do que um padrão alimentar propício para uma boa saúde".

Dr Malhotra também sugeriu que a integridade científica do conselho PHE tinha sido comprometida por interesses comerciais.

"Temos que mudar urgentemente a mensagem ao público para reverter a obesidade e diabetes tipo 2", acrescentou.

"Coma gordura para emagrecer. Não tenha medo da gordura; a gordura é sua amiga." 
Dr Aseem Malhotra


Os lanches entre as refeições é uma das principais causas da crise atual de obesidade, defende o relatório, enquanto que a adição de açúcar deve ser evitada porque "não tem nenhum valor nutritivo".

A contagem de calorias também é um falsa questão prejudicial quando se trata de controlar a obesidade, segundo o relatório do NOF, as calorias provenientes de diferentes alimentos têm "efeitos metabólicos completamente diferentes sobre o corpo humano, tornando essa definição inútil".

Da mesma forma, "você não pode correr mais que uma má alimentação", os autores afirmam, citando o pressuposto "incorreto" dominante entre o público que a solução para a obesidade esteja em queimar mais calorias do que são consumidas.

"A obesidade é um distúrbio hormonal que leva a o acúmulo de energia anormal que não pode ser resolvido apenas aumentando o exercício", diz o relatório.

Respondendo ao documento do NOF, o Professor Iain Broom, da Universidade Robert Gordon disse: "A continuação de uma política alimentar recomendando uma alimentação rica em carboidratos, com baixo teor de gordura, a ingestão de calorias reduzidas como sendo uma alimentação saudável, está condenada ao fracasso.

"Nossas populações por quase 40 anos foram submetidas a um experimento mundial descontrolado que tem sido drasticamente errado".

No entanto, cientistas de diversas áreas têm criticado o relatório e questionaram a sua base comprobatória.

Dr. Mike Knapton, Diretor Associado da Medicina da Fundação Britânica do Coração (BHF), disse que as descobertas do NOF estão "cheias de ideias e opiniões", mas não podem ser consideradas como uma revisão abrangente de evidências.

"A epidemia de obesidade deste país não é causada por orientações dietéticas pobres; é que não estamos conhecendo-as", disse ele.

O Professor Naveed Sattar, professor de Medicina Metabólica na Universidade de Glasgow, disse: "A manchete principal do relatório - simplesmente comer mais gordura - é altamente controversa e pode ter consequências adversas para a saúde pública".

Enquanto isso, a Dra. Alison Tedstone, nutricionista-chefe da Saúde Pública da Inglaterra, defendeu o último parecer do orgão.
"A atualização do modelo Eatwell foi conduzida abertamente usando abordagens científicas robustas", disse ela.

"As orientações foram geradas a partir de um grupo de referência externa envolvendo as partes interessadas, incluindo representantes de voluntários e da indústria de saúde para garantir que uma ampla gama de pontos de vista fossem considerados".


Principais conclusões | relatório do Fórum Nacional de Obesidade 

Comer gordura não te faz engordar

Evidências de vários ensaios revela que um maior teor de gordura, baixo carboidrato dieta é superior a uma dieta de baixa gordura para perda de peso e redução do risco cardiovascular.

Pare de contar calorias
Calorias de alimentos diferentes têm diferentes efeitos metabólicos no corpo, por isso, a contagem de calorias cumulativa não tem sentido.

Você não pode correr mais que uma má alimentação
A obesidade é um distúrbio hormonal que leva a compartimentalização (estoque) de energia anormal, que não pode ser resolvida apenas aumentando o exercício.

As gorduras saturadas não causam doenças cardíacas e o leite integral, provavelmente tenha efeito de proteção
Uma nova meta-análise da evidência disponível quarenta anos atrás não suporta as restrições de gordura na dieta.

Evite a todo o custo: "alimentos processados rotulados como" baixo teor de gordura "," light "," baixo colesterol "ou" comprovado que reduz o colesterol".
Não existe nenhuma única peça de evidência demonstrando que a redução de gordura saturada na dieta reduz os eventos cardiovasculares e morte.

Lanches vão fazer você engordar
O aumento da frequência das refeições desempenha um papel igual, se não maior na obesidade e tem sido amplamente ignorado.


________________

 Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram

 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.