Pare de beber Leite Desnatado!


Desde quando o produto industrializado poderia ser melhor que o alimento natural?
A industria trabalhou direitinho para nos convencer disto, mas as informações estão aí!
Faça a sua escolha, consciente!



Laticínios integrais reduzem o risco de diabetes - e ajudam a perder peso


Artigo publicado no Daily Mail em 07/04/2016 e traduzido por Regiany Floriano



Décadas de conselhos alimentares vem nos martelado que o leite desnatado é melhor do que o integral.
O teor de gordura reduzido foi aclamado como sendo benéfico para a saúde - e vital em ajudar a manter a obesidade em cheque.

Mas agora, dois novos estudos revelaram que pode ser melhor permanecer com a opção integral.

Os cientistas constataram que as pessoas que consomem produtos lácteos com gordura geralmente pesam menos do que aquelas que bebem as versões desnatadas.

Além disso, aqueles que bebem leite integral têm 46 por cento menos chances de desenvolver diabetes do que os que preferem as versões com baixo teor de gordura.

As conclusões vêm junto com a Organização Mundial de Saúde informando que o mundo está enfrentando níveis "surpreendentes" de diabetes, com a doença mortal afetando atualmente 422 milhões de pessoas em todo o mundo.

O número de adultos com a doença quadruplicou em apenas 34 anos, estimando-se que uma em cada 11 pessoas esteja diabética, de acordo com a OMS.

Durante várias décadas, as principais orientações dietéticas têm recomendado produtos lácteos com baixo teor de gordura - bem como evitar quaisquer laticínios integrais, com alto teor de gordura.
Essas diretrizes foram baseadas em previsões sobre a saúde óssea e doenças cardiovasculares.

No entanto, nem o baixo teor de gordura, nem os laticínios integrais, revelaram ter efeitos importantes sobre os fatores de risco de doença cardíaca tradicionais, de acordo com uma equipe de cientistas da Universidade de Tufts.

Os cientistas analisaram o sangue de 3.333 adultos que participaram do Nurses Health Study e Health Professionals Follow-up Study, feitos ao longo de 15 anos.

O estudo, publicado na revista Circulation, determinou que as pessoas que consumiam níveis mais elevados de laticínios com gordura apresentaram um risco reduzido de desenvolver diabetes do que aqueles com níveis mais baixos.

Os cientistas determinaram que três biomarcadores lácteos - plasma de 15: 0 e 17: 0, e trans-16: 1 n-7-, bem como os ácidos graxos são responsáveis pela menor incidência de diabetes.

Os cientistas escreveram: "Estes resultados fornecem novas evidências sobre associações entre os ácidos graxos circulantes dos derivados de lácteos e o risco de diabetes”.

Além disso, um estudo separado do Hospital Brigham e das Mulheres, da Universidade de Harvard e do Instituto Karolinska analisaram os efeitos dos laticínios com gordura e com baixo teor de gordura sobre a obesidade.

Eles examinaram 18,438 mulheres no Estudo de Saúde das Mulheres. Depois de quase 11 anos, 8.238 dessas mulheres se tornaram obesas, como os autores do estudo escreveram no Jornal Americano de Nutrição.

Os cientistas descobriram que as mulheres que consumiram os produtos lácteos com maior teor de gordura apresentaram menor probabilidade de se tornarem obesas.

Eles também determinaram que uma maior ingestão de produtos lácteos com alto teor de gordura - ou seja, produtos lácteos nem light, nem diet - foi associada com menor ganho de peso.

Globalmente, mais homens do que mulheres agora têm diabetes, e os especialistas atribuem as altas taxas à epidemia de obesidade.

Os resultados dos dois estudos se encontram na mesma linha de uma pesquisa recente que sugere que os alimentos com alto teor de gordura possam ser benéficos para a saúde de uma pessoa.

Dr Aseem Malhotra, um cardiologista de Surrey, no Reino Unido, disse recentemente à Revista Men’s Health que ele encoraja seus pacientes a comerem gordura.

"Atualmente eu faço questão de dizer aos meus pacientes - muitos dos quais estão lidando com debilitante problemas cardíacos - para evitar qualquer coisa com o rótulo "sem gordura", disse o Dr. Malhotra. Melhor que isto, digo-lhes, para adotar produtos lácteos gordos, integrais e outras gorduras saturadas dentro do contexto de um plano de alimentação saudável'.

O médico explicou que, em alguns casos, a redução dos níveis de colesterol, na verdade, aumenta a morte cardiovascular e mortalidade.

Enquanto isso, em pessoas saudáveis com mais de 60 anos, um colesterol mais elevado está associado a um menor risco de mortalidade, acrescentou.

E em 2014, pesquisadores suecos descobriram que as pessoas com o maior consumo de produtos lácteos com gordura - oito ou mais por dia – reduzem em 23 por cento o risco de desenvolver diabetes do que as pessoas que comem uma porção ou menos por dia.

O principal autor do estudo Dr Ulrika Ericson, da Universidade de Lund Diabetes Centre em Malmo, na Suécia, disse: "As nossas observações podem contribuir para esclarecer achados anteriores sobre as gorduras alimentares e suas fontes de alimentos em relação ao diabetes tipo 2.

"A diminuição do risco com a ingestão de produtos lácteos ricos em gordura, e não de produtos com baixo teor de gordura, indicam que a gordura do leite, pelo menos parcialmente, explica as associações protetoras observadas entre a ingestão de produtos lácteos e diabetes tipo 2".
Sugestões de livros sobre a Dieta Paleo - Low Carb? Veja aqui 



(não esqueça de confirmar a inscrição)

 Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram

 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.