O que significa estar LIPO-Adaptado?


Na versão do Dr Souto, o principal combustível dos músculos em low carb são os ácidos graxos livres (FFA), e NÃO corpos cetônicos, que são reservados para o cérebro, coração e diafragma, além de alguns outros tecidos (hemácias, medula renal, etc). Então o termo mais correto não seria "KETOadaptation" e sim "FAT adaptation" (ketoadapted versus fat-adapted). Ketoadaptation vira cetoadaptação sem problemas em português, mas fat adaptation ficaria como? Gordo-adaptação? Gordura-adaptação? Então, em português, o termo lipo-adaptação soa bem melhor. "Are you fat-adapted?" ficaria "você está lipo-adaptado?".

Estar lipo-adaptado significa simplesmente que a maioria das demandas energéticas do corpo estão sendo supridas por gordura, e não por carbs. Não é uma definição científica rígida como ceto-adaptação, simplesmente significa que você já fez a transição de high carb para low carb e já superou a "gripe low carb", já não está fraco e com dor de cabeça, já sente-se bem e com menos fome, aquilo que todos nós que estamos lipo-adaptados sabemos bem.


O que significa estar LIPO-Adaptado?

Texto original do Mark Sisson, traduzido por Regiany Floriano


Ao descrever o sucesso de uma pessoa na transição para o modo Primal de comer, eu muitas vezes me refiro a ela como "lipo-adaptada" (adaptada à gordura) ou como "feras queimadoras de gordura". Mas o que exatamente significa estar "lipo-adaptado"? Como você pode saber se você está lipo-adaptado ou se ainda é um "queimador de açúcar"?

Eu recebo essas e outras questões relacionadas com bastante frequência, então eu tirei um tempo hoje para tentar dar algumas definições e fazer alguns esclarecimentos de tudo isso. Vou tentar manter o post de hoje curto e suave, e não muito complicado. Espero que os estudantes de medicina e bem-intencionados, os membros da família, leigos curiosos e similares sejam capazes de tirar algo daqui.

Como já mencionei antes, lipo-adaptação é o estado metabólico normal preferencial do animal humano. Não é nada de especial, é apenas como estamos destinados a funcionar. Por isso que na verdade temos toda essa gordura em nossos corpos - que é uma fonte bastante confiável de energia! Para entender o que significa ser normal, devemos avaliar o que significa ser anormal. E o que eu quero dizer com isso é entender o que é ser uma pessoa dependente do açúcar.

O queimador de açúcar não pode acessar de forma eficaz a gordura armazenada para obter energia. Isto significa uma incapacidade do músculo esquelético para oxidar a gordura. Ah, não é tão ruim, certo? Quer dizer, você sempre pode simplesmente queimar a glicose para produzir energia. Sim, desde que você saia andando por aí com um soro de glicose conectado às suas veias.

O que acontece com um queimador de açúcar depois de duas, três, quatro horas sem comida, ou - ouso dizer – depois de pular uma refeição completa (sem esse imaginário gotejamento intra venoso de açúcar)? Eles ficam com uma fome voraz.

O tecido adiposo do queimador de açúcar até libera um monte de ácidos graxos 4-6 horas depois de uma refeição e durante o jejum, porque ele sabe que os músculos devem ser capazes de oxidá-los (PDF). Afinal de contas, nós evoluímos baseados na beta-oxidação da gordura como a maior parte das nossas necessidades energéticas. Mas eles não podem, de modo que não fazem, e uma vez que o açúcar no sangue esteja esgotado (o que acontece muito rapidamente), a fome vem com tudo, e saem à procura de mais um pacote de batatas fritas.

Um queimador de açúcar não pode nem efetivamente acessar a gordura dietética como energia. Resultado, mais gorduras alimentares serão armazenadas do que queimadas. Infelizmente, eles estão propensos a acabar ganhando muita gordura corporal. Como sabemos, uma baixa proporção de oxidação de gordura e de carboidrato é um forte indicador de ganho de peso futuro.

Um queimador de açúcar depende de uma perpetua fonte rápida de energia. A glicose é boa para queimar quando você precisa, mas você não pode armazenar grande parte dela em sua pessoa (a menos que você tenha lanches em pacotes, ou viva com a boca cheia). Mesmo uma pessoa de 72kg, visivelmente magra, com 12% de gordura corporal, tem ainda uns 8 quilos de gordura animal à disposição para a oxidação, enquanto a nossa capacidade para armazenar glicose na forma de glicogênio nos tecidos musculares e hepático, está limitada a cerca de 500 gramas (dependendo do tamanho do fígado e a quantidade de músculo que você estiver ostentando). Você precisa de uma fonte exógena, e, se você for incapaz de oxidar gordura (como muitas vezes os queimadores de açúcar são), é melhor você ter alguns doces na mão.

Um queimador de açúcar vai consumir seu glicogênio rapidamente durante um exercício. Dependendo da natureza da atividade física, a queima de glicogênio pode ser perfeitamente desejável e esperada, mas é um material precioso, valioso. Se você for capaz de sustentar seus esforços com gordura pelo maior tempo possível, mais glicogênio sobra - mais combustível de foguete para mais tarde, para esforços intensos (como subir um morro, ou agarrar-se numa árvore ou fugir de um predador). Os queimadores de açúcar desperdiçam seu glicogênio nos esforços que a gordura poderia muito bem suprir.

Estar lipo- adaptado, então, parece um pouco como o oposto de tudo isto:

Uma “fera queimadora de gordura” pode efetivamente queimar a gordura armazenada como energia ao longo do dia. Se você aguenta pular refeições e é capaz de passar horas sem ficar faminto e irritadiço (ou procurando por carboidratos), provavelmente você está lipo-adaptado.

Uma fera queimadora de gordura é capaz de oxidar eficazmente a gordura alimentar como energia. Se estiver adaptado, a sua oxidação de gordura pós-prandial será aumentada, e menos gordura alimentar será armazenada em seu tecido adiposo.

Uma fera de queima de gordura tem muita energia acessível à disposição, mesmo se ele ou ela forem magros. Se você estiver adaptado, os genes associados ao metabolismo lipídico estarão regulados em seus músculos esqueléticos. Você basicamente irá reprogramar seu corpo.

Uma fera queimadora de gordura pode contar mais com a gordura como energia durante o exercício, poupando o glicogênio para quando ele ou ela realmente precisar. Como já discutido anteriormente, ser capaz de mobilizar e oxidar a gordura armazenada durante o exercício, pode reduzir a dependência de glicogênio de um atleta. Este é o clássico fenômeno "treino em baixa intensidade, corrida em alta", e pode melhorar o desempenho, preservar o glicogênio para os segmentos verdadeiramente intensos de uma sessão, e queimar mais gordura corporal. Se você conseguir praticar exercícios sem a necessidade de ter uma carga de carboidrato, provavelmente você está lipo-adaptado. Se puder se exercitar de forma eficaz em um estado de jejum, você definitivamente está lipo-adaptado.

Além disso, uma fera queimadora de gordura será capaz de queimar a glicose quando necessário e /ou disponível, ao passo que o inverso não possa ser dito para os queimadores de açúcar. 

Em última análise, a lipo-adaptação significa flexibilidade metabólica. Isso significa que um animal queimador de gordura será capaz de lidar com alguns carboidratos, juntamente com alguma gordura. 

Uma fera queimadora de gordura será capaz de esvaziar os estoques de glicogênio através de exercícios intensos, encher os compartimentos, queimar toda a gordura dietética que não estiver armazenada e, em seguida, acessar e facilmente oxidar a gordura armazenada quando necessário.

 Não é que a fera queimadora de gordura não possa consumir a glicose (a glicose é tóxica no sangue, então nós sempre iremos queimá-la, armazená-la, ou qualquer outra forma "lidar" com ela em primeiro lugar), é que não dependemos dela. 

Eu cheguei a sugerir que a verdadeira lipo-adaptação permite que alguém tenha uma refeição ou um dia com maior quantidade de carboidratos sem “descarrilar o trem”. Uma vez que a maquinaria de queima de gordura tenha sido estabelecida e programada, você deve ser capaz de alternar facilmente entre as fontes de combustível, conforme necessário.


Na realidade há  nenhum "kit de teste de ceto-adaptação doméstico." Você pode testar seu quociente respiratório, que é a proporção de dióxido de carbono que você produz em relação ao oxigênio que você consome. Um QR de 1+ indica completa queima de glicose; um QR de 0,7 indica completa a queima de gordura. Algo em torno de 0,8, provavelmente, significa que você está muito bem ceto-adaptado, quanto mais próximo de 1 provavelmente significa que você está mais perto de um queimador de açúcar. O obeso tem QR mais elevados. Diabéticos têm QR mais elevados. Comedores noturnos têm QR mais elevados (e oxidação lipídica inferior). O que esses grupos têm em comum? Menor saciedade, fome insistente, beta-oxidação de gordura prejudicada, aumento do desejo por carboidratos e consumo - todas as características de um queimador de açúcar.

Seria ótimo se você pudesse monitorar a eficiência das suas mitocôndrias, incluindo os resíduos dos produtos produzidos por sua produção de ATP, talvez com um microscópio muito, muito poderoso, mas você teria que saber o que você estaria procurando. E, além disso, embora eu goste de pensar que suas "usinas de energia celular" se assemelham à usina de energia dos Simpsons, eu tenho certeza que eu ficaria decepcionado com a realidade.

Não, não há nenhum teste para fazer, não é uma coisa simples para ser medida, ninguém tem um número para acompanhar, nenhum laboratório para encomendar exames médicos. Para descobrir se você está lipo-adaptado, a maneira mais eficaz é perguntar a si mesmo algumas perguntas básicas:

- Você pode passar mais de três horas sem comer? Pular uma refeição é um exercício fácil e sem sofrimento?
- Você goza de constante energia ao longo do dia? Os cochilos do meio-dia são indulgências agradáveis, em vez de necessárias?
- Você pode se exercitar sem a necessidade de uma dose de carboidrato?

Sim? Então provavelmente você está lipo-adaptado. Bem-vindo ao metabolismo humano normal!


Uma breve nota sobre a cetose:

Lipo-adaptação não significa necessariamente Cetose. Cetose é cetose. Lipo-adaptação descreve a capacidade de queimar a gordura diretamente via beta-oxidação e a glicose através da glicólise, enquanto que a cetose descreve o uso de corpos cetônicos derivados de gordura pelos tecidos (como as partes do cérebro), que normalmente usam a glicose. Uma dieta cetogênica "diz" ao seu corpo que nenhuma ou muito pouca glicose está disponível no ambiente. O resultado? "Tolerância deficiente" à glicose e resistência à insulina "fisiológica", o que soa como negativo, mas são realmente necessárias para poupar pouca glicose existente para uso do cérebro. Por outro lado, uma forma Primal de comer, bem construída, mais baixa em carboidratos (mas não necessariamente cetogênica) leva à perda de peso e geralmente melhora a sensibilidade à insulina.


É isso por hoje, pessoal. 



 Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram

 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.