O Novo Perfil Nutricional dos Alimentos Processados e Ultra Processados


A OPAS define os níveis de excesso de açúcar, sal e gordura em produtos alimentares e bebidas processados 

Texto original aqui. Tradução: Regiany Floriano

Washington, DC, 19 de fevereiro de 2016 (OPAS / OMS) - 

Novos critérios para definir o quanto é açúcar, sal e gordura "demais" nos alimentos processados e bebidas são apresentados em um novo Modelo de Perfil Nutricional da OPAS lançado ontem pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). O modelo destina-se a ajudar os governos a desenvolverem políticas mais eficazes para promover a alimentação saudável. O objetivo geral é melhorar os padrões alimentares pouco saudáveis nas Américas, que estão contribuindo para a crescente epidemia de doenças crônicas, como doenças cardíacas, câncer e diabetes.

"O Modelo de Perfil Nutricional da OPAS fornece uma maneira para que os governos possam identificar os produtos insalubres e usar políticas públicas para desencorajar o seu consumo, ao mesmo tempo favorecendo os consumidores a seguirem dietas tradicionais à base de alimentos frescos ou minimamente processados", disse o Diretor Assistente da OPAS Francisco Becerra.

"Temos dados que mostram que o consumo de alimentos ultra-processados ricos em calorias e pobres em nutrientes nos países das Américas está diretamente relacionado com as taxas crescentes de excesso de peso e obesidade", disse Chessa Lutter, Conselheiro Sênior de Alimentação e Nutrição da OPAS.

O modelo define os alimentos processados como produtos alimentares que são fabricados industrialmente usando sal, açúcar ou outros ingredientes para preservá-los ou torná-los mais palatáveis. Os alimentos ultra-processados são definidos como produtos alimentares industrialmente formulados que contêm substâncias extraídas de alimentos (por exemplo, caseína, soro de leite, e isolados de proteína) ou sintetizados a partir de componentes alimentares (tais como óleos hidrogenados, amidos modificados e sabores). Com base na melhor evidência científica disponível, o modelo classifica como alimentos e bebidas processados e ultra-processados como tendo quantidades "excessivas" de açúcar, sal e gordura de acordo com os seguintes critérios:

- Excesso de açúcar - se a quantidade de açúcares adicionados for 10% ou mais do total de calorias;

- Excesso de gordura - se as calorias provenientes de todas as gorduras representarem 30% ou mais do total de calorias;

- Excesso de gordura saturada - se as calorias provenientes das gorduras saturadas forem 10% ou mais do total de calorias;

- Excesso de gordura trans - se as calorias provenientes de gorduras trans forem 1% ou mais do total de calorias;

- Excesso de sódio - se a relação de sódio (em miligramas) / calorias (Kcal) for de 1: 1 ou superior.

O modelo também determina que os produtos cujos ingredientes incluam adoçantes artificiais ou naturais calóricos ou não-calóricos devam ser definidos como "contendo outros adoçantes".

Os novos critérios devem ser aplicados a todos os alimentos processados e ultra-processados, que vão desde os legumes em conserva e refeiçoes preparadas a base de carnes até batatas fritas, sorvetes, iogurtes aromatizados, cereais e barras de cereais. Os critérios não se aplicam a alimentos não transformados ou minimamente processados, como vegetais frescos ou congelados, legumes, grãos, frutas, nozes, raízes e tubérculos, carne, peixe, leite e ovos, ou a pratos preparados na hora feitos com esses alimentos.

Os novos critérios ajudarão os governos a implementarem regulamentos sobre a comercialização de alimentos não saudáveis para crianças e definir padrões para os tipos de alimentos servidos ou vendidos nas escolas. Outras políticas apoiadas pelos novos critérios incluem advertências na frente das embalagens que informem aos consumidores sobre produtos ou bebidas que contenham excesso de açúcar, sal ou gordura; a tributação dos produtos não saudáveis, como refrigerantes adoçados com açúcar; e mudanças nos subsídios agrícolas e programas sociais que incentivem a produção e o consumo de alimentos frescos e integrais.

Para identificar os nutrientes a serem incluídos no modelo e identificar as linhas de corte para cada um, a OPAS convocou um grupo de peritos de nutrição, presidido por Ricardo Uauy do Chile e Dan Ramdath de Trinidad e Tobago. Outros membros do grupo de peritos incluem Carlos Monteiro do Brasil, Juan Rivera do México, Lorena Rodriguez do Chile e Mike Rayner do Reino Unido.
A OPAS (ou PAHO), fundada em 1902, é a mais antiga organização internacional de saúde pública no mundo. Seus países membros trabalham para melhorar a saúde e a qualidade de vida dos povos das Américas. Ela também serve como o Escritório Regional para as Américas da OMS.
  



Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram

 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.