Caro Mark: Paleo Dieta Engorda?

A avaliação de Mark Sisson ao estudo dos 9 ratos que engordaram com uma "Dieta Paleo".
Não vou nem me dar ao trabalho de traduzir o estudo porque Mark já tratou de esmiuçar os detalhes.




Caro Mark: Paleo Dieta Engorda?

Texto original aqui. Tradução: Regiany Floriano


Para a edição de hoje do blog, eu estou respondendo a uma pergunta. É uma que está em chamas, a julgar pelo dilúvio de e-mails que tenho recebido nos últimos dias. Um novo estudo acaba de sair pretendendo mostrar os efeitos deletérios de uma "dieta paleo" no ganho de peso, ganho de gordura, e tolerância à glicose em diabéticos tipo 2. Parece alarmante, por isso hoje vamos explorar o quão relevante este estudo é para vocês na sequência de um plano de alimentação Primal. Você deve se preocupar com os resultados? É hora de começar uma reestruturação radical da maneira que você come? Vou avaliar o estudo, e suas implicações maiores, para que você saiba.

Vamos lá:

Mark ,
A mídia está repleta de relatos de um novo estudo que pretendia demonstrar que a dieta Paleo leva ao ganho de peso rápido. Importa-se em responder? Está ficando difícil ignorar o coro dos meus amigos céticos "Eu avisei".

Oh, cara. O principal autor do estudo, um professor adjunto Sof Andrikopoulos, faz algumas das citações mais incríveis que eu já li. Não posso destacar com simples aspas, por isso vamos examiná-las uma por uma.

Ele afirma que uma dieta low-carb, rica em gordura é especialmente perigosa em pessoas com diabetes ou pré-diabetes. "Não há evidência de elas funcionem".

Dietas LCHF são arriscadas para diabetes ou pré-diabetes, ou seja, elas colocam a sua diabetes em risco de desaparecer pura e simplesmente ou nunca ocorrer. Mas para os diabéticos ou pré-diabéticos, é arriscado não tentar uma dieta low-carb. Aqui está um estudo recente de homens japoneses com pré-diabetes em quem uma dieta low-carb normalizou a glicose no sangue e impediu a progressão para diabetes tipo 2 plenamente desenvolvida. Aqueles eram homens humanos, por sinal, não homens ratos.

Mais citações:

"Disseram para comermos zero carboidratos e muita gordura na dieta Paleo".

Não, não dissemos. Eu não conheço ninguém que esteja dizendo isso.

"Nosso modelo tentou imitar isso, mas nós não vimos quaisquer melhorias no peso ou nos sintomas".
Eles não se esforçaram o suficiente, porque 6% das calorias na dieta passaram despercebidas na forma de açúcar branco puro. Engraçado como as coisas tem vontade própria. Não, é totalmente impossível não acrescentar o açúcar. Completamente fora de controle.

 "A conclusão é que não é bom comer muita gordura".

Bem, tudo bem. Não é bom comer muito de qualquer coisa. Não é bom comer tanto que você possa ganhar peso e gordura corporal. Não é bom comer muita gordura no contexto de uma dieta refinada de ingredientes isolados, açúcar de mesa puro, e uma propensão genética para chegar a ser severamente obeso com uma dieta. Não acredita em mim?

Basta ver a composição da dieta para o grupo low-carb.

Manteiga de cacau - é uma gordura legítima, especialmente, combinados com fibra de cacau e polifenóis. Em outras palavras, o chocolate.

Caseína Humm. Uma proteína isolada dos laticínios, não seria minha primeira escolha na construção de uma dieta paleo saudável, mas eu não sou o cientista!

Açúcar de mesa = sacarose, é? Vou permitir. Você precisa fazer isso um tanto refinado e palatável o suficiente para conseguir fazer os ratos comerem.

Óleo de canola - espere um minuto. Óleo de canola não pertence a minha ideia de uma dieta paleo.

Ghee - Interessante escolha. Eu adoro ghee.

Celulose Ok, vamos parar. Você está alimentando basicamente estes ratos com papel. O que esta acontecendo aqui? Eu tenho certeza que há um tipo de fibra mais prebiótica. Certo?

O carbonato de cálcio - Você percebe que poderia simplesmente ter omitido a caseína isolada, a ghee, e o cálcio optando por lacticínios integrais.

AIN-93G mix de vitaminas - Você poderia dar aos ratos pastilhas de vitamina, ou você poderia dar comida real. Mas esta é só a minha opinião. Sou um pouco esquisito.

Dihidrogenofosfato de potássio - Se você queria que o ratos tivessem potássio e fosfato, você poderia ter-lhes dado um pouco de carne e banana.

DL metionina - um aminoácido essencial que aparece frequentemente em alimentos de origem animal. É importante para a saúde, mas deve ser equilibrada com glicina adequada para reduzir a inflamação. Entretanto, nenhuma glicina aparece no estudo da dieta.

Cloreto de sódio, citrato de potássio, sulfato de potássio - mais minerais.

Cloreto de colina - Pelo menos eles adicionaram colina lá. É muito importante para a manutenção da saúde do fígado, particularmente no contexto de dietas ricas em gordura.

AIN-93G mix de traços minerais - Na ausência de alimentos, é necessário adicioná-los de volta.
Delicioso, certo? Estou salivando só de escrever isso.

Assim, a dieta experimental foi feita inteiramente de "ingredientes"refinados isolados. Nem mesmo alimentos, mas ingredientes. Sua única fonte de carboidratos foi o açúcar branco. Enquanto isso, o grupo controle recebeu uma dieta de alimentos reais composta por trigo, germe de trigo, farinha de peixe, farinha de soja, gordura da carne, óleo vegetal, melaço, leite em pó, o fermento, e traços de vitaminas e minerais adicionados. Não é a "melhor dieta", mas muito melhor do que a dieta experimental. As duas não são comparáveis. Nós já sabemos que o refinamento da dieta de um roedor determina em parte como essa dieta irá afetar as suas capacidades de saúde e cognitivas
independentemente das proporções dos macronutrientes da dieta.

Em referência à dieta mediterrânea: "Ela é cercada por evidências e é uma dieta baixa em açúcar refinado com gorduras e óleos saudáveis de peixe e azeite extra-virgem, legumes e proteínas".
Reduza os legumes, e sobre que dieta ele realmente está falando? Soa muito familiar para mim.


Outras pequenas imperfeições: 

Estes não são seres humanos. Estes nem mesmo eram os ratos normais "do tipo selvagem", que já são ruins para estudar os efeitos de dietas ricas em gordura em seres humanos. Eram os ratos Obesos da Nova Zelândia (NZO), um tipo de rato geneticamente manipulado para ficarem rápida e severamente obesos com dietas ricas em gordura. Isto os torna úteis para o estudo da obesidade.

Um bom médico teria feito outras recomendações duvidosas, como se vai comer fast food, verifique se você tem um refrigerante açucarado junto.

Mas talvez o aspecto mais notório e pernicioso do médico é sua propensão para o nacionalismo helênico. É o sobrenome dele. É o fato de que ele inventa uma análise de estudos desarranjados para promover a dieta mediterrânica. O que vem depois Sof? Você não vai parar até ter carruagens gregas de guerra golpeando as ruas de todas as cidades em todo o mundo e meninos e meninas com tigelas de azeitonas pretas (caviar dos gregos) com vinho tinto em vez de cereais para o café da manhã?

Estou brincando, claro...

Mas da próxima vez, projete um estudo que seja sobre uma dieta Paleo de verdade. Daí a gente conversa.

Então, se você está comendo de forma primal e você não está ficando gordo (ou você está ativamente perdendo gordura), o resultado deste estudo não se aplica a você. O estudo mostra os efeitos negativos na saúde em engordar muito rapidamente. A dieta utilizada para tonar os ratos gordos era uma versão bastarda de uma dieta com elevado teor de gordura, uma dieta low-carb que tem pouco a ver com a forma como comemos aqui.

Obrigado a todos pela leitura. Cuidem-se!






Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram


 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.