AS ESTATINAS PODEM CAUSAR DOENÇAS CARDÍACAS - PESQUISA ADVERTE QUE A DROGA PODE CAUSAR RIGIDEZ DAS ARTÉRIAS


Estatinas, as drogas POLÊMICAS, podem realmente aumentar o risco de doenças cardíacas, de acordo com o que uma nova pesquisa mostrou.

Artigo original publicado no Express UK, em 10 jan 2016, traduzido por Regiany Floriano.

Por Lucy JOHNSTON, 

As pessoas que tomam estatinas tem maior probabilidade de sofrer o endurecimento das artérias

As pessoas que tomam as drogas estão mais propensas a sofrerem o endurecimento das artérias, uma das principais causas de problemas cardíacos.
Além disso, os investigadores descobriram que estas drogas bloqueiam um processo que protege o coração.
Isto pode "causar ou piorar a insuficiência cardíaca", de acordo com um estudo.
O autor diz: "Eu não consigo encontrar nenhuma evidência que apoie o uso estatinas".

As drogas são rotineiramente prescritas para um em cada quatro adultos no Reino Unido

Os resultados, publicados na Expert Review of Clinical Pharmacology, serão acrescidos ao debate em torno das drogas, que são rotineiramente prescritas para até 12 milhões de pacientes no Reino Unido, ou cerca de um em cada quatro adultos.

Os defensores afirmam que elas salvam vidas, reduzem o colesterol e as autoridades reguladoras de saúde do Reino Unido dizem que são seguras.

O Professor da Oxford, Sir Rory Collins, alertou que exagerar nas preocupações sobre as estatinas poderia "causar um grande número de mortes desnecessárias de ataques cardíacos e derrames".
Os opositores têm apontado para os efeitos colaterais, como fraqueza e dor muscular esquelética e dizem que os riscos superam os benefícios.

 Alguns efeitos colaterais são fraqueza e dor muscular esquelética

Já o Professor Harumi Okuyama, cuja equipe estudou uma série de mais de 20 grandes trabalhos de pesquisa sobre as drogas, diz que elas poderiam causar doenças cardíacas.
Dr Okuyama, da Nagoya City University, no Japão, disse: "Reunimos muitas informações sobre o colesterol e estatinas de muitos artigos publicados e encontramos provas contundentes de que essas drogas aceleram o endurecimento das artérias e podem causar ou piorar a insuficiência cardíaca. Eu não consigo encontrar nenhuma evidência para recomendar às pessoas tomarem estatinas e os pacientes que estão fazendo uso delas, devem parar".

Os pesquisadores dizem que a hipótese de que as estatinas protegem o coração, reduzindo o colesterol é falha e que o colesterol elevado não está necessariamente ligado a doenças cardíacas.
Eles também concluíram que as estatinas têm um efeito negativo sobre os processos vitais do corpo ligados à saúde do coração.

Eles descobriram que os pacientes que tomam estas drogas, estão mais propensos a terem depósitos de cálcio em suas artérias, um fenômeno diretamente ligado a ataques cardíacos.
Isto porque as estatinas bloqueiam uma molécula necessária para o organismo que produz a vitamina K vital, o que impede a calcificação das artérias.

Dr Okuyama e sua equipe dizem que muitos dos estudos anteriores, patrocinados pela indústria, que mostram os benefícios das estatinas, não são confiáveis.


Os pesquisadores afirmam que o colesterol elevado não está necessariamente ligado a doenças cardíacas

Eles afirmam isso porque estes estudos foram realizados antes que novas regulamentações europeias, fossem introduzidas em 2004, que exigiam que todos os achados experimentais, tanto positivos quanto negativos, deveriam ser declarados.

O estudo afirma que, antes das novas regras entrarem em vigor, "problemas desleais e antiéticos foram associados com ensaios clínicos relatados pelos cientistas patrocinados pela indústria".
A equipe do Dr Okuyama analisou os estudos antes e depois de 2004.

Eles descobriram que: "A epidemia de insuficiência cardíaca e aterosclerose (endurecimento das artérias) que assola o mundo moderno pode, paradoxalmente, ter sido agravada pelo uso generalizado de drogas com estatina. Propomos que as diretrizes atuais para o tratamento com estatinas sejam rigorosamente reavaliadas".

 

Dr. Malcolm Kendrick, que estudou a saúde cardíaca e as estatinas, disse: "Este estudo derruba o argumento de que esses medicamentos devam ser prescritos para qualquer pessoa, pois os danos superam claramente quaisquer benefícios anteriormente sugeridos".

Dr Peter Langsjoen, um especialista em coração no Texas, co-autor do estudo, disse: "As estatinas estão sendo usadas de forma tão agressiva e em um tão grande número de pessoas, que os efeitos adversos estão agora se tornando evidentes. Estas drogas nunca deveriam ter sido aprovadas para o uso. Os efeitos a longo prazo são devastadores".

Um porta-voz da MHRA, o órgão do Governo regulador das drogas, disse: "Os benefícios das estatinas estão bem estabelecidos e são considerados superiores aos riscos de efeitos colaterais na maioria dos pacientes. Qualquer nova informação significativa sobre a eficácia das estatinas serão cuidadosamente revistas e serão tomadas as medidas, se necessário". 

__________________
Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram