A Atividade Física vai acabar com a epidemia de Obesidade?


Por Dr David Ludwig. 

Artigo original: Will Exercise End the Obesity Epidemic? Traduzido por Regiany Floriano.


Talvez o problema não seja consumir muitas calorias, mas não queimar o suficiente. Um século atrás, a maioria das pessoas praticava atividade física regularmente no trabalho, durante uma viagem, e como recreação. Hoje, muitos de nós temos uma ocupação sedentária, usamos carros para o transporte, e gastamos muito de nosso tempo livre na frente das telas. Se exercitar é a resposta?

Centenas de estudos têm esta pergunta, empregando quase todas as abordagens imagináveis para aumentar a atividade física: treinamento aeróbio, treinamento de resistência ou treinamento aeróbio mais resistência; na escola ou no trabalho; intensidade alta ou baixa; em pequenos episódios ao longo do dia ou durante períodos especialmente dedicados; e acompanhado por vários tipos de dietas. Estes estudos envolveram milhares de participantes, desde crianças a idosos, e no seu conjunto, eles pintam uma imagem clara. Algumas pessoas perdem algumas libras, outros ganham algumas libras, mas a maioria não apresenta nenhuma mudança de peso significativa.

Por que o exercício não gera muita perda de peso? Uma explicação simples é que a atividade física nos faz ficar com mais com fome e, por isso "compensamos" comendo mais. Por exemplo, uma caminhada antes do jantar estimula o apetite e aumenta o prazer de comer. E (infelizmente) para os que estão em dieta, as calorias entram no corpo mais facilmente do que saem. Um atleta pode queimar 200 calorias em 30 minutos e repor tudo em um minuto com uma bebida esportiva.


Nós também podemos compensar sendo menos ativos em outros momentos. Em um estudo inteligentemente concebido, trinta e sete adolescentes obesos envolvidos em diferentes níveis de exercício - intensidade elevada, baixa intensidade, ou descanso - em três manhãs diferentes. Como esperado, os adolescentes queimaram mais calorias durante o exercício do que em repouso. Mas o gasto calórico despencou no período da tarde, na sequência do exercício de alta intensidade. Como resultado, o total de calorias queimadas durante todo o dia permaneceu o mesmo, independentemente da intensidade que os adolescentes se exercitaram. Quanto mais ativos somos em um período, menos ativos podemos ser mais tarde.


E sobre a prevenção? Estudos observacionais mostram que as pessoas magras tendem a ser mais ativas do que as mais pesadas. Se a atividade física não produz muita perda de peso, uma rotina diária assídua de exercícios, pelo menos, não ajudaria a evitar o ganho de peso?

Dois estudos recentes, com um total de cinco mil crianças europeias, utilizando cálculos estatísticos sofisticados para separar causa e efeito, juntos, sugerem que os hábitos sedentários podem não levar ao aumento da gordura corporal na forma como nós tendemos a pensar. Porém, o processo do ganho de gordura  pode levar as pessoas a se tornarem menos ativas.

Nada disso é para endossar um estilo de vida sedentário. A atividade física tem muitos benefícios sobre o metabolismo. Mas chegar ao nível de uma meia maratona, para ter um menor peso corporal não é um deles.

__________________________






Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram