Pressão Arterial

Como anda a sua pressão? Há quanto tempo não mede?
Evitar o sal evita que a pressão suba?
O que mais devemos fazer para manter a pressão arterial dentro dos níveis normais e seguros?
Quando devemos tomar medicamentos para pressão alta?
Estas e outras perguntas são respondidas no texto abaixo.



COMO NORMALIZAR SUA PRESSÃO ARTERIAL
Artigo traduzido por Regiany Floriano. O original está aqui.

A pressão arterial elevada é um problema de saúde comum hoje. Quase um terço dos adultos americanos tem pressão arterial elevada  e talvez você ou alguém da sua família... A pressão arterial elevada não é necessariamente algo que você possa sentir, mas aumenta o risco de doenças graves, como derrames e ataques cardíacos.

A boa notícia é que você pode melhorar a sua pressão arterial por simples mudanças no estilo de vida.
O tratamento usual para a pressão arterial elevada hoje é a medicação. Mas pode-se alcançar a pressão arterial perfeita, sem pílulas ou efeitos colaterais – e de bônus a melhora da saúde e controle de peso?

A verdade é que a pressão alta era extremamente rara, mas muito recentemente,  algo está deixando mais e mais pessoas com a pressão arterial elevada atualmente. Porque está acontecendo isso? 


1. O QUE É PRESSÃO ARTERIAL?
A pressão arterial é exatamente o que parece, a pressão nos vasos sanguíneos. Com uma quantidade normal de sangue, um coração saudável e, vasos sanguíneos elásticos e saudáveis, você tem uma pressão arterial normal.

A pressão arterial baixa pode fazer você sentir tonturas, especialmente quando você se levanta rápido após ter permanecido sentado. Esta é normalmente inofensiva e pode ser decorrente de desidratação ou deficiência de sal.

Pressão arterial ligeira ou moderadamente elevada raramente apresentará sintomas óbvios (uma leve dor de cabeça pode ocorrer às vezes). A pressão arterial muito elevada pode dar dores de cabeça, fadiga e náuseas e é o resultado de um aumento da quantidade de líquido e de sal no sangue, e também da maior resistência das paredes dos vasos sanguíneos sendo mais espessas e mais rígidas que o normal.

A pressão arterial elevada também é conhecida entre os médicos como hipertensão.

Como a pressão arterial muitas vezes passa despercebida, é comum as pessoas viverem com ela sem saber por algum tempo. Como é um fator de risco, é importante verificar sua pressão arterial de tempos em tempos, mesmo se você estiver se sentindo bem. Este conselho é especialmente dirigido às pessoas de meia-idade ou mais velhas, pelo fato que a pressão arterial elevada é mais frequente com o avanço da idade.

A pressão arterial marcadamente elevada leva, a longo prazo, a um aumento do risco de doença cardíaca e acidente vascular cerebral (AVC). Quanto maior a pressão arterial, maior o risco. A pressão arterial elevada é muitas vezes tratada com medicamentos para reduzir os riscos de saúde. No entanto, você também pode baixar a pressão arterial com as mudanças simples no estilo de vida (veja abaixo).


2. COMO A PRESSÃO ARTERIAL É MEDIDA?

A pressão arterial é geralmente medida enrolando um manguito em torno de seu braço e bombeando-o até enchê-lo. A pressão do balonete interrompe o fluxo de sangue no seu braço e então é feita a medição, que é igual à pressão nos vasos sanguíneos.

A leitura da pressão arterial consiste em dois números, por exemplo, 120/80. O primeiro número é a pressão de pico (quando o coração se contrai, a pressão "sistólica"). Esta é a maior pressão nos vasos sanguíneos. O segundo número é a pressão mínima, tirada quando o coração relaxa (pressão "diastólica").

Para ter a sua pressão arterial controlada, você pode entrar em contato com o seu médico, posto de saúde ou em farmácias. Outra opção é comprar o seu próprio medidor de pressão arterial - eles são confiáveis e fáceis de usar em casa, sempre que quiser.


3. O QUE É UMA "BOA" PRESSÃO ARTERIAL?

Se você é saudável e atualmente não toma qualquer medicação para controlar sua pressão arterial, uma pressão arterial mais baixa do que a média não deve ser nada para se preocupar.
Uma pressão arterial ideal, saudável, não deve ser maior que 120/80. Isto é o que se espera encontrar nos jovens, saudáveis e com um peso corpóreo normal.

A maioria das pessoas no mundo ocidental, no entanto, tem uma pressão arterial maior do que isso. Uma elevação da pressão arterial é comum em pessoas de meia-idade e mais velhos, especialmente naqueles que estão com sobrepeso.

Marcadores entre 120-140 de pressão sistólica e 80-90 de pressão diastólica são considerados precursores da hipertensão. Isso não é nada que precise ser tratado em pessoas saudáveis, mas pode significar que há necessidade de uma melhoria da saúde com mudanças no estilo de vida.

As populações indígenas, que não comem uma dieta ocidental, tendem a ter excelente pressão arterial, mesmo em idade avançada. Podemos aprender e nos inspirar com eles.


4. O QUE É UMA PRESSÃO ARTERIAL ELEVADA?


Uma leitura acima de 140/90, medida em pelo menos três ocasiões separadas, é considerada a pressão arterial elevada. Temporariamente ter uma pressão arterial ligeiramente elevada (quando está sob estresse, por exemplo) não é preocupante.

Como a pressão arterial tende a variar um pouco de um dia para o outro, é recomendado somente diagnosticar alguém com pressão arterial elevada, se as leituras forem repetidamente altas. Se a média de cada uma das leituras quer (a sistólica ou diastólica) for maior do que o normal, será considerada uma pressão sanguínea elevada. Ou seja, uma média de 150/85, 135/100 ou mais em leituras feitas em várias ocasiões, será considerada elevada.

Quase um em cada três adultos em os EUA tem a pressão alta, de acordo com o CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças) e do ASH (American Society of Hypertension).

- Valores entre 140/90 e 160/100 são considerados como pressão arterial ligeiramente elevada.
- Mais 160/100 pode ser moderadamente elevada.
- Acima de 180/110 é uma pressão arterial elevada grave.

A diferença apurada entre as pressões sistólica e diastólica também é de interesse. Se a diferença for grande (por exemplo, 170/85), que pode ser o sinal de artérias rígidas - muitas vezes causada por uma doença cardíaca. Isto significa que os vasos sanguíneos não podem dilatar o suficiente quando o coração envia um impulso, o que causa o aumento da pressão arterial ,as paredes não podem expandir-se, de modo que o aumento da pressão ocorre quando o coração tenta bombear o sangue através das artérias.


O jaleco branco pode causar pressão alta

Muitas pessoas acham que os seus aumentos de pressão arterial podem ocorrer por causa do estresse subconsciente de estar numa instituição médica e pelo pessoal que trabalha lá. Isso geralmente é chamado de "hipertensão do jaleco branco", ou seja, os níveis elevados de pressão arterial só por ver o jaleco branco que os médicos usam.

Este é um problema comum -aproximadamente 10 a 15% das pessoas diagnosticadas com pressão arterial elevada após medições feitas em um hospital ou centro médico, mais tarde descobrem que as medidas tomadas em sua própria casa ou a média de 24 horas são normais.

Se você é uma das pessoas com "hipertensão do jaleco branco", você tem aproximadamente o mesmo risco de doença cardíaca que outras pessoas com pressão arterial normal. As pessoas com "hipertensão do jaleco branco" não precisam de medicação para baixar a pressão arterial, mas muitas vezes elas acabam tomando desnecessariamente!

Se você suspeitar de uma elevação na sua pressão arterial relacionada ao estresse , você pode medidor sua pressão arterial no seu centro médico, tirando por 24 horas para registrar a pressão arterial várias vezes por hora. Você também pode comprar o seu próprio medidor de pressão arterial para verificar por si mesmo em casa.



5. QUANDO A HIPERTENSÃO DEVE SER MEDICADA?

Se a sua pressão arterial é severamente elevada (mais de 160 sistólica ou mais de 100 diastólica), a medicação é recomendada. Se você tiver outros fatores de risco para doenças do coração (como tabagismo, diabetes ou obesidade), a medicação pode ser recomendada até mesmo para uma ligeira elevação da pressão arterial (acima de 140/90).

Não há evidências de que a medicação melhore a saúde de pessoas saudáveis com pressão moderadamente elevada no sangue (140-159 sistólica e / ou diastólica 90-99). Isso significa que não está claro se vale a pena correr o risco dos efeitos colaterais da medicação, se tudo que você tem é uma ligeira elevação.

Os diabéticos têm, frequentemente, recomendações mais baixas para a pressão arterial, o valor máximo normal, sendo visto como 130 / 80-85. No entanto, é questionável se é uma boa ideia medicar os seus níveis de pressão arteriais para baixar a esses valores. Diabéticos provavelmente podem ficar com o mesmo limite superior como o das pessoas com doença cardíaca: 140/90 (de acordo com novos estudos e comentários de especialistas, bem como as mais recentes recomendações da Associação Americana de Diabetes, ADA).

Para resumir, são os seguintes níveis de pressão arterial em que a medicação se torna apropriada:

- Indivíduos saudáveis: Mais de 160/100
- Diabéticos / pessoas com doenças cardíacas: Mais 140/90

Com isso dito, elevações menores da pressão arterial podem ser sugestivas de uma necessidade de algumas mudanças de estilo de vida, a fim de melhorar a saúde e reduzir o risco de doenças.



6. AS CAUSAS PARA A PRESSÃO ARTERIAL ELEVADA

Há várias causas raras de pressão arterial elevada (tais como desordens dos rins ou das suprarrenais). Se não há razão para suspeitar que tais distúrbios são a causa da hipertensão, as medidas adequadas devem ser decididas pelos profissionais médicos.

No entanto, o tipo mais comum esmagadoramente de pressão arterial elevada é o tipo que não tem uma causa clara, chamada hipertensão primária. Nestes casos, muitas vezes é parte do que é chamado de "síndrome metabólica", também conhecida como a doença do mundo ocidental.


Os problemas de saúde são agrupados porque eles muitas vezes aparecem como um conjunto de sintomas em um indivíduo. Pessoas com pressão arterial elevada, geralmente carregam peso extra em torno de sua barriga, e também são propensos a estar na zona de risco de açúcar elevado no sangue e diabetes tipo 2.

A boa notícia é: se você pode chegar à raiz e causa disso, muitas vezes melhorando todos esses marcadores com uma mudança simples de estilo de vida.

A causa comum

A síndrome metabólica é geralmente causada pelo consumo de carboidratos acima do que o corpo pode suportar. Principalmente no caso dos carboidratos com alto índice glicêmico que são rapidamente digeridos, tais como farinha branca e açúcar puro. Dependendo do quanto você é sensível, você pode estar enfrentando sintomas mais complicados. Os carboidratos começam a ser fracionados em açúcares simples, assim que eles chegam em seu estômago, o amido do pão e das massas se transformam em glicose, que aumenta o açúcar no sangue no momento em que cai na corrente sanguínea. O corpo então produz mais o hormônio insulina, a fim de controlar o nível de açúcar no sangue.

A insulina é o principal hormônio de armazenamento de gordura no corpo, e muita insulina pode, portanto, levar ao excesso de peso a longo prazo. Em grandes quantidades, o que também pode perturbar o metabolismo do colesterol em seu corpo, além de também poder afetar a sua pressão arterial.


Alta de insulina e pressão arterial elevada:
Os níveis de insulina elevados parecem levar ao acúmulo de líquido e de sal no organismo. Isso aumenta a pressão arterial. Além disso, podem enrijecer o tecido em torno dos vasos sanguíneos, o que também contribui para um aumento da pressão arterial.

Repetidamente tem-se demonstrado que a menor ingestão de carboidratos diminui os níveis de insulina e também a pressão sanguínea. Talvez porque uma dieta pobre em carboidratos também tende a desestimular o corpo a reter líquidos e aumentar a eliminação de sal através da urina. 



7. MUDANÇAS  NO ESTILO DE VIDA PARA TER UMA PRESSÃO ARTERIAL SAUDÁVEL:

Há várias mudanças de estilo de vida possíveis que você pode fazer para baixar a pressão arterial. Vou passar por cinco deles abaixo. O primeiro é, na minha experiência, o mais importante. Isso elimina a causa mais comum de pressão arterial elevada:

1. Curar a doença Ocidental

Uma pressão sanguínea elevada é muitas vezes o resultado da chamada síndrome metabólica, especialmente em pessoas com excesso de peso. Isto significa que você pode gerar grandes benefícios para a sua saúde, reduzindo a ingestão de carboidratos.
Vários estudos sobre dietas pobres em carboidratos mostram melhoria da pressão arterial e de uma forma muito melhor que em outras dietas. Como um bônus, geralmente uma dieta pobre em carboidratos também leva à perda de peso e melhoria dos níveis de açúcar no sangue. Muitos pacientes e leitores do meu blog tentaram e tiveram resultados positivos.

2. Sal sim ou evitar o sal?

Comer menos sal pode baixar a pressão arterial um pouco. A pesquisa tem demonstrado que este efeito é, no entanto, mínimo a longo prazo: uma redução média de apenas 1mmHg foi registrado.

Falta-nos evidência contemporânea que menos sal na nossa alimentação vai afetar o risco de doença cardíaca ou morte. Isto foi demonstrado em um meta-estudo recente numa investigação sobre o assunto. Não está claro se você vai ser mais saudável, ingerindo menos sal ou não. Ninguém sabe.

Grande parte do sal que ingerimos vem de fast food, refeições prontas, pães e refrigerantes - coisas para evitar numa dieta pobre em carboidratos/alta gordura (LCHF = LOW CARB HIGH FAT). Isto irá reduzir o consumo de sal automaticamente. Além disso, os efeitos hormonais da LCHF tornará mais fácil para o corpo de eliminar o excesso de sal através da urina; isto pode explicar a ligeira redução da pressão sanguínea.

Em resumo, a demonização de sal é exagerada. De qualquer forma, se você mantiver uma dieta baixa em carboidratos, você poderá desfrutar de sal com moderação e com a consciência limpa.


3. Evite outras coisas que aumentam a pressão arterial

A pressão arterial pode ser reduzida simplesmente evitando as coisas que a levam para cima. Aqui são as causas mais comuns de pressão arterial elevada:

- Analgésicos comuns (os medicamentos anti-inflamatórios não esteroides), que podem aumentar a pressão arterial através da inibição da produção de sal em seus rins. Isto inclui os super prescritos Ipren, Ibumetin, ibuprofeno, naproxeno bem como o Celebra. Analgésicos com o paracetamol são melhores para a sua pressão arterial;
- pílulas de Cortisona, tais como prednisolona;
- pílulas anticoncepcionais (para algumas pessoas);
- Café (cafeína);
- álcool, em grandes quantidades;
- nicotina (tabagismo, outras formas de tabaco) que pode dar picos de curta duração na pressão arterial de 15-20 unidades;
- drogas como a anfetamina e cocaína;

Isso não significa que é imperativo que se abstenham de café ou álcool completamente, no entanto, se você é um “grande usuário", pode ser vantajoso diminuir sua ingestão. Por outro lado, é sempre uma boa ideia parar completamente de fumar: acabando com o hábito de fumar será excelente para a sua saúde em geral, e não apenas a sua pressão arterial.


4. Exercícios!

O exercício regular tem demonstrado reduzir a pressão arterial. E, além disto você vai queimar calorias e, portanto, aumentar sua tolerância aos carboidratos.


5. Evite a deficiência de ômega 3 e vitamina D

Estudos indicam que a suplementação de Omega 3 pode reduzir um pouco a pressão arterial (especialmente o valor da pressão sistólica). E outro estudo mostra que a redução da pressão arterial com a ingestão de suplementos de vitamina D em pessoas com deficiência (mais comum durante o inverno). 



8. MEDICAÇÃO DA PRESSÃO ARTERIAL

Em níveis de pressão sanguínea, que são pelo menos moderadamente elevadas (> 160/100), tais como aqueles induzidos por doença cardíaca, a medicação pode ser apropriada. Mantendo-se de acordo com as sugestões de estilo de vida acima, é uma ótima opção, pois podem ajudar você a não precisar mais tomar medicamentos.

A medicação pra reduzir a pressão sanguínea, tende primeiramente a reduzir os riscos de ter um acidente vascular cerebral, insuficiência cardíaca ou danos nos rins provocados pela pressão sanguínea elevada.

Há muitas boas opções quando se trata de tais medicações. Exemplos são: ECA-enzima conversora de angiotensina, inibidores ou bloqueadores dos receptores de angiotensina II, tais como Enalapril ou Losartan. Se este tipo de medicação não dar o efeito desejado, você pode ter que adicionar outros medicamentos, tais como os chamados antagonistas do cálcio (por exemplo Felodipin) ou um diurético leve (pode ser encontrado como uma pílula combinada com Enalapril e Losartan).

Se possível, evitar o uso de beta-bloqueadores para tratar a pressão arterial (isso significa pílulas como Atenolol, Metoprolol ou Seloken). Eles são menos eficazes e causam mais efeitos colaterais (como a diminuição da potência, fadiga e ganho de peso). Estes medicamentos podem, no entanto, ser de utilidade em casos de doenças cardíacas tais como angina.



9. TÉCNICA DE MEDIÇÃO ARTERIAL EM CASA

A pressão arterial é medida melhor quando estiver sentado, já que é a forma como é geralmente é medida em estudos determinando valores saudáveis. Ser sistemático e fazer de acordo com os padrões de medição, diminui o risco de excesso de medicação por medições erradas.

O medidor de pressão arterial deve ser de alta qualidade, de preferência um tipo testado e certificado. Deve-se medir a pressão arterial em seu braço (medições de pulso são menos confiáveis).

Para maior precisão, a medida de pressão arterial deve ser realizada da seguinte forma:

- Abster-se de exercício, fumo ou alimentação meia hora antes da medição;
- Descanse em temperatura ambiente confortável por 5-10 minutos antes da medida.
- Exponha seu braço. 
- O manguito deve ser acondicionado de forma que sua borda inferior fique cerca de 0,7 centímetros acima da dobra do seu braço.
- O manguito deve estar nem muito apertado nem muito solto - dois dedos devem caber debaixo dele. - Sente-se numa cadeira com um encosto e certifique-se de que as costas e os pés estão em repouso confortável, não cruze as pernas.
- Descanse o braço confortavelmente e posicione na mesma altura que o seu coração, por exemplo colocando-o sobre uma mesa.

- Relaxe e faça a medição.
- Repita a medição pelo menos uma vez, com pausa de um minuto entre elas. Anote a média de duas ou mais medições.

Resultados Precisos

Se a medição é realizada corretamente, com medidor de pressão arterial certificado, você estará recebendo resultados tão precisos como você teria em uma clínica médica. 
A diferença entre a pressão arterial sentado e deitado.

Na Suécia, a pressão arterial é muitas vezes medida erroneamente em clínicas com os pacientes deitados. As diferenças tendem a ser pequenas, no entanto: quando sentados, a pressão arterial sistólica registra um pouco menor, e a diastólica um pouco mais alta. Tentando isso em mim, eu notei leituras de 116/73 em média ao longo de várias medições sentado e uma média de 119/72 deitado.

Medições erradas de pressão arterial deitado podem levar ao risco de excesso de tratamento em algumas pessoas, especialmente em idosos (no caso de "decúbito dorsal", ou seja, queda da pressão arterial sentado / em pé).

As flutuações durante o dia e ano
A pressão arterial é geralmente no seu mais baixa na parte da manhã, e sobe ligeiramente à tarde e à noite. Ela tende a ser mais baixa durante o verão e ligeiramente maior durante o inverno.



ESTUDOS:
O tratamento de pressão arterial elevada

Tratamento da pressão arterial um pouco elevada (140-159 sistólica, diastólica 90-99) em pacientes de outra maneira saudável para o coração não necessariamente resultam em ganhos em saúde:

Diao D, et al. Pharmacotherapy for mild hypertension.. Dados Cochrane Syst Rev. 2012 15 de agosto; 8: CD006742.

Técnica apropriada para medições de pressão arterial

Súmulas:

Williams JS, et a. Videos in clinical medicine. Blood-pressure measurement. N Engl J Med. 2009 Jan 29;360(5):e6.
___________________


Leia também:



Sugestões de livros sobre a Dieta Paleo - Low Carb? Veja aqui

Saiba das novidades do Menos Rótulos por e-mail:
  
 Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram
 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.