As Diretrizes Alimentares Americanas estão sendo REavaliadas

O Congresso Americano está questionando a maneira como as Diretrizes Alimentares Americanas são elaboradas, em razão das inúmeras contradições em relação aos estudos científicos mais recentes.


Congresso: Precisamos rever as Diretrizes Alimentares para os Americanos

Tradução feita por Regiany Floriano. Texto original aqui.

By Peter Whoriskey December 18

Preocupado com a integridade das recomendações nutricionais para a nação, o Congresso pede uma revisão abrangente da forma como as influentes diretrizes dietéticas para os americanos são elaboradas.

A medida, que foi aprovada na Câmara e no Senado como parte de um enorme projeto de lei orçamentária, que suspendeu $ 1 milhão para a Academia Nacional de Medicina para conduzir o estudo.

"Foram levantadas questões sobre a integridade científica do processo no desenvolvimento das orientações dietéticas e se a informação sobre nutrição equilibrada está atingindo o público", de acordo com a linguagem que acompanha o projeto de lei. "Todo o processo usado para formular e estabelecer as diretrizes precisa ser revisto antes que diretrizes futuras sejam emitidas."

"Espero que isto faça com que as orientações alimentares sejam baseadas em ciência", disse o Rep. Collin C. Peterson (D-Minn.), Membro da Comissão de Agricultura da Câmara, um dos comitês que supervisionam as diretrizes alimentares. "Eles ficam mudando tanto, que eu não sei mais se a população americana presta atenção nisso."

O Guia Alimentar para os Americanos, atualizado a cada cinco anos pelo governo federal, tem profundos efeitos sobre o que os americanos comem, moldando o conteúdo da merenda escolar e das rações militares e servindo como base científica para muitas recomendações nutricionais feitas em jornais, revistas, e livros informativos.

A Ciência da nutrição tem estado em crise nos últimos anos, no entanto, e este ano, examinaram artigos publicados das divergências científicas sobre as posições que as diretrizes alimentares tomaram sobre o sal, leite e gordura saturada, colesterol, bem como as implicações para a saúde em não tomar o café da manhã. Os relatos também exploraram as recomendações sobre o café e os impactos ambientais da produção de carne, feitos pelas Comité Consultivo das Diretrizes Alimentares, o grupo de peritos que forneceu as informações ao governo.

O projeto de lei pede que a Secretaria de Agricultura, no prazo de 30 dias, contrate a Academia Nacional de Medicina para que realize um estudo abrangente, que inclui uma análise de como as orientações dietéticas podem melhor prevenir as doenças crônicas, como as evidência são reunidas e avaliadas, e se uma gama completa de pontos de vista são considerados.


"No mínimo, o processo deve incluir: a total transparência, ausência de distorções, e a inclusão e consideração de todas as pesquisas mais recentes disponíveis e evidências científicas, até as que desafiam as recomendações dietéticas atuais", de acordo com a linguagem que acompanha a medida.
A declaração de um porta-voz do USDA (Departamento de Agricultura dos EUA) disse que "estamos ansiosos para aprofundar o nosso trabalho com o Instituto de Medicina para continuar a garantir que as orientações ajudem os americanos a fazerem suas próprias escolhas, informados sobre suas dietas e criar um guia para prevenção de problemas de saúde relacionados com a alimentação, como obesidade, diabetes e doenças cardíacas".

"Desde 1980, as famílias e profissionais de nutrição e saúde de todo o país têm seguido os Departamentos de Saúde e Serviços Humanos e Agricultura, acompanhando suas orientações dietéticas baseadas na ciência, que servem como um quadro normativo da alimentação nutritiva", disse o comunicado.

As próximas Diretrizes Alimentares para os Americanos - elas têm saído a cada cinco anos desde 1980 - estão programadas para serem lançadas em janeiro. Nos termos da legislação, a Secretaria da Agricultura, representada por Tom Vilsack e Saúde e Sylvia Burwell, da Secretaria dos Serviços Humanos são obrigados a garantir que eventuais revisões às orientações sejam "com bases científicas significativas".

A publicação é essencialmente obra da burocracia federal e do Comitê Consultivo das Diretrizes Alimentares, um painel de 15 membros especialistas. A sua atualização em intervalos de cinco anos é uma tarefa difícil, que cai a um grupo relativamente pequeno de pessoas. A ciência da nutrição evolui rapidamente, e ao longo de um ano de reuniões, o comitê consultivo é chamado para rever centenas de complexos, e às vezes conflitantes trabalhos científicos. A extração das recomendações nutricionais de todas as informações de pesquisa, é uma tarefa um tanto árdua e, sem dúvida, confusa.

Embora as diretrizes tenham evoluído à medida que compreensão científica cresce, os críticos afirmam que elas se moveram muito lentamente, principalmente no que se refere às gorduras saturadas, que são as gorduras características das carnes e produtos lácteos.

"Isso é importante porque é a primeira vez que o Congresso observou que há um problema com o processo das Diretrizes Alimentares", disse David McCarron, pesquisador associado do Departamento de Nutrição da Universidade da Califórnia-Davis. Ele é o novo presidente do Conselho de Nutrição Médica da Sociedade Americana de Nutrição e fará parte de um Conselho Científico Consultivo na ConAgra Foods. "Há um monte de coisas nas orientações que estavam certas há quarenta anos atrás, mas que a ciência refutou. Infelizmente, às vezes, a comunidade científica não gosta de voltar atrás".
  
______________________


Sugestões de livros sobre a Dieta Paleo - Low Carb? Veja aqui 


 Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram

 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.