A HIPERINSULINEMIA a Longo Prazo

A dieta convencional para ter um "coração saudável" seria manter muito baixo o teor de gordura, pois acreditava-se que se você comesse muita gordura, suas artérias iriam entupir e lhe causar ataques cardíacos. Portanto, a "melhor" dieta seria muito baixa em gordura, e pra compensar, rica em carboidratos. Esta dieta de alto carboidrato significaria que mais insulina teria de ser injetada para controlar o açúcar no sangue... 

O grande erro foi o de assumir que doses elevadas de insulina não seriam prejudiciais para o organismo. Níveis persistentemente elevados de insulina ao longo de muitos anos, levam à resistência à insulina. Esse é o ponto crucial do problema. Não é a glico-toxicidade mas a Insulina-toxicidade.

Então antes de comer alguns biscoitos inocentes, lembre-se disto:




Encontrei este texto e achei interessante, por isto traduzi e adaptei.

A farmacêutica, pesquisando sobre os efeitos do excesso de insulina no corpo, tentou registrar todos de uma maneira bem visível, mas como não é boa desenhista, acabou esboçando um homem que ficou parecido com um boneco de gengibre (aquele do filme do Shrek). Porém eu vou além, e ainda associo o biscoito com o aumento da glicemia, que ocorre ao ingerir alimentos feitos com farinha e açúcar, o que tem tudo a ver com a insulina : aumento da glicose no sangue = aumento da insulina.

O Boneco de Gengibre ilustra algumas das muitas doenças podem ser causadas ou agravadas pela hiperinsulinemia. 
Altos níveis de insulina afetam todos os vasos sanguíneos a partir das grandes artérias (ajuda com lipídios depósito) para os minúsculos capilares (inflamação no revestimento capilar e não pára a formação de coágulos sanguíneos minúsculos). Isto significa que a hiperinsulinemia aumenta o risco de uma doença dos vasos sanguíneos, de cegueira provocada por lesões da retina, para a demência vascular e acidentes vasculares cerebrais, doenças do coração, até mesmo a disfunção erétil. Alarmante, não é?


HIPERINSULINEMIA:

Um manuscrito postado pela revista "Diabesity" (que você pode ler aqui) resumidamente relata que os níveis elevados de insulina não estão apenas ligados a diabetes e as doenças cardíacas, mas também com o câncer, a osteoporose, a inflamação e muitas outras condições. Esta avaliação pode ser um dos primeiros artigos de jornal que tentou colocar todas essas condições juntas.

A insulina é uma das substâncias biológicas mais importantes para o metabolismo. Seu papel é levar a glicose da corrente sanguínea para as células musculares, adiposas e hepáticas. Uma vez nelas, a glicose pode ser usada como combustível.

A insulina é o hormônio que ajuda a regular o açúcar no sangue e é ativado quando comemos açúcar e carboidratos. Em nosso corpo, o controle glicêmico (nível de açúcar no sangue) é mantido dentro de uma faixa apertada. E a ação da insulina é necessária em todo o corpo. O sistema nervoso central utiliza os sinais para controlar e equilibrar o metabolismo de energia, para a reprodução, para a função cerebral, e outras funções também.

Em geral, células saudáveis têm uma alta sensibilidade à insulina. Mas quando as células são expostas constantemente a altos níveis de insulina, como resultado de uma ingestão constante de glicose (grande parte em razão de um consumo exagerado de alimentos processados, recheados de açúcares e farinhas refinadas que elevam os níveis de insulina acima do limite saudável), nossas células se adaptam reduzindo, na própria superfície, o número de receptores que reagem à insulina.

Em outras palavras, nossas células se dessensibilizam à insulina, gerando uma condição chamada “resistência à insulina”, que lhes permite ignorá-la e não absorver a glicose do sangue. Então, o pâncreas reage bombeando ainda mais insulina. Assim, para que o açúcar chegue às células, são necessários níveis elevados do hormônio. Isso cria um ciclo que, por fim, culmina no diabete s tipo 2.
Quem sofre de diabetes tem açúcar alto porque o corpo não consegue transportar o açúcar para as células, onde ele possa ser armazenado com segurança para gerar energia.

E esse açúcar no sangue acarreta muitos problemas — mais do que é possível mencionar. Como um caco de vidro, o açúcar tóxico provoca um enorme estrago, levando à cegueira, a infecções, a danos aos nervos, a doenças cardíacas e, sim, também ao Alzheimer.

Ao longo dessa cadeia de eventos, a insulina pode ser vista como cúmplice do que ocorre quando não é possível controlar adequadamente o açúcar no sangue. E ela também é um hormônio anabólico, ou seja, estimula o crescimento, promove a formação e a retenção de gordura e é um hormônio que contribui para os processos inflamatórios.

Quando o nível de insulina está elevado, outros hormônios podem ser afetados. Isso, por sua vez, leva o corpo a padrões ainda mais insalubres, que reduzem sua capacidade de restabelecer o metabolismo normal.

Por isso devemos evitar estes problemas através de uma dieta adequada, manter o corpo sempre em movimento e procurando viver um estilo de vida saudável.

Perlmutter, David, "A Dieta da Mente”

_________________________

Outros artigos interessantes:

Um novo paradigma da Resistência à Insulina







Sugestões de livros sobre a Dieta Paleo - Low Carb? Veja aqui

Saiba das novidades do Menos Rótulos por e-mail:
   
 Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram
 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.