Desejos por mais comida...

Qualquer pessoa que comer uma grande quantidade de carboidratos, sentirá em breve a vontade de comer mais alimentos ricos em carboidratos, pela necessidade de mais energia devido aos altos e baixos da glicemia. Mas e quando já está seguindo uma alimentação de baixo carboidrato, por que as vontades ainda aparecem?

Todas estas recomendações abaixo feitas pelo Cardiologista Dr Willian Davis, são para as pessoas que retiraram o açúcar, o trigo e outros grãos da sua dieta e consequentemente, reduziram o consumo de carboidratos. Não devem ser seguidas pelos que se alimentam da maneira convencional, onde a maior parte da dieta é composta por carboidratos, mesmo que sejam "grãos integrais saudáveis".


As 5 maiores razões por que você ainda tem “desejos”. 

Texto traduzido por Regiany Floriano. O original está original aqui.

Siga o estilo de vida sem grãos* e você será libertado da fome e dos desejos, exceto quando fisiologicamente adequados, como depois de 8 horas da última refeição. Por exemplo, muitos de nós tomamos o café da manhã, e não temos nenhum desejo por comida até o jantar. Ou você pode ter almoçado muito bem ao meio-dia, e se esquecer de jantar.

Em outras palavras, aquela fome incessante, contínua, ou o estômago roncando de fome que aflige as pessoas hoje em dia, podem explicar o comportamento agressivo e até a raiva. Quando a ânsia por alimentos simplesmente vai embora, você fica apenas com um lembrete suave que pode ser bom comer em algum momento nas próximas horas.

Se você estiver seguindo este estilo de vida corretamente, não deve estar sentindo fome ou desejos, antes de umas 2 horas depois de uma refeição, não deve sentir uma fome desesperada antes de cada refeição, não deve acordar no meio da noite com desejo de alguma coisa. Se isto estiver acontecendo com você, avalie as 5 razões mais comuns pelas quais você está tendo tais impulsos impróprios:


1 - Você ainda está sendo exposto ao trigo e grãos

Qualquer coisa por menor que seja, será uma armadilha para a sua saúde e esforços para a perda de peso, assim como um alcoólatra que foge de um gole de Bourbon de vez em quando, vai acabar cedendo...
"Não resisti"; "Eu como só quando não tem outra coisa"; "Foi um dia ruim”; "Só uma vez por semana". Todas essas "indulgências" abrem o apetite, muitas vezes a graus exagerados, para não dizer que continuarão a conduzir à inflamação, doenças autoimunes, risco de doença cardíaca (através das pequenas partículas de LDL desencadeadas pela "indulgência"), risco de demência (por glicação de proteínas endógenas do cérebro), e outros comprometimentos na saúde.

E não se esqueça de examinar os suplementos nutricionais, a composição dos shakes ou quaisquer outros alimentos processados e medicamentos procurando as fontes ocultas de trigo / grãos.


2 - VOCÊ continua com medo da gordura

Você perdeu o instinto natural para consumir gordura na quantidade adequada por causa das avalanches de recomendações absurdas, que recebemos nos últimos 30 ou 40 anos, para evitar a gordura. Então:
Coma gordura! Compre carnes gordas, não magras. Não remova a gordura, coma!
Guarde a banha que sobrar depois de preparar bacon e use-a para cozinhar outros alimentos (guarde na geladeira)!
Use mais óleo de coco, manteiga orgânica, use mais azeite de oliva, abacate, e outros óleos que não sejam de grãos refinados (soja, milho, canola).



3 - Você está limitando o tamanho das porções

Você tem que apagar a ideia destrutiva de que a ingestão de calorias causa o ganho de peso, ou o mito "calorias que entram x calorias que saem", ou todos os outros mantras repetidos tantas vezes que fazem você escolher porções menores ou afastar o prato antes de estar satisfeito. NÃO SUE as calorias e coma até que você esteja saciado.
Lembre-se que, se você tivesse que contar calorias em seu estilo de vida livre de grãos, seria consideravelmente menos do que costumava ser durante seus dias consumindo trigo e grãos (porque você removeu os peptídeos opiáceos estimulantes do apetite, derivados de gliadina do trigo e grãos), mas ninguém por aqui deve estar contando ou limitando calorias.




4 - Você está exagerando nos carboidratos / açúcares

 Vivemos numa época em que 1/3 das pessoas são diabéticas, outro 1/3 são pré-diabéticos (com quase os mesmos riscos cardiovasculares dos diabéticos), e outro 1/3 são o que eu chamo de "pré-pré-diabético" por causa do incremento absurdo de carboidratos / açúcares nos alimentos processados modernos e a resistência à insulina resultante em pessoas que consomem esses alimentos.


Eu vejo pessoas exagerando nos carboidratos / açúcares de varias maneiras: excessiva quantidade de frutas em seus smoothies e shakes de proteína; exposição aos ingredientes adicionados aos alimentos "sem glúten" industrializados; "Carb-loading" = ingestão de carboidratos para o exercício (um prática improdutiva e destrutiva a longo prazo); agarrando-se aos antigos hábitos "saudáveis" como comer farelo de cereais; falta de conhecimento do teor de carboidratos de muitos alimentos, como os 24 gramas de carboidratos líquidos em uma banana madura de tamanho médio - o suficiente para desligar a perda de peso, desencadear elevação do açúcar no sangue, acelerar a glicação endógena de proteínas pelo corpo, disparar o apetite quando o aumento do nível de açúcar no sangue é seguido pela hipoglicemia, etc.

Por esta razão, nós limitamos os carboidratos líquidos para não mais de 15 gramas de peso líquido por refeição (a menos que sua sensibilidade individual seja diferente, medido pelos valores da glicemia pré-refeição / pós-refeição)*.



5 – Não cuidar bem da flora intestinal BENÉFICA

 Tire o trigo e os grãos*da sua alimentação, que você eliminará um fator extremamente perturbador da saúde do intestino e da flora intestinal. Mas a flora intestinal não se recupera completamente por si própria, pelo menos não durante muito tempo.

É por isso que nós propositalmente adotamos medidas para cultivar uma flora intestinal saudável, assim como semear as sementes e adubar um jardim. Não fazer isso pode significar falha em reverter totalmente as doenças autoimunes, a não reverter completamente a diabetes tipo 2, a incapacidade de recuperar totalmente a saúde mental / emocional, fracasso para reduzir o risco a longo prazo da doença diverticular e câncer de cólon, e falta de controle do apetite e impulso.

Aqueles de vocês que seguem o estilo de vida sem grãos*, reconhecem que todo e qualquer problema citado acima pode ser tratado e corrigido, permitindo-lhe ser libertado da fome anormal, desejos, dificuldade na perda de peso, ou o retorno de um problema de saúde. Fome incessante e desejos não são naturais, são resultados de recomendações nutricionais equivocadas e especulativas. Corrigir esses fatores te faz retornar a fome natural, a fome "suave", destinada a garantir o sustento, nada mais, nada menos.


* Discutidas no livro “Barriga de Trigo Saúde Total


Sugestões de livros sobre a Dieta Paleo - Low Carb? Veja aqui

Receba as novidades do Menos Rótulos por e-mail:
    
 Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram

 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.