Diabetes tipo 2 - Assuma o comando de sua própria saúde.


Como era abordagem para a Diabetes antes da insulina injetável e dos medicamentos atuais?
Será que o tratamento atual para diabetes é eficaz?
Por que mais e mais pessoas estão com diabetes atualmente?
Porque depois do diagnóstico, nem sempre têm mais saúde e qualidade de vida com o tratamento?
Existe uma maneira de reverter a diabetes tipo 2?


Tradução e adaptação feita por Regiany Floriano. O texto original está aqui. 



Como reverter a diabetes tipo 2

Você é diabético, ou está em risco de ter diabetes? Você se preocupa com o seu nível de açúcar no sangue? 
A doença diabetes (qualquer tipo) significa que você tem muito açúcar no sangue. 

Você pode normalizar o açúcar no sangue naturalmente quando necessário - sem pílulas, contagem de calorias ou fome. Muitas pessoas já o fizeram. Como um bônus, além de ter o nível de açúcar no sangue normalizado, você terá mais saúde e menos peso.



1 - A Epidemia Desastrosa


O que está errado? Por que cada vez mais e mais pessoas se tornam diabéticas?
No passado, antes da nossa dieta ocidental moderna, o diabetes era extremamente raro. A doença está se tornando cada vez mais comum. Em todo o mundo, mais e mais pessoas estão tornando-se diabéticas:
Estatísticas: WHO e IDF

O número de pessoas com diabetes está aumentando de forma incrivelmente rápida e está caminhando para os 500 milhões. Esta é uma epidemia mundial. Quem será o próximo a ser afetado em sua família? Sua mãe, pai, primo, o seu filho? Ou você mesmo? Talvez o seu sangue já esteja muito doce.

Aqueles afetados pela forma mais comum de diabetes (tipo 2) normalmente nunca recuperam a sua saúde. Em vez disso, tomamos como certo que eles vão ficar um pouco mais doentes a cada ano que passa. Com o tempo eles precisarão de mais e mais medicamentos. E as complicações surgirão mais cedo ou mais tarde: cegueira, a diálise devido aos rins prejudicados, demência, amputações e morte.

A epidemia de diabetes provoca um sofrimento inconcebível. Felizmente há algo que pode ser feito. Nós apenas precisamos enxergar o erro que levou à explosão desta doença - e corrigi-lo. Isso pode normalizar o açúcar no sangue. Muitos já obtiveram sucesso fazendo isto.
Se você já sabe que você é diabético você pode pular para a seção 4 - De onde vem o açúcar no sangue.
Caso contrário, vamos ver se você está em risco.



2 - O seu nível de açúcar no sangue está normal?
Aqui está um curso intensivo de diabetes e hiperglicemia.


Os sintomas mais comuns de diabetes:
- Sede excessiva e uma produção anormalmente elevada de urina. Isto porque periodicamente, o açúcar no sangue a níveis elevados (acima de 15 mmol / l ou 270 mg / dl) chega na urina que puxa o fluido do corpo, o que aumenta a sede.

- Uma deterioração na visão também é comum. O açúcar faz com que a lente do olho inche e você vai se tornar mais míope.

- Fadiga

- No diabetes tipo 1, você pode inexplicavelmente perder peso e seu hálito pode ter odor de acetona (removedor de unha).

No entanto, observe que com formas mais leves de diabetes, muitas vezes você não percebe nada. Ainda assim, todo o açúcar no sangue pode danificar gradualmente o seu corpo.


TESTE

Você está diabético? Se você ainda não sabe isso, para testar é simples, em poucos segundos. Seja no consultório do seu médico ou com o seu próprio medidor de glicose no sangue. Uma gota de sangue é o necessário:

Um nível normal de açúcar no sangue é de até 6 mmol / L (108 mg / dl) em jejum, ou até 8.7 (156 mg / dl) após uma refeição.

Um nível de açúcar no sangue ligeiramente elevado pode indicar pré-diabetes.

Acima de 7.0 mmol / l (126 mg / dl) em jejum, ou 12.2 (220 mg / dl) após uma refeição, indica que você é diabético.

Você também pode testar sua urina com tiras de teste de urina: glicose na urina geralmente indica que você é diabético.

Teste, e você vai saber.


3 - DOIS TIPOS DE DIABETES
O que causa a diabetes? Há duas formas comuns:

tipo 2
A diabetes Tipo 2 é de longe a forma mais comum (cerca de 90% de todos os casos) e a que está aumentando mais. Ela afeta principalmente pessoas acima do peso, de meia-idade ou mais velhos. Não é raro que a pessoa afetada também tenha a pressão arterial elevada e números de colesterol ruins. A diabetes gestacional é um caso especial de diabetes tipo 2 temporária.

Na diabetes tipo 2, torna-se cada vez mais difícil para o corpo lidar com todo o açúcar no sangue. Grandes quantidades do hormônio insulina são produzidas para baixar o açúcar no sangue, mas ainda não é o suficiente, à medida que a sensibilidade à insulina diminui. No momento do diagnóstico tipo 2, os diabéticos têm normalmente dez vezes mais insulina no seu corpo do que o normal. Como efeito colateral, esta insulina armazena gordura e causa o ganho de peso, algo que muitas vezes já estava em andamento por muitos anos, antes que a doença fosse diagnosticada.

Por que mais e mais as pessoas têm diabetes tipo 2 hoje? Você vai saber por que quando você terminar de ler esta página. Uma pista: a doença em muitas línguas era chamada de doença do açúcar.


TIPO 1  
Diabetes tipo 1 (diabetes infanto-juvenil) afeta principalmente crianças e adultos jovens. As pessoas com diabetes tipo 1 muitas vezes estavam com o peso normal, mas nos meses anteriores ao diagnostico, geralmente perdem peso inexplicavelmente.

A diabetes tipo 1 é causada pela morte da maioria das células produtoras de insulina do organismo (a partir de uma causa desconhecida). A deficiência grave em insulina provoca hiperglicemia e perda de peso rápida.

O tratamento consiste principalmente na administração da insulina injetável. Além disso, uma dieta que não eleve o açúcar no sangue facilita drasticamente a manutenção da glicemia em um nível estável e normal.


4 – De onde vem o açúcar no sangue?

Carboidratos
O problema para os diabéticos é que o corpo tem dificuldade em manter os níveis de açúcar no sangue baixos. O sangue se torna muito doce. Então de onde vem o açúcar no sangue ?

O açúcar no sangue vem dos alimentos que nós comemos. Os alimentos que se transformam em diferentes tipos de açúcar assim que chegam ao estômago são chamados hidratos de carbono ou carboidratos. Isto significa açúcar (como em refrigerantes, sucos de frutas, doces) e amido (como do pão, massas, arroz e batatas).


Por exemplo o amido do pão, é dividido em glicose no estômago. Quando a glicose entra na corrente sanguínea é chamada de açúcar no sangue.

Quanto mais carboidratos são ingeridos numa refeição, mais açúcar é absorvido na corrente sanguínea e consequentemente maior a quantidade de açúcar no sangue.


Diretrizes Dietéticas invertidas


As recomendações nutricionais nas últimas décadas são semelhantes em todo o mundo ocidental. Apesar de mais e mais pessoas se tornaram diabéticas, e mesmo os afetados tornando-se cada vez mais doentes, são aconselhados a comer justamente os alimentos que aumentam o açúcar no sangue.

Aqui está um bom exemplo, o prato sueco padrão  para diabéticos:
Quais seções do prato elevam o açúcar no sangue? Bem, aqueles que contêm carboidratos (açúcar e amido).

O pão e as batatas são ricos em amido, o leite contém açúcar do leite e a fruta contém açúcar simples:



Assim, a comida na ilustração acima eleva dramaticamente açúcar no sangue. Pessoas com diabetes, que se alimentarem desta forma, provavelmente não ficarão mais saudáveis ou mais magras. Pelo contrário, há grandes chances delas precisarem de mais e mais medicamentos e se tornarão mais e mais obesas com o passar dos anos.

O conselho acima, portanto, é não só ilógico, como também pouco eficaz. Totalmente desprovido de apoio científico de acordo com um especialista sueco. Pelo contrário, nos últimos anos, os aconselhamento dietéticos semelhantes, ricos em carboidratos, demonstrou aumentar o risco de contrair diabetes e também piorar os níveis de açúcar no sangue a longo prazo em pessoas que já são diabéticas. Estas recomendações não melhoram a saúde dos diabéticos de forma nenhuma.

A única razão para continuarem a dar este conselho equivocado, é o medo persistente da gordura natural. Se você evita a gordura, você precisa comer mais carboidratos a fim de ficar saciado. Mas nos últimos anos a velha teoria sobre a gordura ser perigosa já foi provada ser incorreta e é hoje já está forade questão. Produtos com baixo teor de gordura (light, diet) são simplesmente desnecessários. Então este conselho não tem fundamento.

Existe uma alternativa para melhorar a saúde e o peso?
Quais os alimentos que não elevam o açúcar no sangue?


5 - NORMALIZAR o açúcar no sangue
O que acontece se você remover os alimentos que aumentam o açúcar no sangue? O que resta então?

Por exemplo:


Mais e mais diabéticos na Suécia estão optando por comer alimentos que não elevam o açúcar no sangue. Alimentos com menos carboidratos e uma maior proporção de gordura, alimentos LCHF (low carb high fat = baixo carboidrato, alta gordura).

Eles normalmente percebem já na primeira refeição, que o seu nível de açúcar no sangue melhora. A necessidade de medicamentos, especialmente insulina, é drasticamente reduzida. A perda de peso substancial geralmente vem em seguida. Finalmente, eles costumam se sentir muito melhor, mais alerta além de melhorar muitos os marcadores de saúde.



A foto acima mostra um grande número de leituras da glicose no sangue de uma diabética tipo 2 nos primeiros seis meses seguindo uma dieta LCHF. A área azul corresponde aos níveis ideais de glicose no sangue. Note que nem um único número elevado (pico) foi registrado depois de alguns meses! E, depois de apenas três dias, ela conseguiu até parar com as injeções diárias de insulina 70E. Ela também perdeu 68 libras (38kg) no primeiro ano.

Mais e mais médicos (eu estou longe de ser o único) farão as mesmas recomendações com excelentes resultados. Mais e mais pessoas questionam o velho conselho de uma dieta rica em carboidratos que elevam o açúcar no sangue, mesmo nos meios de comunicação.

Desde o outono de 2011, o Conselho Nacional Sueco de Saúde e Bem-Estar recomendou uma dieta de baixo carboidrato a pacientes com diabetes. Há uma grande mudança no ar atualmente e você não perde por esperar.


6 - A sabedoria antiga

Você acha que a dieta pobre em carboidratos para diabéticos é uma invenção nova? Não é. Há experiência de longa data e com efeitos positivos.

No passado, antes de ficarmos com medo de comer gordura e antes que houvesse drogas modernas para reduzir o açúcar no sangue, as recomendações dietéticas eram diferentes das de hoje. Naquela época, a dieta era tudo o que estava disponível para ajudar diabéticos.

Aqui estão imagens de um livro de receitas para diabéticos de 1917. Você pode ler o livro inteiro gratuitamente online. Abaixo está uma imagem das páginas 12-13, onde há um resumo sobre o que os diabéticos deve e não deve comer.

Vamos começar vendo o que os diabéticos não deveriam comer há uma centena de anos atrás:



O título da página é "Alimentos estritamente proibidos". Tudo começa com o açúcar e alimentos farináceos e amidos, em outras palavras farinhas e amidos. Exemplos seguir:

pão
Biscoitos
arroz
Macarrão
bebidas doces
etc.

Estes alimentos absolutamente proibidos no passado, agora fazem parte da dieta recomendada para o diabetes de acordo com o Modelo de prato sueco. Estes alimentos ocupam a maior parte do prato de um paciente com diabetes. Isto, ao mesmo temos que mais e mais diabéticos, que precisam de mais e mais drogas e ficam cada vez mais doentes. Longe de ser uma coincidência.

Alimentos especialmente valiosos


Aqui está a lista de alimentos recomendados para diabetes, ricos em nutrientes: manteiga, azeite, queijo, carne, peixe, ovos ...

Isso soa familiar. Se apenas acrescentarmos quantidades generosas de verduras, esta será a alimentação LCHF. Este é o conselho que eu dou meus pacientes diabéticos no meu trabalho como médico de família.

Este é o conselho que os diabéticos receberam há uma centena de anos atrás. Ainda na Suécia, a dieta Petrén ,com alto teor de gordura –  que inclui cortes suínos gordos, manteiga e repolho verde. E quando os diabéticos começam a comer desta forma hoje, acontece a mesma coisa como observou-se no passado. Os níveis de açúcar no sangue melhoram drasticamente desde o primeiro dia. Logicamente, quando se evita comer o que aumenta o açúcar no sangue.

A maioria das pessoas com sobrepeso, então gradualmente perdem a uma quantidade substancial de peso e sentem-se bem melhores com menos medicamentos.

Então, por que mais pessoas não aproveitam esta oportunidade?


7- nova Ciência

As recomendações de hoje de seguir uma dieta rica em carboidratos para diabéticos são baseadas no antigo medo dos alimentos naturalmente gordos. Não existem estudos de qualidade que mostrem que uma dieta rica em carboidratos seja benéfica.

Assim, estudos recentes feitos pelos peritos suecos não encontraram qualquer evidência científica que justifique o conselho atual para seguir uma dieta com baixo teor de gordura e rica em grãos integrais.

Quando se trata de dietas de baixo carboidrato LCHF mais rigorosas, existem poucos estudos científicos. Mas os estudos que têm sido feitos, demonstraram que dietas LCHF produzem um melhor efeito sobre o açúcar no sangue e redução de peso do que os conselhos de baixo teor de gordura de hoje.

Desde então, o Conselho de Saúde e Bem-Estar sueco publicou as suas orientações para os profissionais de saúde. Eles tornaram-se receptivo a várias opções sobre dietas para diabéticos e agora recomendam vivamente uma dieta pobre em carboidratos como uma primeira escolha.

Além disso, já em 2008, o Conselho de Saúde e Bem-Estar sueco examinou e aprovou pareceres sobre LCHF dentro do sistema de saúde. Recomendações LCHF estão de acordo com o Conselho de Saúde e Bem-Estar avaliação sueco, conforme estudos comprovado cientificamente. Em outras palavras, os profissionais de saúde certificadas, sentem-se totalmente confiante ao prescrever tais conselhos (por exemplo, eu).

Mesmo a Associação Americana de Diabetes (ADA) desde 2008, aprova as recomendações de uma dieta pobre em carboidratos para diabéticos.

Estudos sobre dietas do baixo carboidrato e diabetes:

8 - Um Conto de Duas refeições

Quanto o alimento que você come, afeta o seu nível de açúcar no sangue? Muito. Aqui está um exemplo de quão significativa pode ser esta diferença:

Na foto à esquerda, uma refeição LCHF verdadeira - que eu tive há um par de anos atrás, quando eu medi o meu açúcar no sangue. Carne frita na manteiga, legumes fritos na manteiga e molho Béarnaise caseiro (manteiga derretida e gema de ovo). Muita gordura, uma boa quantidade de proteína, mas quase sem carboidratos.

Na foto à direita você pode ver o almoço que nos serviram no 11º Congresso Internacional de Obesidade, em Estocolmo em 2010. Esta foi uma grande conferência internacional para os médicos e cientistas especialistas em obesidade. A refeição contém quase exclusivamente a energia do açúcar e amidos, que são decompostos em açúcares simples no estômago.

Vamos ver qual o impacto que as duas refeições tinha no meu açúcar no sangue:

Um nível de glicose no sangue entre 4-6 mmol / l (≈70-100 mg / dl) é típica durante o jejum. Então pode subir após uma refeição, dependendo da quantidade de carboidratos que você comer.

Como você pode ver nada aconteceu com o meu nível de açúcar no sangue quando eu comi a refeição LCHF. Não é nada surpreendente. Se você não comer muitos carboidratos, não há muito glicose para chegar à corrente sanguínea e, consequentemente, o nível de glicose no sangue vai ficar onde estava.

Em contraste, o almoço na conferência de obesidade elevou o meu nível de glicose no sangue subiu nas alturas! Chegou em 9,9 mmol / l (180 mg / dl), em apenas uma hora. 

Quer fazer um teste semelhante em si mesmo? Providencie um simples medidor de glicose no sangue e teste.

9 - Quem lucra com os níveis de açúcar no sangue perigosamente elevados?



Dentro do sistema de saúde para diabéticos muitas vezes ainda são recomendados os alimentos que elevam os níveis de açúcar no sangue. Não é incomum receber belas pastas ou folders, coloridos, como a sueca acima. Nestas pastas há informações que os alimentos que aumentam o açúcar no sangue lentamente são bons para você. Exemplos de tais alimentos referidos são as frutas, massas, arroz, batatas e pão!

Por que seria bom para os diabéticos incluírem alimentos que aumentam o açúcar no sangue? Quem se beneficia com isso? Quem está distribuindo todas essas pastas?

Normalmente, como neste caso, é uma empresa farmacêutica que imprimiu a pasta. Eles vendem drogas que reduzem os níveis de glicose no sangue. E então eles oferecem materiais com recomendações dietéticas que aumentam o açúcar no sangue, que fazem os diabéticos precisarem de mais medicamentos.

As empresas farmacêuticas estão fazendo muito dinheiro oferecendo conselhos alimentares que fazem com que os diabéticos fiquem mais doentes. Isto não é uma teoria da conspiração. É capitalismo puro e simples.

Recomendações de alimentos ricos em carboidratos, por exemplo, pode fazer um diabético tipo 2 necessitar iniciar o tratamento com injeções de insulina.
O consumo de insulina em um ano único, pode facilmente custar US$ 2000 ou mais. Multiplique este número por 366 milhões de diabéticos diagnosticados em todo o mundo e você vai ver os enormes interesses econômicos no presente.


10 - Torne-se sua própria Evidência

Mais e mais pessoas estão deixando de confiar nas propagandas da indústria farmacêutica ou especialistas mal atualizados. Elas estão assumindo o comando de sua própria saúde. Há uma grande mudança em andamento, que pode levar a um futuro mais saudável para muitas pessoas.

Você está confuso e não sabe o que pensar? Tudo bem. Há uma maneira simples de descobrir o efeito que uma dieta pobre em carboidratos tem sobre você.

Experimente. Tente você mesmo por algumas semanas monitorar o efeito da sua alimentação. Aqui estão alguns exemplos do que você pode esperar:

- Melhoria dos níveis de açúcar no sangue, a partir da primeira refeição;
- O aumento da saciedade e perda de peso, muitas vezes perceptível já dentro de uma semana;
- Desejos de açúcar reduzidos;
- Um sistema digestivo mais estável e livre de gases.

Assuma o comando de sua própria saúde e teste você mesmo!


11- Mais Informação

Você quer saber mais sobre como você pode melhorar a sua própria saúde e de sua família? Comece por manter-se atualizado.

Veja aqui o relato de uma senhora que conseguiu reverter a diabetes tipo 2 depois de 20 anos com a doença.



Mais artigos relacionados:




Sugestões de livros sobre a Dieta Paleo - Low Carb? Veja aqui

Receba as novidades do Menos Rótulos por e-mail:
  
 Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram
 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.