Como NÃO ter DIABETES



“Ter DIABETES é uma escolha que pode ser feita por 90% das pessoas com a doença.
Você pode escolher TER ou NÃO TER.

O sistema de saúde prefere que você TENHA.” (Dr Willian Davis)



Tradução do artigo do Dr William Davis feita por Regiany Floriano, o original está aqui.


Se você quiser ter Diabetes tipo 2, siga o conselho convencional para cortar a gordura e comer mais "grãos integrais saudáveis." (Isto também é verdade para a diabetes tipo 1 em indivíduos suscetíveis, com a doença auto-imune das células beta pancreáticas desencadeada pela gliadina do trigo.)


Mas se você não quiser seguir os passos dos dois terços dos americanos e canadenses, que agora são diabéticos ou pré-diabéticos? 
O gráfico abaixo mostra apenas as pessoas realmente diagnosticadas com diabetes tipo 2 em os EUA; se fossem também incluídas as não diagnosticadas, os números seriam significativamente maiores.


E se você não quiser sentir a despesa e os efeitos colaterais de medicamentos orais e insulina, um dos mais poderosos medicamentos que causam ganho de peso? 
E se você não quiser perder sua visão, desenvolver doença cardiovascular, desenvolver neuropatia periférica e doença arterial periférica, que pode levar à gangrena e amputação de membros? 
E se você não quiser fazer parte da crescente bolha de saúde, que está sendo criada por recomendações nutricionais equivocadas, agravadas pelo objetivo de lucro que impulsiona os médicos modernos?

Não seguir este caminho e, ser poupado do futuro terrível que a diabetes cria, é realmente muito simples. Mas isso não pode ser feito seguindo o conselho da American Diabetes Association (Associação Americana de Diabetes), nem seguindo o conselho da maioria dos entendidos. Há um número cada vez maior de profissionais de saúde iluminados e seguem estratégias como as listadas abaixo. Mas, infelizmente, a maioria dos médicos permanece totalmente no escuro, fazendo mais para piorar a epidemia de diabetes, não contribuindo para qualquer solução, exceto para oferecer mais medicamentos e procedimentos.


Aqui está uma lista de orientações que, se seguidas, permitem que a maioria das pessoas deixe de ser pré-diabética ou diabética:



- ALIMENTAÇÃO SEM GRÃOS OU AÇÚCARES 


A maioria dos grãos é pior do que o açúcar no seu potencial aumento de açúcar (GLICOSE) no sangue. A segurança dos carboidratos "complexos" em grãos é pura ficção: seus índices glicêmicos são mais elevados do que a sacarose.


Leia também: A VERDADE SOBRE A GORDURA E O AÇÚCAR E FINALMENTE EXPLICADA

- NÃO LIMITE A INGESTÃO DE GORDURAS


SIM: coma a gordura do seu porco ou bife, coma o tutano, bacon, fígado, use manteiga ou ghee, use mais o óleo de coco.


Leia: O que um médico gostaria que as pessoas soubessem sobre a Gordura


- CORRIGIR A DEFICIÊNCIA DE VIT. D


Um nível ideal de vitamina D 25-hidroxi é de 60-70 ng / ml, geralmente obtido com 4000-8000 unidades (cápsulas em gel ou líquidos à base de óleo, e não na forma de comprimidos) por dia. Isso ajuda a restaurar a capacidade de resposta de insulina / reverter a resistência à insulina.


Leia mais sobre a importância da Vitamina D aqui

- SUPLEMENTOS DE ÁCIDOS GRAXOS = ÔMEGA-3


Mas só for de óleo de peixe, não de krill, óleo de linhaça, ou chia (linhaça e chia são maravilhosos, mas não fornecem EPA e DHA). A ingestão ideal está na faixa de 3000-3600mg EPA + DHA por dia, dividido em duas doses. EPA + DHA neutralizam o aumento pós-prandial (após as refeições) em subprodutos digestivos (quilomícrons e VLDL) que se opõem à insulina.



- CORRIGIR A FLORA INTESTINAL


Comece com um probiótico de alta potência (por exemplo, 50 bilhões de UFC por dia, com pelo menos uma dúzia de espécies de Lactobacillus e bifidobactérias), durante várias semanas, mas é ainda mais importante a longo prazo nutrir adequadamente flora intestinal. E com prebióticos = fibras / amidos resistentes. Alimentada corretamente, A flora intestinal produz metabólitos do ácido graxo, que aumentam a capacidade de resposta do seu corpo à insulina e reduzir o açúcar no sangue.

Leia: Cuidando da Saúde do Intestino

- SUPLEMENTAÇÃO DE MAGNÉSIO


Por exemplo, malato de magnésio, 1200 mg duas vezes por dia (180 mg de magnésio "elementar" duas vezes por dia), uma vantagem modesta na restauração da capacidade de resposta à insulina.



- JEJUM INTERMITENTE


Breves períodos de jejum, por exemplo, 15-36 horas, reduzem a gordura do fígado (presente em vários graus de todos com altos níveis glicêmicos), uma enorme vantagem em restaurar a capacidade de resposta à insulina. Hidrate-se mais do que o habitual durante todo o período de jejum.


Leia: O Guia Completo do Jejum Intermitente


- DORMIR O SUFICIENTE


Não menos importante, a privação de sono aumenta o desejo por carboidratos e aumenta “os lanchinhos”, ao mesmo tempo, estimulando a insulina. A maioria das pessoas precisa de 7½ horas por noite. Você terá que fazer amizade com melatonina e triptofano para gerir o seu ritmo circadiano.
Seja ativo, inclusive evitando longos períodos sentado.


Quem estiver tomando qualquer medicamento via oral de insulina, especialmente glibenclamida, glipizida e glimepirida, deve conversar com seu médico sobre uma redução imediata na dosagem ou mesmo eliminando um ou mais deles, pois você não quer nenhuma crise de hipoglicemia (baixa de açúcar no sangue). Se o seu médico se recusar a trabalhar com você ou lhe disser que isso é absurdo, encontre um novo médico o mais rápido possível. Os médicos devem ser especialistas em reverter a diabetes, mas você vai descobrir que a maioria não é, apesar de saberem bem como prescrever os medicamentos.


_________________




Outros artigos interessantes:

Como se alimentar quando se tem Diabetes

Mary descobriu por conta própria como reverter a diabetes

Diabetes tipo 2, assuma o comando da sua saúde



Magro por fora, gordo por dentro






 Curta MENOS RÓTULOS no Facebook e no Instagram