O QUE AS PESSOAS NÃO SABEM SOBRE NUTRIÇÃO E SAÚDE (Mas deveriam saber...)

Será que até metade do século passado tantas pessoas se preocupavam com a saúde e principalmente com o peso como hoje?
O que aconteceu para que todos estejam sempre buscando soluções milagrosas para seus problemas de peso e algumas doenças?

As indústrias aproveitam cada oportunidade para preencher um novo nicho do mercado criado por uma nova moda ou enfermidade. Cada vez mais somos "bombardeados" com manchetes sobre saúde, alimentos bons pra tal doença, dietas milagrosas, medicamentos fantásticos, etc.
Mas afinal de contas, o que é certo e o que está errado na nossa vida moderna?


20 Informações Nutricionais que deveriam ser o senso comum (mas não são)

Por Kris Gunnars

(Texto traduzido por Regiany Floriano. O original está aqui.)

O senso comum é surpreendentemente raro em nutrição.
Todos os tipos de mitos e equívocos estão sendo espalhados, até mesmo pelos chamados especialistas.
Aqui estão 20 informações sobre nutrição que deveriam ser o senso comum (mas claramente não são).


1.  gorduras trans ARTIFICIAIS não são adequadas para o consumo humano

As gorduras trans são péssimas.
A produção envolve alta pressão, calor e gás de hidrogênio na presença de um catalisador metálico.
Este processo transforma os óleos vegetais líquidos em uma lama espessa, tóxica que é sólida à temperatura ambiente.
Você imagina o que se passava na cabeça da pessoa que pensou em colocar este material nos alimentos e vendê-lo aos seres humanos. É realmente desconcertante.
Claro, as gorduras trans são mais do que apenas pouco apetitosas. Estudos têm demonstrado que elas são extremamente prejudiciais, bem como, estão ligadas a um aumento drástico no risco de doença cardíaca (1, 2).


2. Você não precisa comer a cada 2-3 horas 


Você realmente não precisa estar constantemente comendo para perder peso.
Estudos sobre isso constataram que refeições menores, mais frequentes não têm efeito sobre a queima de gordura ou peso corporal (3, 4).
Comer a cada 2-3 horas é inconveniente e completamente desnecessário para a maioria das pessoas. Basta comer quando você está com fome e certifique-se de escolher alimentos saudáveis e nutritivos.



3. A grande mídia nunca deve ser a fonte de Informações Nutricionais 


A grande mídia é parte da razão para toda a confusão nutricional.
Parece que a cada semana há um novo estudo nas manchetes, muitas vezes contrariando outro estudo que saiu apenas alguns meses antes.
Essas histórias muitas vezes recebem um monte de atenção, mas quando você olha além das manchetes e lê os estudos reais, você vai perceber que as coisas não se encaixam.
Em muitos casos, há outros estudos de maior qualidade que contradizem diretamente o frenesi da mídia (que raramente são mencionados).



4. A Carne não apodrece em seu intestino 


É completamente falso que a carne apodrece no cólon.
O corpo humano está bem equipado para digerir e absorver todos os nutrientes importantes encontrados na carne.
A proteína é quebrada no estômago pelos ácidos gástricos, e em seguida o resto vai para o intestino delgado onde sofre ação de poderosas enzimas digestivas.
Todas as gorduras, proteínas e nutrientes são então transportados através da parede do tubo digestivo para dentro do corpo. Não há simplesmente nada mais para "apodrecer" no cólon.



5. Os ovos estão entre os alimentos mais saudáveis que você pode comer 


Os ovos foram injustamente demonizados porque as gemas são ricas em colesterol.
No entanto, os estudos mostram que o colesterol dos ovos não aumenta o colesterol no sangue, na maioria das pessoas (5).
Novos estudos que incluem centenas de milhares de pessoas mostram que os ovos não têm nenhum efeito sobre as doenças cardíacas em indivíduos saudáveis (6).
A verdade é que os ovos estão entre os alimentos mais saudáveis e mais nutritivos que você pode comer.
Quase todos os nutrientes são encontrados na gema, e dizendo às pessoas para evitar as gemas de ovos (ou ovos ao todo) é um dos maiores erros da história da nutrição.



6. bebidas açucaradas são o que mais engordaM na dieta moderna 

A adição de açúcar é um desastre, e ingerir na forma líquida é ainda pior. 
O problema com o açúcar líquido, é que seu cérebro não registra estas calorias te fazendo comer menos de outros alimentos (7) pelo contrário, te faz comer mais calorias no total (8). 
De todos os “alimentos lixo”, as bebidas adoçadascom açúcar são as que mais engordam, e isto já te diz alguma coisa.




7. baixo teor de gordura não significa Saudável

A dieta do "baixo teor de gordura", promovida pelas orientações nutricionais gerais é uma falha imperdoável.

Numerosos estudos de longo prazo mostram que isso não funciona, nem para perda de peso ou para a prevenção de doenças (9, 10, 11).
Além do mais, isso criou a uma infinidade de alimentos processados com "baixo teor de gordura" invadindo as prateleiras dos mercados. Por que alimentos sem a gordura perdem o sabor, os fabricantes adicionam um monte de açúcar para compensar.
Os alimentos que são naturalmente pobres em gordura (como frutas e vegetais) são ótimos, mas os alimentos processados com o apelo no rótulo "baixo teor de gordura", são geralmente carregados com ingredientes pouco saudáveis.



8. Suco de fruta não é tão diferente dos Refrigerantes açucarados

Muitas pessoas acreditam que sucos de frutas são saudáveis. Parece fazer sentido, porque eles vêm de frutas.
No entanto, sucos de frutas contém tanto açúcar como os refrigerantes açucarados, como a Coca-Cola (12)!
Não há nenhuma fibra neles e nenhuma resistência à mastigação, o que facilita consumir grandes quantidades de açúcar. Um único copo de suco de laranja contém tanto açúcar como 2 laranjas inteiras (13, 14).
Se você está tentando evitar o açúcar por razões de saúde, então você deve evitar suco de frutas também. É ruim do mesmo jeito, e as pequenas quantidades de antioxidantes não compensam as grandes quantidades de açúcar.


9. Alimentar as bactérias do seu intestino é fundamental!

Você sabia que na verdade, somo apenas 10% humano? As bactérias no intestino, conhecidas como a flora intestinal, na verdade, superam as células humanas na proporção de 10 / 1!
Nos últimos anos, pesquisas mostraram que os tipos e o número dessas bactérias podem ter profundas implicações na saúde humana afetando tudo, desde o peso do corpo até a função cerebral (15, 16).
Assim como as células do seu corpo, as bactérias precisam comer, e a fibra solúvel é a sua fonte de combustível preferido (17, 18). Esta pode ser a razão mais importante para incluir abundância de fibras em sua dieta, para alimentar os pequenos indivíduos do intestino.

10. "Colesterol" não é o inimigo

O que as pessoas geralmente se referem como "colesterol" não é realmente o colesterol.
Quando as pessoas falam sobre o chamado "mau" e "bom" colesterol, estão na verdade, referindo-se às proteínas que carregam o colesterol.LDL significa lipoproteína de baixa densidade e HDL significa lipoproteína de alta densidade.
A verdade é que o colesterol não é o inimigo. O principal determinante do risco de doença cardíaca, é o tipo de lipoproteína que transporta o colesterol por toda a parte, não o colesterol em si.


11. suplementos para Perda de peso raramente funcionam

Há toneladas de suplementos diferentes para de perda de peso no mercado.
O problema é que eles raramente funcionam. Eles alegam resultados mágicos, mas falham quando são postos à prova em estudos reais.
Mesmo aqueles que fazem o que prometem, o efeito é muito pequeno para realmente fazer uma diferença notável.
Quem que promove soluções mágicas com suplementos para perda de peso, está na verdade causando danos, porque isso desvia as pessoas das coisas que realmente importam.
A verdade é que a única maneira de perder peso e mantê-lo, é adotar uma mudança no estilo de vida.




12. A saúde é muito mais do que o peso


As pessoas se concentram demais no ganho ou na perda de peso. A verdade é que a saúde vai muito além disso.
Muitas pessoas obesas são metabolicamente saudáveis, enquanto muitas pessoas com peso normal têm os mesmos problemas metabólicos associados à obesidade (19, 20).
Observar apenas o peso corporal é contraproducente. É possível melhorar a saúde, sem causar a perda de peso, ou vice-versa.
A  área onde se acumula gordura é que importa. A gordura na cavidade abdominal (gordura da barriga) está associada com problemas metabólicos, enquanto que a gordura sob a pele é principalmente um problema estético (21).
Portanto, reduzir a gordura da barriga deve ser uma prioridade para a melhoria da saúde, a gordura sob a pele e o número do manequim não importam tanto.


13 calorias Contam, mas você não precisa necessariamente contar

Calorias são importantes, isso é um fato.
A obesidade é uma questão de excesso de energia armazenada (calorias) sob a forma de gordura corporal.
No entanto, isso não significa que as pessoas precisam controlar ou contar calorias, ou acompanhar tudo o que entra em seus corpos.
Embora a contagem de calorias funcione para um monte de gente, há muitas coisas que as pessoas podem fazer para perder peso, sem ter que contar com uma única caloria.
Por exemplo, comer mais proteína demonstrou levar a uma diminuição automática da ingestão calórica e a uma perda de peso significativa, sem restrição de calorias (22, 23).


14. Pessoas com alta de açúcar no sangue e / ou Diabetes tipo 2 não devem comer muitos Carboidratos

Durante décadas, as pessoas foram aconselhadas a uma dieta de baixa gordura e com 50-60% das calorias provenientes dos carboidratos.
Surpreendentemente, este conselho foi estendido às pessoas com diabetes tipo 2, que não podem tolerar uma grande quantidade de carboidratos.
Pessoas com diabetes tipo 2 são resistentes à insulina e qualquer carboidrato que ingerirem, causará um grande aumento nos níveis de açúcar no sangue.
Por esta razão, elas precisam tomar medicamentos para reduzir os níveis de açúcar no sangue.
Se há alguém que se beneficie com uma dieta low-carb, é o paciente diabético. Um estudo mostrou que em uma dieta low-carb por apenas seis meses, 95,2% dos pacientes reduziram ou eliminaram a sua medicação para controlar o nível de açúcar no sangue (24).
Embora o conselho esteja mudando (lentamente), muitas “organizações tradicionais" em todo o mundo, ainda recomendam uma dieta rica em carboidratos a seus pacientes diabéticos.


15. A gordura não te faz engordar, porém tampouco os Carboidratos

A gordura tem sido frequentemente acusada de causar obesidade, por conter mais calorias por grama do que as proteínas e carboidratos. No entanto, isso realmente não tem qualquer significado prático.

As pessoas que comem uma dieta rica em gordura (mas pobre em carboidratos), na verdade, acabam comendo menos calorias do que as pessoas numa dieta com baixo teor de gordura, de alto carboidrato (25, 26).
Inversamente isso também levou muitas pessoas a culparem os carboidratos pela obesidade, mas isso também é um erro. Há inúmeras populações que seguem dietas ricas em carboidratos, e que permanecem saudáveis.
Tal como acontece com tudo na alimentação, esta afirmação depende do contexto.
A gordura pode engordar, carboidratos podem engordar. Tudo depende do contexto geral, do que você está comendo e do seu estilo de vida.


16. Junk Food pode ser viciante

Nos últimos 100 anos ou mais, a comida mudou.
As pessoas estão comendo mais alimentos processados do que nunca, e as tecnologias utilizadas para manipular os alimentos tornaram-se cada vez mais elaboradas.

Recentemente, engenheiros de alimentos têm encontrado maneiras de fazer a comida tão "prazerosa" que o cérebro fica alagado com a dopamina (27).
Este é o mesmo mecanismo utilizado por drogas de abuso (28).
Por esta razão, algumas (mas não todas) as pessoas podem tornar-se viciadas e perder completamente o controle sobre o que consomem (29).
Muitos estudos encontraram semelhanças entre junk food (alimentos processados de baixa qualidade) e drogas de abuso (30).



17. os apelos de saúde nas Embalagens Não devem ser considerados

As pessoas estão mais conscientes sobre saúde do que nunca.
Os fabricantes de alimentos já sabem disto, e encontraram maneiras de comercializar o mesmo velho lixo para as pessoas mais informadas sobre saúde também.

Eles fazem isso através da adição de mensagens enganosas nos rótulos de seus produtos como "grãos integrais", "baixo teor de gordura" ou"pedaços de frutas".
Essas informações nos rótulos são quase sempre enganosas, e são usados para induzir as pessoas a pensar que eles estão fazendo a escolha certa para si (e seus filhos).
Se a embalagem de um alimento lhe diz que é saudável, então provavelmente não é.



18. óleos vegetais refinados devem ser evitados

Óleos vegetais, como óleos de soja, milho e canola, são extraídos de sementes usando métodos de processamento agressivos.

Estes óleos contêm grandes quantidades de ácidos graxos Omega-6, que são biologicamente ativos e os seres humanos nunca consumiram em grandes quantidades durante a evolução (31). Os estudos mostram que estes óleos podem causar a oxidação das lipoproteínas de LDL, um potencial para a doença cardíaca (32, 33, 34).



19. "orgânico" ou "sem glúten" não significa Saudável


Há muitas tendências de saúde no mundo nos dias de hoje.
Estamos na onda dos alimentos orgânicos, e a dieta sem glúten está na moda.
No entanto, só porque algo é orgânico ou livre de glúten, não significa que é saudável. Por exemplo, você pode fazer todos os tipos de junk food com ingredientes orgânicos.
Os alimentos naturalmente sem glúten são muito bons, mas os alimentos sem glúten processados,  muitas vezes são feitos com ingredientes nocivos, que são ainda piores do que os similares que contenham glúten.
A verdade é: açúcar orgânico ainda é açúcar e junk food sem glúten ainda é junk food.



20. NÃO  FAZ SENTIDO: NOVOS Problemas de Saúde culpando ALIMENTOS ANTIGOS 

A doença cardíaca não era um problema até cerca de cem anos atrás.
A epidemia da obesidade começou por volta de 1980 e a epidemia de diabetes tipo 2, veio logo depois.
Estes são os maiores problemas de saúde no mundo, e está bem claro que a dieta tem muito a ver com eles.
Por alguma razão estranha, as autoridades de saúde começaram a culpar os alimentos como a carne vermelha, ovos e manteiga.
Mas temos comido estes alimentos naturais por milhares de anos, e estes problemas de saúde são relativamente novos.
Não faz mais sentido suspeitar de todo os novo produtos em vez disso? Tal como todos os alimentos processados, açucarados, os grãos refinados e os óleos vegetais?

COLOCAR A Culpa Dos novos problemas de saúde nos alimentos antigos, simplesmente não faz sentido.


Outros artigos interessantes:

Como se alimentar quando se tem Diabetes

Diabetes tipo 2, assuma o comando da sua saúde


O fim da era dos Carboidratos para a Diabetes


Magro por fora, gordo por dentro


7 coisas que você precisa saber quando seu médico diz que seu colesterol está alto




Sugestões de livros sobre a Dieta Paleo - Low Carb? Veja aqui

Saiba das novidades do Menos Rótulos por e-mail:
    
 Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram
 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.