COCO OU AÇÚCAR DE COCO - O COQUEIRO NÃO PODE PRODUZIR TANTO!


                O que ninguém explica aos consumidores dos produtos derivados do coco é que os coqueiros não podem produzir o açúcar de coco e cocos ao mesmo tempo! Quando a seiva é recolhida de um botão de flor (que iria formar um coco) e usada para fazer o açúcar, esta árvore já não pode mais produzir cocos!

Pense nisso por um minuto: 

SEM COCO = sem água de coco, sem óleo de coco, sem coco seco, nada de farinha de coco...

Vale a pena abrir mão desses outros produtos valiosos que vêm do coco pelo açúcar de coco, que como explicarei mais abaixo, é considerado um açúcar comum???

 Alguns argumentam que um coqueiro pode produzir açúcar de coco numa época, e poderá produzir cocos posteriormente. No entanto, em 1993 (quando ainda não havia mercado para o açúcar de coco), o Órgão de Pesquisas das Filipinas, comparou por 3 anos três tipos de coqueiros: 

1. Árvores de coco que produzem apenas cocos;
2. Coqueiros produzindo apenas seiva para a indústria de bebidas / vinagre;
3. Árvores de coco que foram trocadas a cada três meses para produzir primeiro a seiva de coco, e três meses mais tarde cocos. Lembrando que um coqueiro não pode produzir os dois ao mesmo tempo.

O resultado:

As árvores que foram alternadas entre a produção de seiva de coco e produção de coco, tiveram um rendimento 50% menor na produção de cocos depois da produção da seiva de coco.  O estudo não avaliou as árvores que produzem seiva de coco por mais de seis meses (que é o caso de quase 100% do tempo nas Filipinas), nem observou o efeito do teor de nutrientes dos cocos que são produzidos após a árvore ter sido aproveitada para seiva de coco (só analisou as folhas). 

Mundialmente, há muito menos coqueiros do que havia há 50 ou 60 anos atrás, quando a campanha anti-gordura saturada começou com seriedade nos EUA, e condenou o óleo de coco juntamente com todas as outras gorduras saturadas. Quando os coqueiros atingiram a sua maturidade, muitas comunidades cortaram sua madeira e nunca mais replantaram as árvores. A expansão urbana também resultou em um menor número de coqueiros nos últimos tempos.

Antes da mania do açúcar de coco, já havia um mercado estabelecido nas Filipinas na produção de "tuba" (toddy), que vem da seiva de florescimento da palmeira do coco. Esta tuba é usada para fazer vinagre de coco, mas a maior parte é usada para Lambanog, uma bebida alcoólica melhor descrita como "vodca de coco".

Há uma pesquisa sendo feita com a xilose de coco, que é semelhante ao xilitol (muito comum nos EUA), e pode ser feita a partir das cascas de coco, sem sacrificar o coco. Mas enquanto os consumidores continuarem a exigir o açúcar de coco no presente momento, é pouco provável que os produtores e extratores de coco irão esperar mais tempo para colher o coco, quando eles podem ter um lucro maior agora. Se as tendências atuais continuarem, o coco poderá em breve ser tão escasso e o preço do óleo de coco vai ficar tão alto, que só os mais ricos poderão comprar. Isto é bem perceptível durante os anos em que as intempéries destroem a cultura do coco em uma área de um país, e os recursos limitados das áreas não afetadas empurram os preços para cima, quando os suprimentos são limitados.

Infelizmente, a história recente do açúcar de coco até agora, é bem parecida com a história do mercado de agave. O agave foi visto como o queridinho do mundo da comida saudável, e tido como um produto com supostamente inúmeros benefícios à saúde. Foi ainda recomendado como seguro para diabéticos!!! Mas agora o que se sabe é que a seiva da planta do cacto agave era tradicionalmente usada para fazer tequila, também um licor duro, e que não é mais saudável do que outros produtos à base de frutose, como o xarope de milho.
Maiores informações no artigo original, clicando aqui.

NO BRASIL:

O Brasil vem subindo no ranking geral dos maiores produtores de coco do mundo. Saiu da décima posição, que ocupava em 1990, para o quarto lugar, em 2011, com uma safra estimada em 2,8 milhões de toneladas de coco, atrás apenas da Indonésia (que produz 19,5 milhões de toneladas), das Filipinas (que tem safra anual de 15,3 milhões) e da Índia (que colhe 10,8 milhões de toneladas de coco ao ano). Considerada apenas a produção de água de coco, o Brasil é líder mundial e movimenta R$ 450 milhões com esse negócio.  


Abaixo eu traduzi um texto do Kris Gunnars sobre o Açúcar de COCO:



Açúcar de Coco
 Uma alternativa de Açúcar saudável ou uma grande mentira?



Como os efeitos nocivos do açúcar e xarope de milho estão cada vez mais evidentes, as pessoas estão procurando alternativas naturais. Um edulcorante que se tornou muito popular nos últimos anos é o açúcar de coco.
Este açúcar é derivado da palmeira de coco e é apresentado como sendo mais nutritivo e com índice glicêmico inferior do que o açúcar de mesa. Há muita conversa on-line sobre este adoçante e seria bom separar os fatos da ficção.




O que é Açúcar de coco e como ele é feito?

Açúcar de coco também é chamado Açúcar de Coqueiro.

É um açúcar natural feito de seiva, que é o fluido açucarado que circula na planta do coco. É muitas vezes confundido com açúcar de palmeiras, que é semelhante, mas feito a partir de um tipo diferente de palmeira.

Açúcar de coco é feito num processo natural de 2 etapas:
Um corte é feito sobre a flor do coqueiro, e a seiva / líquido é recolhido em recipientes.
A seiva é colocada sob calor até que a maioria da água tenha se evaporado.

O produto final é o açúcar de coco, que é algo como isto:



É mais nutritivo do que AÇÚCAR comum?

O açúcar de mesa regular e o xarope de milho não contêm nutrientes vitais e, portanto, fornecem calorias "vazias".

No entanto, o açúcar de coco retém um pouco dos nutrientes encontrados na palmeira de coco. Não há muitos dados sobre isso, mas de acordo com o Departamento de Agricultura das Filipinas, o açúcar de coco contém vários nutrientes.

Os mais notáveis são os minerais ferro, zinco, cálcio e potássio, juntamente com alguns ácidos graxos de cadeia curta, polifenóis e antioxidantes que também podem fornecer alguns benefícios para a saúde.

Ele também contém uma fibra chamada inulina, o que pode retardar a absorção de glicose e explicar por que o açúcar de coco tem um índice glicêmico mais baixo do que o açúcar de mesa comum (1).

Eu gostaria de salientar que, apesar de açúcar de coco conter alguns nutrientes, você teria muito mais de outros alimentos reais.

Açúcar de coco é muito rico em calorias (o mesmo que o açúcar comum) e você teria que comer uma quantidade absurda para satisfazer a sua necessidade dos nutrientes acima.


açúcar de Coco pode ter um baixo índice glicêmico?


O índice glicêmico (IG) é a medida de quão rapidamente os alimentos aumentam os níveis de açúcar no sangue. A glicose tem um IG =100 e se um alimento tem um IG = 50, quer dizer que ele eleva a metade do açúcar no sangue quando comparado com a glicose pura. 

Segundo eles, ao Açúcar de Coco é dado um IG de 35, o que o coloca como baixo. Isto é, bem menor que o do açúcar de mesa que é algo em torno de 60.

Mas eu tenho receio de tirar qualquer conclusão com base neste ÚNICO estudo. *
* nota da tradutora: estudo não publicado em um jornal peer-reviewed. Além disso, as variações da qualidade do açúcar do coco, que dependem do tipo de árvore de onde a seiva é recolhida, a idade da árvore, da época do ano (época das chuvas ou seca), etc. não foram consideradas.

O IG pode variar muito entre os indivíduos e este estudo incluiu apenas 10 pessoas. IG, também podem variar entre os diferentes lotes de alimentos, o que significa que os produtos de outros fabricantes podem ter efeitos ligeiramente diferentes.

No gráfico acima, eles estão comparando o açúcar de coco com a glicose, mas não ao açúcar de mesa (sacarose). Eu gostaria de ver uma comparação com o açúcar de mesa comum, porque é para isso que o açúcar de coco está sendo usado, como substituto.

No geral, eu não estou convencido de que o açúcar de coco realmente tenha um índice glicêmico tão baixo quanto eles dizem. Talvez a presença da fibra inulina possa diminuir um pouco a absorção, mas eu gostaria de ver outro estudo antes de tirar uma conclusão.


Temos um problema - é carregado de frutose

O açúcar comum não é ruim para você porque tem calorias vazias ou por ter um alto IG, isso é apenas a ponta do iceberg. A principal razão de o açúcar ser tão insalubre é porque ele é carregado de frutose.
O açúcar de mesa comum (sacarose) é 50% de frutose e 50% glicose.

Mas aqui está o “pulo do gato”: apesar de eu ver toda a web argumentando que o açúcar de coco é efetivamente livre de frutose, ele é feito de 70% -80% de sacarose, que é metade frutose! 

Por esta razão, o açúcar de coco fornece quase a mesma quantidade de frutose como o açúcar comum, grama por grama. Consumidos em excesso, os açúcares adicionados causarão todos os mesmos tipos de problemas como a síndrome metabólica, obesidade, diabetes e doenças cardiovasculares.
Eu não vejo nenhuma razão para que o mesmo não deva ser aplicado ao açúcar de coco.


Mensagem final

Se você quiser comprar açúcar de coco, há uma boa variedade na internet, com centenas de comentários divertidos de clientes para ler. No final das contas, o açúcar de coco não é nenhum alimento milagroso (superfoods).

É muito semelhante ao açúcar de mesa comum, embora o processo de fabricação seja mais natural e também contenha algumas quantidades de nutrientes.

Se você usar o açúcar de coco, use com moderação. É um pouco "menos ruim" do que o açúcar comum, mas definitivamente não é algo que você deve comer todos os dias.

Eu vou ter que colocar o açúcar de coco no mesmo barco que o mel. É mais saudável do que o açúcar refinado, mas definitivamente é pior do que nada de açúcar.

_________________

Leia sobre as diferentes respostas glicêmicas individuais depois de ingerir o mesmo alimento:

Organismos diferentes, Respostas Diferentes



Curta MENOS RÓTULOS no Facebook