REAPRENDENDO A COMER... GORDURA!

Por quase 5 décadas a gordura foi considerada a vilã da alimentação ocidental, e por isto as pessoas foram induzidas a dar preferência aos produtos (industrializados) sem gordura ou com teor de gordura reduzido, trocaram a manteiga pela margarina, aumentaram o consumo dos "grãos integrais saudáveis" , trocaram a banha pelos óleos refinados e muitas outras "escolhas normais" nos dias de hoje.

Tudo isto já foi por água abaixo! A verdade é que a gordura natural dos alimentos não faz mal, e precisamos dela! O que realmente nos faz mal é o excesso de carboidratos, tanto dos grãos integrais ou refinados (principalmente o glúten), como dos açúcares (geralmente adicionados em grande quantidade aos alimentos, para repor o sabor perdido pela pouca gordura presente).
Tudo ao contrário do que ouvimos este tempo todo... Mas bem ao estilo dos nossos avós e bisavós...
Por isto precisamos reaprender a comer!



Tradução do texto Fat Fest do Blog Wheat Belly do Dr William Davis, feita por Regiany Floriano.



Um dos erros mais comuns que as pessoas fazem quando iniciam o "Estilo de Vida na Barriga de Trigo" é permanecer com medo das gorduras. Elas continuam a se agarrar em equívocos antigos, como o que "as gorduras aumentam o colesterol", ou "gordura provoca doenças cardiovasculares", ou "gorduras são altamente calóricas e, portanto, engordam." Nada disso é verdade, e é tão verdadeiro quanto os "grãos integrais saudáveis" serem a chave para a saúde global. (A lógica sobre todos esses equívocos é discutida em detalhes no livro Barriga Trigo Saúde Total).

Isso explica por que algumas pessoas, mesmo após a remoção dos opiáceos derivados da gliadina que vêm de trigo e grãos relacionados, continuam a ter fome ou desejos – por que não ingerem gorduras suficientes. A solução: comer mais gorduras e óleos.

Nós não recomendamos consumir os óleos provenientes de grãos é claro, especialmente o óleo de milho, uma vez que haverá resíduos de proteínas de milho, que podem imitar alguns dos efeitos da gliadina do trigo. Isto para não citar como os humanos modernos estão miseravelmente sobrecarregados com o ômega-6 / ácido linoleico (embora o ácido linoleico seja um dos ácidos graxos essenciais, evitá-lo por completo seria fatal, mas ele está presente nas carnes, nozes e sementes). 

Evitamos os óleos vegetais mistos: o óleo de soja (que como o óleo de milho, pode ter resíduos de proteínas, embora a composição de ácidos graxos não seja tão ruim), o óleo de canola (cada vez mais relacionado a problemas de saúde, como hipertensão, possivelmente devido ao alto teor de gordura trans criado pelo processo de alta temperatura utilizada para remover a toxina do ácido erúcico),  e o óleo de semente de uva (rico em ômega-6).


Aqui estão algumas estratégias que podem ajudar a adicionar novamente as gorduras saudáveis que você podem estar faltando:

  • Compre cortes gordos de carne


Costela por exemplo, contra-filé ou cortes do lombo. Tibone e fraldinha são moderadamente gordos. Ao comprar carne moída, não compre a de primeira (por exemplo, 90% ou 95% magra); compre a mais gorda que você encontrar (70% magra). Escolha a gordura ainda mais saudável comprando carnes orgânicas, não de animais criados à base de ração.



  •  Não corte fora a gordura de sua carne. Coma-a! 
Algumas pessoas, especialmente as senhoras, vão dizer "Yechhh! A gordura é nojenta”. Basta imaginar o que sua avó diria que se você fizesse tal declaração em sua presença: você iria ganhar um tapa na orelha por isto. Todo mundo antes dos últimos 50 anos comia a gordura e gostava. Esta aversão moderna às gorduras da carne e carnes de órgãos, é um erro recente. Assim como comer Doritos, fabricado em um laboratório para intensificar os sabores viciantes, não comer gordura é uma perversão do comportamento humano.

  • Guarde as gorduras / óleos depois de cozinhar a carne 


Se você se preparar bacon ou outras carnes, reserve os óleos (banha) e armazene em um recipiente na geladeira para usar para cozinhar. Você vai apreciar os sabores mais profundos que eles fornecem, bem mais saborosos que o terrível e sem graça óleo de milho. Você também pode comprar banha e sebo, mas tenha certeza de que eles não tenham sido hidrogenados.

  • Use mais manteiga 
Os produtos lácteos não deixam de ter seu próprio conjunto de problemas. Mas os problemas se originam com as proteínas beta (caseína A1, soro de leite, outros) e açúcares (lactose principalmente), bem como o conteúdo hormonal e resíduos de antibióticos. Contrariamente à opinião popular, a manteiga (e a ghee) são as formas menos problemáticas dos produtos lácteos, pois são principalmente gordura. Sim: a gordura é o componente mais saudável de leite, apesar da preocupação tola das pessoas em escolher produtos lácteos com baixo teor de gordura ou sem gordura.

  • Use mais o óleo de coco
O óleo de coco é um grampo por aqui. Eu uso óleo de coco na minha cozinha, para assar, fazer Fat Blasters / Fat Bombs tirando proveito dele (receitas em Barriga de Trigo Saúde Total; vou também deixar algumas aqui no Blog Barriga de Trigo nas próximas semanas). Você pode até usá-lo como hidratante da pele e de cabelo (apenas esfregue). Você pode até mesmo fazer chocolate enriquecido com óleo de coco como na minha receita do Chocolate Apenas para Adultos . Procure pelo óleo orgânico e prensado a frio e tenha cuidado com refinado (muitas vezes envolvendo compostos orgânicos para a purificação, entre outras questões).

  •  Despeje mais óleos sobre os alimentos 
Sobre a sua "Pizza Barriga de Trigo" com um toque adicional de azeite de oliva extra virgem. Use mais manteiga, gordura de bacon, banha, sebo ou óleo de coco com os seus ovos fritos ou mexidos. Adicione um pouco de óleo de coco derretido no seu (low-carb) smoothie. A maioria das receitas do Barriga de Trigo pode facilmente acomodar uma dose maior de óleos.

  • Coma mais abacates 
Cerca de 30 gramas de gordura em um abacate médio porte, uma boa dose se comer um. . . ou dois. Abacates vão engrossar substancialmente seu smoothie , proporcionando uma dose saudável de gordura.






A gordura é saciante quando em quantidade suficiente em sua dieta, corta ânsias e elimina o comportamento alimentar compulsivo, acelera a perda de peso da gordura visceral, ajuda a reduzir o açúcar no sangue e triglicérides, aumenta o HDL, ajuda a se livrar de pequenas partículas de LDL que levam a doenças cardíacas (não é o colesterol , é parte da hipótese lipídica do coração), controla a inundação  pós-refeição (pós prandial) de lipoproteínas na circulação sanguínea, ajuda a reverter o fígado gorduroso (esteatose hepática) e são essenciais para manter a saúde de cérebro.


Então vá em frente e curta seu "Festival de Gordura".


Mais alguns artigos interessantes:

Quantos carboidratos você deve comer por dia pra perder peso

Um guia de refeições Low Carb

Porque eu não conseguia emagrecer

Reaprendendo a comer GORDURA

Gordura não te faz engordar

O trigo e a FOME




Sugestões de livros sobre a Dieta Paleo - Low Carb? Veja aqui 

Saiba das novidades do Menos Rótulos por e-mail:
    
 Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram
 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.