Você salvou minha vida


Um relato parecido com o que aconteceu comigo:
Descobri a Low Carb pesquisando sobre diabetes para tentar orientar algumas pessoas da família que tem.  Apesar de eu não ter diabetes, tenho hipoglicemia reativa, outra alteração metabólica decorrente do aumento dos níveis de glicose no sangue.

A partir do momento que mudei minha alimentação, seguindo a low carb,  perdi um quilo por mês. Estou muito melhor e mais disposta sem tantos carboidratos (< 60g total / dia) e comendo mais a gordura natural dos alimentos (60% da ingestão diária).

Apesar do meu exemplo, infelizmente as pessoas diabéticas da família não se comprometeram, e nem posso forçá-los. Acham "radical de mais" a exclusão do arroz, pão e açúcar da alimentação e não querem abrir mão dos seus prazeres... Talvez quando as coisas complicarem, eles pensem a respeito.

Aqui segue o relato da Elizabeth, uma história triste, mas com um saldo positivo.

Artigo traduzido por Regiany Floriano.O original está aqui.



VOCÊ SALVOU MINHA VIDA

“Quero compartilhar a minha história de sucesso com estes maravilhosos hábitos alimentares low-carb.
Em 12 outubro de 2014, minha mãe estava com gangrena em seu segundo dedo do pé, ela tinha diabetes tipo 2 há 30 anos. Fiquei muito ansiosa para saber como curar a gangrena, como controlar o açúcar no sangue, e como curar a diabetes. Vi sua entrevista no YouTube, e mesmo que minha mãe não fale Inglês, eu traduzi para o mandarim. 

Então eu comecei a alimentar minha mãe seguindo a low carb para controlar seu açúcar. Eu queria fazer isso com a minha mãe, mas também queria mostrar-lhe que é possível ser saudável sem comer macarrão, arroz e pão todos os dias. Então foi assim que eu comecei a mudar os hábitos alimentares.

Entre novembro 2014 a janeiro de 2015, eu perdi cerca de £ 33 (15 kg). Eu pesava 176 libras (80 kg), e agora estou com £ 139 (63 kg).
Eu queria ter conhecido low carb há muitos anos, assim eu poderia ter ajudado a minha mãe a reduzir o açúcar no sangue, e controlando melhor seu açúcar no sangue, antes que chegasse a esta gangrena.

Ela poderia não ter falecido no 13 fevereiro de 2015, devido a um ataque cardíaco. Nesses dois meses, o nível de açúcar da minha mãe foi controlado muito bem sem a medicação, mas a gangrena se espalhou muito rápido. Nove dias depois, ela faleceu depois que fez um stent em sua perna.

Eu digo às pessoas com diabetes que eu encontro sobre a mudança para uma dieta low-carb e para ver informações em seu site. Não espere por quaisquer complicações para começar, que poderia tarde demais. Comece a low carb hoje, que pode salvar a sua vida, para que você tenha um corpo e mente saudáveis e energia.

Muito obrigado por espalhar a palavra para os pacientes com diabetes.

Você salvou minha vida.

Muito obrigado pelo seu esforço.

Elizabeth SHEN”

ComentárioS
Esta é uma história triste por ter sido tarde demais para salvar a vida da mãe de Elizabeth, mesmo que seu controle de açúcar no sangue tenha melhorado muito numa dieta baixa em carboidratos. Ela já estava com gangrena devido aos vasos sanguíneos estarem severamente danificado em uma de suas pernas (uma complicação comum a longo prazo em diabetes) e, infelizmente, manteve se espalhando.

Se sua mãe tivesse tido uma melhor assistência de seus médicos com uma dieta baixa em hidratos de carbono, muitos anos antes, as coisas poderiam ter sido muito diferentes. Obviamente, uma filha não deveria ter que procurar por essa ajuda sozinha na internet, em outro idioma. É realmente uma pena que foi necessário assim.


A parte feliz da história é que Elisabeth agora nunca terá os mesmos problemas, nem terá diabetes em primeiro lugar. Rapidamente perdeu 33 quilos em excesso e isto é um grande sinal. E espero que a sua história possa inspirar muitas mais pessoas.


Outros artigos interessantes:

Mary descobriu por conta própria como reverter a diabetes

Como não ter Diabetes

Diabetes tipo 2, assuma o comando da sua saúde

O que é Resistência à Insulina

Magro por fora, gordo por dentro





Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram


 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.