Microondas... Sim ou não?

Há tantas dicas na internet, faça isto, não faça aquilo e que às vezes não sabemos em qual confiar.

Cada um compartilha informações de acordo com seu ponto de vista.
Estes dias me surpreendi com o que li num blog considerando que o forno de microondas deveria ser abolido de todas as cozinhas devido às suas microondas nocivas e ao efeito maléfico aos alimentos.

 Em outras ocasiões procurei informações a respeito da segurança em usar o forno de microondas, mas sempre cheguei à mesma conclusão: que microondas faz tão mal quanto o celular e nem por isto as pessoas deixam de usar o telemóvel, pelo contrário. 
Prefiro pensar como Dr Souto respondeu sobre o microondas ser maléfico à saúde: "- É lenda urbana. A não ser, claro, se você estiver dentro dele."

Eu uso o microondas sempre, para descongelar rapidamente algo, para aquecer uma refeição, para derreter chocolate, dar uma pré cozida em alguma verdura, fazer torresmo do "courinho" da costelinha de porco - humm - e por aí vai. Não costumo preparar pratos no microondas pois acho que perde em sabor para os assados ou fritos, mas seria uma opção.

Prefiro seguir as orientações que li neste site, que traduzo abaixo (com algumas adaptações).




MICROONDAS E SAÚDE: ARMA NUCLEAR OU NÃO? 

Por Kris Gunnars


Cozinhar com microondas é altamente conveniente. É simples e incrivelmente rápido. No entanto, muitas pessoas acreditam que esta conveniência deve vir com um custo. Elas acreditam que as microondas produzem radiação prejudicial e causam danos aos nutrientes saudáveis. Este artigo faz uma avaliação detalhada sobre fornos de microondas, e como eles afetam os nutrientes e os efeitos à saúde dos alimentos.



O QUE SÃO OS FORNOS DE MICROONDAS, E COMO ELES FUNCIONAM?

Os fornos de microondas são aparelhos de cozinha que transformam energia elétrica em ondas eletromagnéticas, chamadas de microondas. Essas ondas estimulam as moléculas no alimento, fazendo-as vibrar, girar e se chocarem umas com as outras, o que transforma a energia em calor. Isto é semelhante à forma como suas mãos aquecem quando você as esfrega muito rápido, só que está acontecendo a nível molecular.
As microondas funcionam primeiramente em moléculas de água, mas também podem aquecer as gorduras / óleos e açúcares. Uma vez que as ondas são distribuídas por todo o alimento, dependendo do tempo de preparo, podem aquecer muito mais uniformemente em comparação com outros métodos de cozimento, como assar ou fritar.



A RADIAÇÃO DO MICROONDAS PODE SER PREJUDICIAL?

Os fornos de microondas produzem radiação eletromagnética. Pode ser preocupante por causa da conotação negativa da palavra "radiação". No entanto, este não é o tipo de radiação associada a bombas atômicas e desastres nucleares.

Os fornos de microondas produzem radiação não-ionizante, que é semelhante à radiação do seu celular, exceto que ela é muito mais forte. É radiação eletromagnética, e nem todas as "radiações" são ruins.

Os fornos de microondas têm escudos de metal (e telas de metal sobre a porta) que impedem que a radiação saia do forno, por isso não deve haver qualquer risco de dano. Mas para garantir a segurança, não aproxime o seu rosto da porta e mantenha a cabeça pelo menos a uns 30 cm de distância do forno. A radiação diminui bastante com a distância. Além disso, certifique-se de que o seu forno de microondas está em bom estado de conservação. Se parece velho ou quebrado, ou se a porta não fecha corretamente, considere a obtenção de um novo.



COMO O MICROONDAS AFETA O CONTEÚDO NUTRICIONAL DOS ALIMENTOS

Toda forma de cozimento reduz o valor nutricional. Os principais fatores que contribuem para isso são as altas temperaturas, longos tempos de cozimento e a água adicionada (o que faz com que os nutrientes solúveis em água saiam da comida). Os fornos de microondas fazem muito bem estas três tarefas. Por esta razão, eles retêm mais nutrientes quando comparados aos métodos de fritura e cozimento em água.

Há, na verdade, uma série de estudos que analisaram isto. De acordo com dois estudos de revisão, microondas não reduzem o valor nutritivo em comparação com outros métodos de cozimento.
Um estudo também comparou os efeitos no teor antioxidante em métodos diferentes de cocção de 20 vegetais. Eles descobriram que microondas e são melhores em relação à preservação de nutrientes, quando comparados à panela de pressão e o cozimento com água.

No entanto, outro estudo descobriu que apenas um minuto de microondas destrói no alho os componentes químicos que combatem o câncer quando, em um forno convencional, isto só aconteceria depois de 45 minutos.

Há também um estudo mostrando que as microondas destroem 97% dos flavonoides antioxidantes dos brócolis, enquanto que a fervura só destruiu 66%. Este estudo é frequentemente citado por pessoas que são contra o uso do microondas, mas a verdade é que eles usaram água adicionada quando cozinharam o brócolis no microondas, o que não é uma boa ideia.

Apesar de microondas ser prático para aquecer fórmulas infantis, não é recomendado para aquecer o leite materno, porque pode destruir os compostos naturais do leite (anticorpos, enzimas, proteínas, etc).

Assim, parece que os efeitos dependem do tipo de alimento e o tipo de nutriente. Com poucas exceções, o microondas funciona muito bem quando se trata de preservar os nutrientes.



MICROONDAS REDUZ A FORMAÇÃO DE COMPOSTOS PREJUDICIAIS

Uma das vantagens de microondas é que a comida não aquece quase tanto como em com outros métodos de cozimento, como fritar. Geralmente, a temperatura não vai muito acima de 100 ° C / 212 ° F, que é o ponto de ebulição da água. No entanto, alimentos gordurosos, como bacon podem ficar mais quentes do que isso.

Acredita-se que o bacon é um alimento que forma compostos nocivos quando aquecido. Estes compostos são chamados nitrosaminas e são formadas quando os nitritos dos alimentos são aquecidos excessivamente. De acordo com um estudo, bacon aquecido no microondas apresentou a menor formação de nitrosaminas quando em comparação a todos os métodos de cozimento. Outro estudo mostrou que frango preparado no microondas apresentou muito menos aminas heterocíclicas (outros compostos prejudiciais), em comparação com a fritura.



EVITE USAR RECIPIENTES PLÁSTICOS NO MICROONDAS


Muitos plásticos contêm compostos de desregulação hormonal que podem causar danos. O mais comum é o bisfenol A (BPA), que tem sido associado a doenças como o câncer, perturbações da tireoide e obesidade. Por esta razão, não aqueça sua comida no microondas usando um recipiente de plástico a menos que seja identificado como "seguro para microondas". Mas mesmo assim, esta não é a maneira específica aquecer em microondas, dê preferência aos recipientes de vidro.



CERTIFIQUE-SE DE AQUECER OS ALIMENTOS ADEQUADAMENTE PARA ELIMINAR AS BACTÉRIAS

Uma questão de segurança com micro-ondas, é que eles podem não ser tão eficazes como outros métodos de cozimento em matar bactérias e outros agentes patogênicos. O calor tende a ser menor e o tempo de cozedura muito mais curto, e por vezes, a comida aquece de forma desigual. Usando um microondas com uma mesa rotativa o calor pode atuar de forma mais uniforme, aquecido suficientemente há grande chance de eliminar todos os microrganismos nocivos do alimento.

Também é importante ter cuidado ao aquecer líquidos. Existem alguns relatos de "explosão" em copos quando aquecidos acima da temperatura de ebulição, e em seguida, assim que você agitar o líquido, a energia é liberada de forma violenta, causando queimaduras.



ENTÃO...

No final das contas, usar microondas é uma forma segura, eficaz e altamente conveniente de cozinhar seus alimentos. Não há nenhuma evidência de que eles causam dano, e comprovou-se que eles são ainda melhores a preservar os nutrientes e prevenir a formação de compostos prejudiciais, em comparação com outros métodos de cozimento. Eu pessoalmente tenho um microondas na minha cozinha e uso algumas vezes por semana, geralmente para reaquecer sobras. Contanto que você tome as precauções necessárias para cozinhar o alimento, você não tem nada com o que se preocupar.


Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram

As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.