A DOMINÂNCIA ESTROGÊNICA DE ONDE VEM E O QUE FAZER SOBRE ISSO?

Tradução do texto "The Estrogen Dominance Post: Where Its Coming From, And What To Do About It" feita por Regiany Floriano. O original está aqui.


Dominância de estrogênio - a condição de ter mais estrogênio em relação aos níveis de progesterona - é aquele que assola milhões de mulheres em todas as idades. Ela pode ocorrer durante os anos de reprodução, pré-menopausa e menopausa. Também podem ser provenientes de uma grande variedade de fontes dentro da dieta e estilo de vida de uma mulher. Isso faz com que a predominância estrogênica seja um pouco parecida com uma noz difícil de quebrar. Mas uma abordagem holística da saúde deve, pelo menos ajudar para que você possa descobrir exatamente de onde vem sua desregulação.

A dominância de estrogênio ocorre quando os níveis de estrogênio estão muito altos, ou por outro lado, quando os níveis de progesterona estão muito baixos. Há algumas oscilações naturais ao longo da vida de uma mulher que podem fazer a dominância de estrogênio ser ou não um problema. A progesterona tende a cair durante a perimenopausa, por exemplo, de modo que este pode ser a principal fonte de desconforto hormonal para mulheres em torno dos 35 anos de idade. Os níveis de progesterona também caem durante a menopausa, embora os níveis de estrogênio devam ser baixos na época também. As razões pelas quais o estrogênio pode permanecer relativamente elevado nos últimos anos de uma mulher são, em grande parte relacionadas com os mesmos mecanismos que ocorrem nos anos reprodutivos. Em cada uma das fases, dos anos reprodutivos, na perimenopausa e menopausa, a mulher está sujeita a ser influenciada por suas escolhas alimentares e estilo de vida.

Dominância de estrogênio é um grande problema. Ela pode causar uma grande variedade de sintomas, assim como nos colocar em maior risco de uma ampla variedade de doenças e condições. Sintomas associados à dominância de estrogênio incluem:

O ganho de peso
TPM
Mudanças de humor
Sensibilidade emocional alta
Períodos pesados
Sensibilidade de mama
Dores de cabeça
Diminuição da libido
Metabolismo lento
Insônia
Condições que encontramos mais frequentemente em mulheres com predominância estrogênica e que podem de fato desenvolver como resultado da predominância estrogênica incluem:
Miomas císticos
Endometriose
Adenomiose
O hipotireoidismo (estrogênio é antagônico ao hormônio tireoidiano)
Câncer de mama
Câncer de ovário
Câncer Cervical

Estes não são apenas problemas que podemos tirar dos nossos ombros. De muitas maneiras, vemos a predominância estrogênica contribuindo para a morte de milhares de mulheres todos os anos.

AS CAUSAS DA PREDOMINÂNCIA ESTROGÊNICA

As causas da dominância de estrogênio são amplas e variadas, mas em grande parte tem a ver com a desregulação metabólica e mau funcionamento do órgão. Alguns fatores dietéticos também podem deslocar o equilíbrio.

1) ESTAR ACIMA DO PESO:
As células de gordura executam uma função chamada "aromatização", que converte a testosterona em estrogênio. Quanto mais gordura corporal temos sobre nós, mais e mais nossos corpos pendem seus níveis em direção estrogênio e longe de testosterona.
Agora, isso não quer dizer os níveis de testosterona serão necessariamente baixos em mulheres com excesso de peso. Pelo contrário: os níveis de testosterona também acontecerão quanto mais subirem os níveis da insulina. Por esta razão, uma mulher predisposta à insensibilidade à insulina vai experimentar prováveis aumentos em ambos os níveis de testosterona e estrogénio. A progesterona no entanto, não recebe nenhum impulso em relação ao ganho de peso: a progesterona permanece, portanto, incapaz de compensar os aumentos de estrogênio associados com a maior porcentagem de gordura corporal em mulheres com excesso de peso.

2) A SOBRECARGA DO FÍGADO:
O fígado é responsável por limpar o corpo dos hormônios "velhos", especialmente o estrogênio. Se o fígado está sobrecarregado com uma dieta hipercalórica, com grande quantidade de açúcares, com grandes volumes de álcool, ou com alto volume de produtos químicos de alimentos processados, então, torna-se lento na sua capacidade de processar tudo. Quando o fígado fica mais lento, o estrogênio acaba se acumulando e causa estragos no sistema reprodutivo, que espera que o fígado cure e recupere seu atraso na sua capacidade de limpeza da corrente sanguínea.
Este efeito interessante é ainda mais pronunciado nos homens do que nas mulheres e é responsável pela maior parte do desenvolvimento de depósitos de gordura nas mamas dos grandes bebedores. Estar acima do peso e sob estresse também pode contribuir para este processo em homens.

3) STRESS:
Estresse causa estragos em todos os nossos sistemas corporais. Talvez mais proeminente nas mulheres, no entanto, diminui a produção de progesterona no corpo. Quando uma mulher está estressada, suas glândulas suprarrenais "roubam" o precursor da progesterona e usam para produzir cortisol, o hormônio do estresse. Por esta razão, alta carga de estresse pode puxar o tapete da progesterona, o que pode precipitadamente pender equilíbrio hormonal em favor do estrogênio.

4) CONSUMOS DE FITO E XENOESTROGENOS:
Por mais que eu tenha dificuldade com a soja em minha própria vida, eu normalmente recomendo cautela quando se fala de soja. Eu sinceramente acredito que seja uma boa ferramenta terapêutica para algumas mulheres e que cada um tem de usá-la de forma adequada.
Em todos os casos, no entanto, soja, linhaça, legumes e outras fontes de estrogênio exógeno podem interferir com a nossa própria produção de estrogênio. No caso de mulheres estrogênio dominantes, pode causar muito estrogênio a ser produzido. Os fitoestrógenos podem aumentar o processo de aromatização nas células de gordura, como eu descrevi acima. Eles também podem simplesmente despejar uma carga de estrogênio no corpo, o que automaticamente inclina a balança. Em um metabolismo funcionando corretamente, o fígado, provavelmente, deve ser capaz de limpar este aumento da carga de estrogênio. Mas às vezes a carga é muito pesada ou o fígado não muito forte o suficiente e isso se torna uma impossibilidade.

5) UMA DIETA POBRE EM FIBRAS:
O estrogénio é processado no fígado, mas também é processado em parte pela flora intestinal, e também excretado através do trato digestivo.
Mostrou-se que as dietas com baixa fibra estão associadas com predominância estrogênica. Há muitas variáveis conflitantes que podem desempenhar um papel aqui, mas a ideia geral é que o estrogênio pode ser reabsorvido através das paredes intestinais. Com uma flora intestinal pobre e com a motilidade intestinal lenta, o estrogênio que fica muito tempo no intestino, é reabsorvido de volta para a corrente sanguínea.

A fibra é geralmente correlacionada com a melhoria no ritmo e movimento digestivo, embora não exclusivamente. A quantidade adequada de fibras ajuda a levar as coisas ao longo do trato digestivo. Muita fibra também pode, obviamente, ser prejudicial. Isso faz o que os defensores da saúde gostam de chamar de "volumoso", por ser abrasivo, e poder levar à deterioração das condições do intestino, como a diverticulite. Em todo o caso, no entanto, satisfazer um requisito mínimo para o processamento de estrogênio, como o consumo regular de frutas e vegetais pode ser bastante útil para a motilidade intestinal e saúde.
O aumento da ingestão de frutas e vegetais também pode, é claro, aumentar os nutrientes ingeridos, o que pode impulsionar a função hepática, função hormonal, bem como o tratamento de todos esses produtos químicos.


INDO ALÉM DA PREDOMINÂNCIA ESTROGÊNICA

Como é que vamos reduzir a dominância de estrogênio, então? Comendo alimentos que diminuam a inflamação, que suportem a função dos órgãos, particularmente a do fígado, minimizando o consumo de fitoestrógenos e maximizando o nível de nutrientes.
Isso significa que nós queremos comer um tipo de dieta “modelo paleo”, que inclui produtos de origem animal, tanto a proteína como a gordura, frutos do mar, frutas, legumes, azeite, coco, vegetais ricos em amido e algumas sementes e nozes. No entanto, em um sistema estrogênio dominante, sementes e nozes podem atuar como fitoestrógenos e pender a balança hormonal a favor de estrogênio, por isso eles devem ser cuidadosamente avaliados. Os alimentos que aprimoram a saúde da tireoide, como frutos do mar e algas também devem ser bastante úteis para impulsionar a saúde metabólica e recarga hormonal. Alimentos a serem evitados são, naturalmente, todos os açúcares processados, grãos, óleos de sementes ricos em ômega 6, fitoestrógenos, que incluem soja, linhaça, legumes, sementes, algumas ervas e álcool.

Alimentos que enfatizam a limpeza do estrogênio são os mais ricos em nutrientes, particularmente aqueles que aumentam os níveis de vitamina B e ômega 3 (óleo de fígado de bacalhau fermentado!), Colina (para o fígado!), Zinco, magnésio, cálcio e vitamina D. Por esse motivo, os ovos (colina), peixe (Ômega 3, iodo, selénio e vitamina D), fígado (vitamina A, vitaminas do complexo B, e ferro, zinco, manganês, etc), outras vísceras e proteína animal de alta qualidade podem ser seus melhores companheiros nesta jornada.

Alguns suplementos também podem ser considerados úteis e Dr. Hoffman (um dos heróis de dominância estrogênio) resume bem:

A lecitina (um fosfolípidio) e os aminoácidos que contém enxofre L-taurina e L-metionina são compostos que promovem a circulação da bile, o que aumenta a excreção do estrogênio para fora do corpo. Estas fórmulas lipotrópicas apoiam o metabolismo de estrogénio pelo fígado. Uma fórmula típica pode fornecer o seguinte, em uma base de ervas estimulantes do fígado, como leite de cardo, rabanete preto, beterraba, ou dente de leão, para o consumo duas vezes por dia: 500 miligramas de colina (uma forma concentrada de lecitina); 250 mg inositol; 250 miligramas taurina; 250 miligramas metionina.

O exercício também deve ser prioridade em sua lista, uma vez que o exercício pode afiar a sensibilidade à insulina, aumentar a perda de peso, ajudar a reduzir os problemas do balanço de humor associados à dominância de estrogênio e reduzir os níveis de hormônios de estresse no corpo.
A redução do estresse é enorme. Eu não posso enfatizar o suficiente o quanto isso é importante. Sem progesterona em nossos corpos, é quase impossível de corrigir predominância estrogênica. Todos os outros aspectos da redução estrogênio podem ser postos em prática. Mas sem progesterona suficiente, os sintomas da predominância estrogênica podem persistir.

A predominância estrogênica atormenta uma grande variedade de mulheres, e em todas as fases ao longo de sua vida reprodutiva. Apoiar a saúde do órgão, reduzir o estresse e dar preferência a alimentos saudáveis deve levar-nos a um maior equilíbrio hormonal. Há, é claro, muitas outras coisas que você pode fazer para ajudar a atenuar problemas associados com a dominância de estrogênio - por exemplo, experimentando suplementação de neurotransmissores ou impulsionar a saúde dos neurotransmissores com dieta e suplementos, a fim de reduzir os problemas do humor oscilante - mas esses assuntos são amplos e variados e deixaremos para uma próxima vez.

Curta MENOS RÓTULOS no Facebook