Como se alimentar quando se tem Diabetes

Aqui estão valiosas dicas do Professor Tim Noakes de como se alimentar quando se tem Diabetes.


Tradução do artigo "Complete Idiot’s Guide to Tim Noakes Diet: Banting made simple". O Original está aqui.


Estritamente falando, não é correto chamar a dieta low-carb/ alto teor de gordura (LCHF) do cientista e Professor Tim Noakes de Cidade do Cabo de “Banting”, mas ele não se importa se você o fizer.

O homônimo William Banting* era gordo, um empresário britânico com exagerado sobrepeso, que seguiu uma dieta de baixo carboidratos a conselho do Dr. William Harvey, em 1862. Banting perdeu peso e sentiu-se muito bem.

Harvey escreveu sobre isso, mas sob a pressão dos colegas médicos, modificou a dieta para alta proteína, baixo teor de gordura. O médico alemão Dr. Wilhelm Ebstein levou a dieta para a Europa, e mudou para alto teor de gordura, baixo teor de carboidratos depois de perceber que a chave era substituir carboidratos pela gordura, não por proteínas, pois a gordura reduzida a fome de forma mais eficaz.

Portanto, é mais correto chamar 'Dieta Noakes Ebstein', ou 'cetogênica'. Banting pode aderir em negócios, onde é uma "revolução" da culinária, com restaurantes Banting, refeições e produtos surgindo em todo o lugar. Aqui, Noakes esclarece os fundamentos da sua dieta LCHF, seguido de um Guia do Iniciante:

Por Marika Sboros

Prof Tim Noakes, cientista da Cidade do Cabo está em ótima forma. Aos 65 anos, depois de quatro anos na dieta de baixo carboidrato com alto teor de gordura (LCHF), os seus níveis de energia estão estratosféricos e seu metabolismo melhorou espetacularmente.

"Eu não corro tão rápido quanto nos meus 20 anos, mas estou correndo mais rápido, treinando mais e com mais prazer do que há 20 anos", diz ele.

Ele não ganhou um grama dos 20 kg que perdeu nos dois primeiros anos na dieta e a sua saúde melhorou. Noakes tem diabetes tipo 2 (está no seu histórico familiar) e desenvolveu apesar de seguir religiosamente a dieta alta em carboidratos e pouca gordura recomendada por 33 anos, pois os especialistas lhe disseram que impediria a diabetes. Ele provavelmente poderia ficar sem medicação para controlar a diabetes, mas prefere ter “um controle perfeito da glicemia”.

Ele dorme como um bebê e não ronca mais - sua esposa Marilyn agradece - e já não cai no sono em frente à TV. Todas as outras doenças - bronquite recorrente, rinite, enxaqueca, síndrome do intestino irritável e refluxo gástrico, para o qual estava sendo considerada cirurgia - desapareceram.

A controvérsia ainda apimenta sua dieta, com alguns dizendo que é não científica e perigosa. Outros dizem que é ciência sólida. A ciência da dieta será discutida em um encontro internacional de grandes cientistas e pesquisadores em LCHF na Old Mutual Health Convention no Centro Internacional de Conferências na Cidade do Cabo de 19 de fevereiro de 22 de 2015.

Noakes está comandando o evento com Karen Thomson, neta do pioneiro cirurgião cardíaco Prof Chris Barnard, e a nata internacional de médicos e cientistas peritos em LCHF no painel de oradores.
Aqui Noakes esclarece os fundamentos e terminologias da sua dieta baixo carboidrato/alta gordura (LCHF) e dá um Guia para Iniciantes:

A sua dieta é Atkins?

Não, Atkins é de alta proteína. A nossa é alto teor de gordura, proteína moderada.

É Paleo?

Não. Paleo é baixa em carboidratos, mas não tão baixa como a nossa. Excluem-se os cereais e produtos lácteos, mas inclui frutas, o que não fazemos, com exceção de algumas frutas silvestres ricas em nutrientes e pobres em carboidratos.

É Banting*?

Provavelmente é mais correto chamá-la de Ebstein, o médico alemão Dr. Wilhelm Ebstein que foi o primeiro a fazer uma dieta alta em gordura (high-fat). Essa foi a dieta que Sir William Osler promoveu em seu livro monumental: Os Princípios e Práticas de Medicina, publicado nos EUA em 1892. Quem afirma que as dietas Banting ou Ebstein são modismos, simplesmente não sabe nada sobre a história de nutrição médica. A Nutrição não começou em 1977 como parece que nossos alunos foram ensinados.

Há algum tipo de pesagem de alimentos em sua dieta?

Não. Isso é uma piada. Você não pode prever com precisão o conteúdo calórico de alimentos quando consumidos pelos seres humanos. Você não sabe quantas calorias cada pessoa necessita. A única maneira de resolver isso é pesando-se. Se o seu peso permanece estável, você está comendo o mesmo número de calorias que você está gastando. Se você é magro, provavelmente está com o número correto de calorias para o seu corpo e nível de atividade. Não há outras maneiras remotas e suficientemente precisas para medir suas necessidades energéticas.

A sua dieta é extrema?

É extremamente baixa somente em carboidratos - um nutriente que os seres humanos não têm absolutamente nenhum requisito essencial. Em 1977, quando nos disseram para comer dietas extremamente ricas em carboidratos, a saúde humana começou a falhar em uma escala global. Moderação é, uma palavra puritana e presunçosa. Nenhum mamífero come com moderação. Na natureza todas as dietas são extremas - leões comem apenas carne, ursos polares principalmente gordura, ursos panda apenas brotos de bambu, girafas apenas folhas da acácia. Equilíbrio é o que tem funcionado para cada uma dessas espécies durante milhões de anos.

Os críticos dizem que a dieta de Tim Noakes é perigosa por causa do alto teor de gordura saturada. Uma ameaça para a saúde é a gordura saturada de sempre?

Ele pode ser, na presença de uma dieta rica em carboidratos / açúcar que aumentam as concentrações de insulina. A insulina leva a um metabolismo alterado, com a formação do colesterol oxidado (LDL), o prejudicial, que é provavelmente um componente chave na doença cardíaca.

Então, qual é a chave?

Seguir uma dieta que mantenha a insulina e a glicose em baixas concentrações no sangue, porque concentrações elevadas de insulina, principalmente, estão ligadas a problemas de saúde a longo prazo. Nós dizemos: coma o que seu apetite determina. Uma vez que você corte os carboidratos, seu cérebro vai dizer se você precisa de mais gordura ou proteína. É encontrar o equilíbrio que funciona para você.

Os fundamentos de quando se inicia em sua dieta - o que cortar?

Pão, batata, arroz, massas, pizzas, açúcar, todos os grãos e cereais, processados, embalados, encaixotado, alimentos adulterados, bolos, doces, biscoitos, refrigerantes, todas as coisas que causam dependência. Qualquer doce e amido têm que sair da alimentação assim como os alimentos com baixo teor de gordura.

O que manter?

Gordura e proteína. Você pode comer gordura em quantidades relativamente ilimitadas, mas proteína apenas moderada. Uma dieta saudável rica em proteína, para o ser humano não existe. Se a sua dieta foi de 100% de proteína, você rapidamente adoece e morre. Você realmente pode exagerar na dose de gordura, que reduz o apetite, e é a melhor maneira de superar o vício do açúcar.

O que são boas fontes de proteína?

Você pode começar com ovos, leite gordo, queijo, iogurte – que são bons alimentos. Peixe e frango - com a pele e um pouco de carne, de preferência orgânica, ou, pelo menos alimentados a pasto, não de animais criados confinados alimentados com ração à base de grãos, porque isso destrói a qualidade da carne. A carne não é o foco principal, mas nós gostamos de cordeiro, porque é gordo e alimentado no pasto. E bacon, de preferência não muito defumado.

E fontes de gorduras boas?

Manteiga, carne - legumes com manteiga; colocar creme no chá ou café. O óleo de coco, muito saudável - todos devem tomar duas colheres de sopa diariamente. Abacates, nozes, amêndoas, castanhas, nozes pecan, especialmente macadâmia, eles são como gotas de gordura - todos os frutos de casca rija. Nada de amendoins ou cajus. São legumes, não nozes.

Laticínios podem ser problemáticos?

Apenas para pessoas com diarreia, intolerância à lactose, ou que lutam para perder peso - o que acontece principalmente com as mulheres. Pode ser que a gordura aumente a fome, em vez de satisfazer. Não sabemos se é apenas um efeito desta gordura saturada em algumas pessoas. A maneira mais fácil de cortar a gordura, nesse caso, é cortar laticínios, e comer de outras fontes, como peixes oleosos e abacate.

E sobre os vegetais?

Todos os vegetais possuem carboidratos, mas recomendamos aqueles com o menor teor: folhas verdes, como couve, que é um dos vegetais mais nutritivos; também couve-flor, brócolis, eles estão em nossa lista verde - (como no “The Real Revolution Meal”, de co-autoria com Jonno Proudfoot, Sally-Ann Creed e David Grier).

Você pode ser um vegetariano em sua dieta?

Sim, se você comer produtos lácteos, mas aconselhamos a adição de ovos e peixes. Os vegetarianos que "enganam" podem ser extremamente saudáveis.

Você não pode ser um vegano em sua dieta?

Bem, eu sei de um atleta vegan, um ex-ciclista profissional que come 80% de gordura na sua dieta - lotes de óleo de coco e abacates. É uma dieta extrema, mas funciona para ele. Claramente a sua flora intestinal pode lidar com isso. Eu conheci alguém que só come carne crua. Nós não sabemos o que as bactérias em seus intestinos estão fazendo e como essas bactérias podem compensar o que consideramos como "deficiências" alimentares.

Qual proporção de carboidrato-gordura-proteína é melhor?

Depende de quanto você está doente. Se você é diabético, diremos 20% a 30% de proteína, 60% a 70% de gordura, 5% de carboidratos. Quanto mais doente você estiver, mais gordura que você precisa, porque a gordura é a insulina neutra. Quanto mais sensível à insulina (resistente) que você for, mais gordura você pode comer, porque mesmo quando o pâncreas falha, a gordura é o único combustível que você pode metabolizar com segurança sem a necessidade de insulina. É perfeito para o controle de açúcar no sangue. Não dizemos às pessoas quantos gramas devem comer, com exceção de carboidratos - em torno de 25g se você está realmente doente.

E o álcool?

É uma toxina, e retarda a perda de peso na nossa dieta significativamente. Recomendamos: primeiro perca o peso e reintroduza álcool em pequenas quantidades, se necessário. A dieta é uma linha tênue. Se você não cair no lado correto da proporção gordura, proteína, carboidrato, apenas uma maçã, uma cerveja ou duas taças de vinho vai colocá-lo no lado errado, e você não vai desfrutar dos benefícios que teve ao cortar carboidratos.

“Sem petiscos doces”?

Um pequeno pedaço de chocolate escuro é bom, mas muitas pessoas não podem comer só um pedaço pequeno - como fumantes não podem ter um cigarro. A chave é fazer com que o açúcar fique fora da dieta. As pessoas não entendem o quão viciante é o açúcar, ou que ele realmente é, não apenas a sacarose, o pó branco, mas também o xarope de milho rico em frutose (HFCS) em alimentos processados. Isso é o que eu classifico como o açúcar, o que é realmente viciante. Se você puder manter as pessoas com até 25g de carboidratos por dia, durante alguns meses, sem adição de açúcar, o cérebro já não procura mais por açúcar. Isso é o que torna a nossa dieta tão bem sucedida.

E os melhores petiscos?

Nozes, castanhas, carne seca, queijo, coco - Eu amo chips de coco, melhor de todos. E iogurte integral.

Quantas vezes você deve comer?

Depende de quão doente ou obeso você estiver. Eu sou diabético, então na minha opinião quanto menos frequentemente eu comer, melhor. Eu como um grande café da manhã, um lanche pequeno às duas da tarde e jantar às sete.

____________

O inglês William Banting é conhecido como "o autor do primeiro livro de dietas da história", a  Carta sobre a Corpulência, endereçada ao públicoonde revela as suas agruras com a obesidade, as inúmeras tentativas inúteis para perder o peso excessivo e sua redenção final através de uma mudança alimentar. 


Outros artigos interessantes:

Mary descobriu por conta própria como reverter a diabetes

Diabetes tipo 2, assuma o comando da sua saúde

Você salvou a minha vida





Magro por fora, gordo por dentro




Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram
 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.